: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   RONALD CÂMARA    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
 

      Muito antes de destacar-se como Mestre Nacional de Xadrez, bicampeão brasileiro, dirigente e árbitro internacional, Ronald Câmara já havia obtido projeção como cronista especializado, colaborando nas mais diversas publicações do país e do exterior.
     
Forjado na escola idealista de
Gilberto Câmara, herdou do seu pai os dotes jornalísticos e o acendrado entusiasmo pela arte de Caíssa.
      Assim, desde os primórdios de suas atividades como jogador, nos idos de  1946,  Ronald   desenvolveu   um   intenso  trabalho  de  divulgação  e proselitismo, culminando em 1960, com o
lançamento do livro de crônicas "Peões na Sétima" - que teve franca aceitação e generosa acolhida.
       Decorridos mais de 50 anos de proveitosa experiência, dentro e forado tabuleiro, esse mestre cearense produziu outro significativo livro, intitulado
"No Mundo dos Trebelhos".
    
Embora verse essencialmente sobre assuntos enxadrísticos, abordando interessantes e variados temas, eletrizantes partidas magistrais e figuras exponenciais do
"top-board" mundial - esse livro de Ronald Câmara sobressaiu-se também pelo seu conteúdo literário e pitoresco, tendo alcançado ampla  repercussão junto  ao  público  em  geral,  notadamente perante os aficionados da arte que mereceu do genial Goethe a lapidar definição de "pedra de toque da inteligência".

 

      Ronald Câmara é figura exponencial do xadrez brasileiro desde 1960, quando se sagrou campeão brasileiro.Em 1972, encerrou suas atividades no tabuleiro como participante de certames amistosos e oficiais e passou à condição  de  dirigente  enxadrístico,  figurando  durante  seis  anos como vice-presidente técnico da Confederação Brasileira de Xadrez e durante quatro anos como presidente da Zona Sul-Americana da "Fédération Internationale des Échecs" - FIDE. Deu com isso extraordinário impulso à prática do xadrez no Brasil, destacando-se, entre as suas realizações, a do memorável Torneio Interzonal de Petrópolis, cm 1973.  É também um dos mais fecundos escritores brasileiros sobre a arte de Caissa, com colaborações no país e no exterior, sobressaindo as respeitáveis colunas que manteve sobre xadrez nos jornais "O POVO" e "DIÁRIO DO NORDESTE", ambos de Fortaleza, Ceará. 

 

   

Crônicas de Ronald Câmara

Suspense à Hitchcock
O legado do reverendo
O enxadrista Machado de Assis
Um drible à la Garrincha!...
Qual das duas é a mais bela?
Um pecado capital
Tributo a uma extraordinária personalidade
Um preito de saudade
O Golpe na Nuca
Um intrépido partidário do dragão
Famoso com um lance apenas !
Um Xátria do Tabuleiro
Poligrafia do Cavalo
Uma expressiva mensagem
Cassandra às avessas
"El Greco" na Olimpíada de Istambul
Os Prêmios de Beleza no Xadrez
Dragão à Mineira
A Síndrome de Penrose
O Príncipe e o Plebeu
Pacato, Pacatinho, Pacatal ...
Alexey Shirov, O "Baratinado"!
Os Peões acrobáticos ...
Uma Missão Impossível
O Peão e suas peculiaridades
O pecadilho do abade Durand
"In Vino Veritas"
Uma instrutiva lição
O Barão e o Camponês
Cegueira Enxadrística
Meu Reino por um Cavalo!
O Fenomenal Zukertort
O Cometa de Halley do Tabuleiro
Crepúsculo de um Astro
Sua majestade o erro !

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: ARQUIVO :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO