: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
de
Hélder Câmara


   26/03/2005                 

Anand domina com folga o 14º “Melody Amber”
Sete vitórias e um único empate (rapid) contra Kramnik



 


 

            
                              
Monte Carlo Grand Hôtel

    No Monte Carlo Grand Hôtel, de Mônaco, entre 19 e 31 deste mês, realiza-se o 14º Melody Amber (às cegas e rápidas), um supertorneio de 2726 pontos-ELO, categoria 20, sob as expensas (193.250 euros) do mecenas holandês J. J. van Oosterom, pai da homenageada.


    Não obstante a participação do maiores nomes do topboard magistral, essas modalidades compõem-se de partidas rápidas de 25 minutos, ritmo sedutor de se assistir, mas sempre carente de consistência técnica.

   Em quatro rodadas (8 partidas), Anand cedera apenas um empate, numa avassaladora demonstração de superioridade – ele, que agora passou a ser o Número Um, com a aposentadoria precipitada de Kasparov do mundo caissano.
                                 
                                          
                                                                  
Shirov x Anand (1ª rodada)
   

      A. Shirov (2713) x (2786) V. Anand (1ª rod. Mônaco, 19.03.2005 – Caro-Kann, B 12).

      1 e4 c6 2 d4 d5 3 e5

      Essa antiga variante do Avanço, ressuscitada por Mikhail Tal, goza atualmente da preferência da maioria dos super GM-As. Além da vantagem de espaço, as brancas, mantendo um forte centro de peões, impedem o desenvolvimento normal das peças adversárias.

      3...Bf5 4 Be3 Db6 5 Dc1 e6 6 c4! dxc4!

      Algo como 6...Ce7?! 7 c5! Da5+ 8 Bd2 Dc7 9 Cc3 Cd7 10 Be2 h6 11 b4! g5 12 g4 Bg6 13 h4! e as pretas sucumbiram por asfixia, 1-0 in 30. Kasparov x Shirov, rapid Moscou 2002.

       7 Bxc4 Ce7 8 Ce2

      Ou então, 8 d5?! Da5+ 9 Bd2 Dc5 10 Be3 Da5+, empatando.

      8...Dd8 9 0-0 Cd7 10 Cg3 Bg6 11 Cc3

      As brancas precisam explorar sua enorme vantagem em desenvolvimento para compensar a “fraqueza eterna” de d4. Mas, como?.

      11...Cf5! 12 Bg5 Db6

      O “natural” 12...Be7 ensejaria 13 Bxe7 Cxe7 14 Td1! 0-0 15 Bb3 Cb6 16 Cce4 Bxe4 17 Cxe4 e as brancas criariam um trampolim ameaçador em d6.

      13 Cxf5 Bxf5 14 Td1 h6 15 Bh4 Db4 16 Be2 g5! 17 Bg3 h5! 18 h4?!

      Jogador de ataque sendo atacado é um desastre e Anand faz com que Shirov prove de seu próprio veneno; era melhor 18 d3! g4 19 Bh4 gxf3 20 Bxf3 Bh6 21 Bg5! Bxg5 22 Dxg5 Dxb2 23 Tac1 h4 24 Be4! e as brancas estariam superiores em +0.38, segundo o Fritz-8.

      18...gxh4 19 Bxh4 Bh6 20 f4!?

      Consoante análise anterior, impunha-se 20 Bg5!.

      20...Cxe5!?   (diag. 1)




 

      está: um lance bom e de efeito numa partida rápida, porém mau e inconsistente numa oficial. Todos os meus softs registram 20...Tg8 para tentar igualar.

      21 a3!

      Claro, se 21 dxe5 Bxf4 22 a3 Db6+ 23 Bf2 Bxc1 24 Bxb6 Bxb2 e as pretas predominariam, -0.44.

      21...Db6 22 Ca4 Da5 23 dxe5 Dxa4 24 Dc5?!

      As brancas estariam muito bem, depois de 24 b4! 0-0 25 Td7 etc..

      24...Bf8 25 Df2 Da5 26 b4 Db6 27 Td4!? Bc2  (diag. 2)



 

      Era enganoso 27...c5 28 a4! a6 29 a5 Dc6 30 Bd1! com graves ameaças; a idéia de 27...Bc2 é centralizar o bispo em d5, além de impedir Tad1.

      28 Ta2?

      No zeitnot, Shirov não viu 28 Bc4!, ameaçando 29 Ta2 e 30 Tad2; por exemplo, 28...Be7 29 Bxe7 Rxe7 30 Ta2 Bf5 31 Dh4+! Re8 32 Tad2, com posição ganhadora.

      28...Bb3 29 Tad2 Bd5 30 f5! Dc7 31 Bf6! Th6

      Aqui, Shirov dispunha de dois lances de acordo com a posição: 32 Dg3, perdendo, e 32 Dh4, ganhando.

      32 Dg3?? Txf6, 0-1.

 

0o0o0o0o0o0o0o0o0o0o0o0o0o0o0o0o0o0o0o0o0

 

     Brancas (Leko): Rg1, Df1, Ta7, Tf6, Bg2, b3, b5, d2, e2 – 9 peças; Pretas (Svidler): Rg8, Dg3, Tb8, Tg5, Bh3, d5, e4, f7, h7 – 8 peças.

 


 

      Nesta posição (às cegas), Svidler acabou de jogar ameaçadoramente 25...Tg5. Leko defendeu-se com 26 Tf2 e terminou por perder em 45 lances. Uma prova de que ele não domina o jogo às cegas, senão teria jogado 26 Tg6+!! ganhando incontinenti.

      Brancas (Anand): Rc2, Be1, Cd1, c4, e5, f4 – 6 peças; Pretas (Topalov): Ra2, Bd8, Be6, a4, c5, c6, f5 – 7 peças.

   


      Aqui
(rapid), Anand acabou de jogar 43 Cd1, permitindo 43...Bxc4. Topalov jogou 43...Ra3? 44 Cb2 Be7 45 Bc3 Bf8 46 Cd3!, 1-0. Não havia como escapar da rede de mate: 47 Bb2+ e 48 Cc1#.



                                                          Estudos e problemas
 

772   A   (A. Golubev, Shakhmatnaya Kompozitsia, 1986) 1 Cd6 e2 3 Cf7+ Rh5
                3 Ce5 e1=D (3...e1=C 4 d5 Cxg2 5 d6 Cf4 6 Rf7+-; 4...Cc2 5 d6 Cd4 6
                g4+ Rg5 7 Cf3++-) 4 g4+ Rg5 5 Cf3+ Rxg4 6 Cxe1 Rf5 7 Rf7 g5 8
                Cc2 g4 9 Ce3+ Re4 10 d5 Rxe3 11 d6 g3 12 d7 g2 13 d8=D g1=D 14
                Db6++-.


         B   (W. Speckmann, Deutasche Schachzeitung, 1961) 1 Da8! Cb6 2 Da1+
               Tg1 3 Dh8#; 1…Ca7 2 Dh8+ Th3 3 Da1#.
             

 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: ARQUIVO :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO