: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
 

  UM XÁTRIA DO TABULEIRO
 

"No sistema de castas hindu, xátria é a dos guerreiros"
(Dicionário AURÉLIO)

 

     Não obstante sua importância histórica como berço do xadrez, a Índia até pouco tempo só havia alcançado projeção nas lides do tabuleiro por intermédio do extraordinário Mir Malik Sultan Khan. De origem humilde, nasceu em 1905 em Mittha Tawan no distrito de Punjab e faleceu em 25.04.1966 na localidade de Sargotha. Sem instrução, aprendeu a jogar xadrez ainda garoto com o seu pai que se situava entre os bons jogadores da cidade.

    0 palco de exibição de suas habilidades enxadrísticas eram as ruas de Punjab, onde foi descoberto pelo coronel do exército indiano Sir Nawab Umar Hayat Khan que verificou tratar-se de um "diamante bruto", necessitando somente ser lapidado para mostrar todo o seu brilho e valor. Incorporado à família Khan, passou a adotar esse sobrenome e contar com todo incentivo de seu protetor. Os frutos desse trabalho não tardaram em aparecer e logo coroou seus esforços com a conquista do campeonato de seu país em 1928. Verificando que o seu pupilo precisava de um meio mais adiantado para desenvolver todo o seu talento, o seu patrono levou-o para a Inglaterra, onde teve oportunidade de superar as principais estrelas internacionais, derrotando Alekhine, Capablanca, Rubinstein, Tartakower, Salo Flohr e vários outros astros de primeira grandeza!

    Por três vezes, em 1929, 1932 e 1933, sagrou-se brilhantemente campeão do império britânico e ocupou com destaque o 1º tabuleiro da equipe inglesa no Campeonato das Nações de 1930, 1931 e 1933.

    Graças aos seus feitos, recebeu o reconhecimento de seu país natal, sendo agraciado com o título de Mir que caracteriza um herói nacional.

    Deste modo, passou para os anais históricos como Mir Malik Sultan Khan e mereceu de Capablanca - habitualmente parcimonioso em elogios a seguinte consagradora apreciação:"Considero-o um gênio, possuidor de um extraordinário talento natural para o xadrez".

    Em seu livro iconográfico "A Picture History of Chess", o didata norte-americano Fred Wilson ressalta: "O mais notável aspecto de sua carreira é que em apenas alguns meses ele teve a capacidade de absorver as regras do xadrez moderno e passou a jogar com a consistência de um experimentado e hábil grande-mestre, mesmo sem ter estudado qualquer livro sobre a teoria do jogo, pois era inteiramente iletrado".

    Em 1933, no auge de sua carreira magistral, Sultan Khan foi compelido a acompanhar a família de seu patrono de regresso à Índia, encerrando definitivamente suas atividades internacionais. Seu nome, porém, ficou como sinônimo de um fenômeno ainda sem paralelo na história do xadrez!

    Apresentamos a seguir uma amostra de seu estilo de jogo. Seu adversário foi o mestre russo-belga Victor Soultanbeieff e esta partida teve como cenário Liége, por ocasião do Torneio Internacional efetuado nessa cidade belga em 1930.

Torneio international Liége, 1930
Brancas - V. Soultanbeieff
Pretas - Sultan Khan
PD - Def. Índia da Dama ECO E16

1 d4 Cf6 2 Cf3 b6 3 c4 e6 _4 g3 Bb7 5 Bg2 Bb4+ 6 Bd2 Bxd2+ 7 Cbxd2 0 0 8 0-0 c5 9 Dc2 Cc6 10 dxc5 bxc5 11 e4 Dc7 12 Tfe1 d6 13 Tac1 h6 14 a3 Cd7! 15 Dc3 a5! 16 Ch4 g5 17 De3! Dd8! 18 Cf3 De7 19 h3 Tab8! 20 b3 Ba8! 21 Cb1 Cde5! 22 a4? Cxf3+ 23 Bxf3 Cd4 24 Bd1 f5! 25 eXf5 TXf5 26 Tc3 Tbf8 27 Tf1 Tf3! 28 Bxf3 TXf3 - as Brancas abandonaram.  - A Dama das Brancas estava rendida, para onde fosse seria capturada ou perderia valioso material: a) 29 De1 Txc3 30 Dxc3 (Se 30 Cxc3 Cf3+) 30 ... Ce2+; b) 29 Dd2 Txc3 30 Cxc3 Cf3+!; c) 29 DC1? Ce2+.

 
 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: XADREZ JUVENIL :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO