: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
 

  Bosna 2000 - 2
 

 

 

    Do Chess Super Tournament Bosna 2000, categoria 19, ainda em curso na heróica Sarajevo, selecionamos o material a seguir.

     A. SHIROV (2.751) x (2.702) V. TOPALOV (3ªrod. Sarajevo, 19.05.00 — Francesa, C 11)

     1 e4 e6 2 d4 d5 3 Cc3 Cf6 4 Bg5 dxe4 5 Cxe4 Be7 6 Bxf6 gxf6
     Sem se importar com a cessão do centro, essa variante Burn, tal como a Rubinstein, prioriza o imediato desenvolvimento do bispo de c8, seja com ...Bd7/Bc6 (Rubinstein), seja via ...b6/Bb7 (Burn), razão pela qual muitos a denominam como variante Burn/Rubinstein). 7 Cf3 (na rodada anterior desse torneio, o próprio Topalov preferira 7 Dd2 b6 8 g3 Bb7 9 Bg2 Dc8! 10 f4 0-0 11 Bf3 Cc6 12 0-0-0 Td8 13 Dg2!? Cxd4! 14 Cxf6+ Bxf6 15 Bxb7 Dd7!! 16 Cf3 Tab8 17 c3 Txb7 18 Cxd4 Dd5, 1/2-1/2.
Topalov-Morozevich.

    7... a6
     Um lance interessante, empregado amiúde por Morozevich, visando não apenas fianchettar seu bispo, mas também já promovendo uma escalada na ala onde as brancas pretendem rocar. As respostas mais comuns eram 8 Dd2/Bc4/Bd3/g3. Por exemplo, nessa mesma rodada, na mesa vizinha, Kasparov jogou 8 g3 b5! 9 Bg2 Bb7 10 De2 Cd7 11 0-0 0-0! 12 Tadl Bd5 13 Tfel Rh8 14 Cfd2 c6 15 c4 bxc4 16 Cxc4 a5 e as pretas obtiveram uma cômoda posição, não obstante um resultado negativo, imerecido, vitimando Mikhail Gurevich.

     8 c4!
    Aí está: há três semanas, durante o quadrangular (Spassky,
Shirov, Lautier, Hauchard) Torneio do Senado, em Paris, o ex-campeão mundial Bóris Spassky comentava sobre essa linha da Francesa, que Shirov não apenas combate como também adota. E ele chamou a atenção de Shirov para 8 c4!, inédito na prática magistral. Em verdade, além de inibir a pretendida expansão das pretas na ala da dama, esse lance notabiliza a maioria (4 x 3) das brancas nessa ala. Quanto ao planejado e agora enfraquecido 0-0-0, dependerá apenas do gráu de ousadia do condutor das brancas.

    8... f5 9 Cc3 Bf6 10 Dd2 c5
    Para valorizar seu par de bispos e o domínio das casas pretas, Veselin apressa-se em detonar o centro e abrir a posição. Depois da partida, ambos concordavam que a reação das pretas devia ser essa, mesmo. Mas isso propiciará o surgimento do ‘‘peão de Keres’’, razão principal de toda a estratégia dessa partida.

    11 d5! 0-0 12 0-0-0! e5
     Enquanto o Hiarcs-7.32 concorda com o sentido posicional desse lance, o Junior-6.0 prefere a imediata contra-ofensiva 12...b5 ou 12...Da5.

     13 h4
     As pretas ameaçavam ...e4 e ...Bg5.

      13... b5 14 d6!
      Para evitar qualquer perda, ei-lo empunhando, singelo: se flores na mão esquerda, na mão direita um martelo.

     14... Cc6?
      Nenhuma das minhas máquinas consente o próximo avanço do ‘‘peão de Keres’’, sendo que o Hiarcs oferece 14...Bd7/Be6 e o Junior 14...e4/Be6. Veselin apostou na colocação acintosa em d4 de um ‘‘cavalo magnífico’’, também conhecido — quando não produz efeito nenhum — como ‘‘burro esplêndido’’.

     15 d7!!
     E não, o beliscão desastrado 15 Dd5? Bd7 16 Dxc5 e4 17 Cel Bxc3 18 bxc3 Da5 19 De3 Dxa2, com forte ataque.

     15... Bb7 16 Dd6!
    
Claro, antes que as pretas fechem o portão com ...Cd4; o peão de d7 pode estar condenado, mas ainda valerá vários bônus de guerra, quando do assalto à cidadela do rei preto.

     16... e4 17 Cd5 Bg7 18 Cg5 Cd4
     Ou então, 18...h6 19 f4! Da5 20 Rb1 Tad8 21 Be2! Cd4 22 Ce7+! Rh8 23 Dxc5 Cxe2 24 Cxf5+-; ou 23...Txd7 24 Txd4 Bxd4 25 Dxf5 Rg7 26 Ce6+! Rh8 27 Cxf8+-. Se 18...Db8 19 Cf6+! Bxf6 20 Dxf6 De5 21 d8=D! Taxd8 22 Txd8!! Dxf6 23 Txf8++-; e finalmente, 18...Db8 19 Cf6+! Rh8 20 Dxb8 Taxb8 21 d8=D! Tbxd8 22 Txd8 Cxd8 23 Cgxh7!+-.

     19 Ce7+
     A meta de ataque das brancas é conseguir jogar Df5, criando um indefensável gatilho de mate.

    19... Rh8 20 Th3 — diag. 1
     Essa é a posição chave da partida; análises posteriores demonstraram que a melhor continuação para as pretas era 20...b4, ‘‘levando o jogo a grandes complicações’’ — Topalov. Isso, depois de descartarmos 20...Db8 21 Dxc5 Df4+ 22 Td2 Tad8 23 Cd5!? Bxd5 24 Dxd5 Ce6 25 g3! De5 26 Dxe5 Bxe5 27 Cxe6 fxe6 28 cxb5+-. Ou então, 20...Da5 21 Dxc5 Dxa2 22 Txd4 Dal+ 23 Rc2 Dxfl 24 Dxf5+-. O Junior recomenda 20...b4!, com um índice vantajoso para as pretas de -0.38. Exemplo: 21 Txd4!? cxd4 22 c5 Da5 23 Bc4 b3! 24 Bxb3 Del+ 25 Bdl Dxf2 26 c6 d3 27 Da3 e3, ganhando.

   
   20... f4?! 21 Rbl b4
       O lance certo no momento errado; impunha-se uma reação mais direta, como 21...Tb8!?, ainda que o Junior registre uma suspeita vantagem das brancas, depois de 22 cxb5 axb5 23 Cc8 Bxc8 24 Dxb8 Dxd7 25 Dxf4 Dg4! 26 Dd2 f6!, com uma gama enorme de variantes, que dificilmente poderiam ser analisadas pelo humano engenho — ainda mais com o matraquear de um relógio a nos tolher os mais sublimes ou levianos devaneiros.

     22 Be2!! — diag. 2
     O tático sabe, o jogador de ataque intui; não serve agora 22...Cxe2 23 Dxc5 e as pretas, sem poder jogar 23...Dxd7, não têm meios válidos de impedir o funesto Df5). 22... f3!? 23 gxf3 Cxe2 24 Dxc5 Cf4 (tanto 24...f6 quanto 24...h6 levariam ao mesmo e desastroso resultado.

     25 Df5 Cg6 26 h5! Dxe7 27 hxg6, 1-0.
     Em qualquer livro elementar sobre tática, vocês encontrarão um arremate similar: 27...fxg6 28 Txh7+ Rg8 29 Dxg6 Tf6 30 Th8+!! Rxh8 31 Dh7++. Toda essa linha merece uma severa revisão.


    Na posição do diag.3 (Short-Kasparov, 6ªrod. 23.05.00), com ambos no zeitnot, Short equivocou-se no último lance de seu controle de tempo e jogou 40 Rh4??, quando podia empatar com 40 Tc7! Kasparov devolveu-lhe o favor, jogando 40...Th2+??, deixando escapar o ganhador 48...Tg8! 41 g4 (41 Rh3 Rg5 42 g4 Rf4!) 41...Tf4 42 Rh3 (42 Txd6 Tfxg4+ 43 Rh3 Rh5) 42...Tgxg4 43 Tc7 Txe4 44 Txb7 Rg5 45 Tg7+ Rxf5 46 Txg4 Txg4 47 Ta5 Tc4, liquidando a partida. O show continuou com 41 Rg4 Tf2 42 Tc7!! Será que Kasparov esperava que Short errasse fatalmente duas vezes contra ele numa única partida?

     42...Tg8+ 43 Rh3 Tf3 44 Txd6 Tgxg3+ 45 Rh2 Rg5 46 Tg7+ Rf4 47 Txg3 Txg3 48 Txf6 Tg7 49 Tb6 Rxe4 50 f6 Tf7 51 Rg3 Rf5 52 a5 e4 53 c4 Re5 54 Rg4 Tf8 55 Rg3, 1/2-1/2.

     Kasparov passou pela Sala de Imprensa, aos berros de ‘‘É incrível! Deixei de dar mate em dois!’’. E escafedeu-se, em vigoroso galope. No seu encalço, pressuroso e aflito, acudia-o seu fiel escudeiro e treinador Yuri Dojoian, que devia pensar seriamente em fazer um oportuno curso de veterinária.

 
 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: XADREZ JUVENIL :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO