: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
 

  Magistral Najdorf - 1 
 

 

 

   Em Buenos Aires, na Argentina, realiza-se entre 18 e 27 deste mês o XI Magistral Miguel Najdorf (2.577 — Categoria 14), reunindo dez destacados ases do tabuleiro internacional. Por ordem de rating: 1. Anatoly Karpov (Rússia 2699) 2. Niguel Short (Inglaterra 2677) 3. Judit Polgar (Hungria 2656) 4. Victor Bologan (Moldávia 2641) 5. Gilberto Milos Jr. (Brasil 2633) 6. Vadim Milov (Suiça 2626) 7. Rafael Leitão (Brasil 2567) 8. Pablo Ricardi (Argentina 2488) 9. Facundo Pierrot (Arg. 2423) 10. Diego Flores (Arg. 2358).

     J. POLGAR (2.656) x (2.677) N. SHORT (3ªrod. Mag. Najdorf, Buenos Aires, 20.09.00 — Francesa, C 11) 

     1 e4 e6 2 d4 d5 3 Cc3 Cf6!?
     Normalmente, Nigel opta pela variante Nimzowitch, 3...Bb4, com a qual vem obtendo ótimos resultados.

     4 e5 Cfd7 5 f4!
     Esse lance de
Steinitz data de 1885 e sua virtude não se resume apenas em reforçar o centro, mas também esboçar o natural ataque na ala do rei.

     5... c5 6 Cf3 Cc6 7 Be3 cxd4 8 Cxd4 Bc5 9 Dd2 a6!?
     Uma continuação que a princípio pareceria um despropósito, anulando de vez o bispo de c8, mas a idéia é justamente promover sua atuação através ...b5/b4/a5 e, aí então, ...Ba6. Há, porém, quem prefira o esvaziamento da posição com 9...Bxd4 10 Bxd4 Cxd4 11 Dxd4 Db6!? 12 Dxb6 Cxb6 13 a4 a5! 14 Rd2 Bd7 15 b3 Re7 16 Te1 Tag8 17 h4 h6 18 Bd3 g5!, com equilíbrio, 1/2-1/2 in 34. Short-Korchnoi, FIDE WC Groningen 1997. Em outro exemplo fundamental, encontramos 9...0-0 10 0-0-0 a6 11 h4 Cxd4 12 Bxd4 b5! 13 Th3 b4 14 Ce2 a5 15 Be3 Dc7 16 Bxc5 Cxc5 15 Cd4 a4 18 Rb1 a3 19 b3 Ba6! e no mínimo as pretas igualaram, 0-1 in 35. Judit-Shirov, Praga 1999.

     10 0-0-0 Cxd4 11 Bxd4 0-0 12 Bxc5 Cxc5 13 Dd4!  
     É evidente que a escalada das brancas será sempre na ala do rei e Judit vai promovê-la, mas não sem antes estabelecer um completo domínio central; o mais comum é deixar o centro tensionado e jogar 12 h4 b5! 13 h5 b4 14 Ce2 a5 15 De3 Dc7 16 Rb1 Ba6! e as pretas têm um jogo promissor, 0-1 in 31. Topalov-Morozevich, Sarajevo 1999 — DIÁRIO POPULAR, 29.05.99.

     13... b6 N 14 Rb1 Bb7 15 Bd3! Tc8 16 The1 Dc7 
     Parece-nos muito tímida essa reação das pretas, quando o padrão seria 13...Dc7/b5/b4/a5 e finalmente ...Ba6.

     17 g4! f6 
     Aqui, Nigel revela sua clara intenção de demonstrar que o ataque das brancas é passível de ser detido, daí seu sereno posicionamento na ala da dama. Ocorre, porém, que ninguém deve descansar tranquilo com uma pantera faminta rondando sua tenda.

18 f5! Cxd3 19 cxc3 exf5 20 gxf5 fxe5 21 Txe5 Dc5!? 22 Dg4!      Judit recusa a oferta de um peão, que resultaria num final de torres, depois de 22 Dxc5 Txc5 23 d4!? Tc7 24 Cxd5 Bxd5 25 Txd5, quando ela precisaria também de um milagre para vencer; agora, sem poder impedir o próximo 23 d4, Nigel verá seu bispo transformar-se em mero expectador da partida.

     22.. b5 23 d4 Dd6 
     Segundo o Junior-6.0, seria um desastre 23...Dc4? 24 Te7 Tf7 25 Txf7 Rxf7 26 f6! gxf6 27 Dd7+ Rf8 28 Dxb7 b4 29 Dxh7 bxc3 30 Tg1, ganhando.

    24 h4 Tc7 25 Te6! Dd8 26 Tf1 Tcf7 27 Te5!
     As pretas parecem zugadas, sem lances objetivos que fazer; ainda assim, não se vê com clareza como o ataque das brancas possa progredir, mesmo com a perspectiva razoável de avançar o peão-h. Nesse caso, então, seria forçoso que as pretas esboçassem alguma reação, como movimentar a ala da dama, escapando à sua própria amorfia.

     27... b4 28 Cd1 a5 29 Ce3
      Olhem só, a auto-suficiente dama em g4 defende o peão de d4, que defende a torre de e5, que defende o cavalo de e3, que defende a torre de f1, que defende o peão de f5; no entanto, isso apenas não basta para vencer.

     29... Rh8 30 h5! a4!? 31 Dg2!? b3 32 a3 Dh4 
     Já era hora de Nigel começar a desconfiar de que Judit não ia lhe entregar de graça uma casa assim (h4), com todas os confortos da modernidade...

     33 Td1! 
     Um lance estranho, mas astutamente efetivo: Judit deixa o centro e a ala do rei sob controle, provocando a visita da dama adversária nessa ala para, aí então, com sua dama, fazer uma razia lá do outro lado, mudando por inteiro seu plano estratégico e revelando então o logro em que Nigel se meteu.

     33... h6 
     Uma chance razoável para as pretas seria 33...Bc8 34 Df3 Tf6 35 Ra1 Dg5 36 Tf1 T6f7 37 Dxd5 Dxh5 38 f6 Dg6 39 fxg7+ Dxg7 40 Tc1, embora a iniciativa ainda permanecesse com as brancas.

     34 De2! Tc7 35 Db5! 
     Aí está, a dama branca tem um salão de baile inteirinho só para si; a verdade é que não se abriram colunas e as torres, todas elas, atacando ou defendendo, se prestaram a um papel decorativo; o mesmo aconteceu com bispo e cavalo. Assim, somente as damas, com sua maleabilidade, podiam atuar com eficiência e Judit compreendeu isso mais depressa do que Nigel.

     35... Te7?
     Um lance desastrado, típico do zeitnot, quando Nigel ainda dispunha de 35...Bc6! 36 De2 Tfc8 e o Júnior ainda assinala uma ligeira vantagem para as pretas. Mas é claro que Judit podia evitar essa linha, embora não se vislumbrasse uma maneira clara para ela efetivar sua superioridade posicional.

     36 f6!!
      Um golpe terrível, definitivo: se 36...Tef7 37 fxg7+ Txg7 38 Dxa4+- ou então, 36...Dxf6? 37 Tf1!,
ganhando.

     36... Txe5 37 fxg7+ Rxg7 38 dxe5 De4+ 39 Ra1 Tf7
     Se 39...Dxe3 40 Dxb7+ Tf7 41 Dxd5+- ou 39...d4 40 Dd7+ Rh8 41 Dd6! +1.17. Agora, Judit arremata a posição, combinando ameaças de mate com ganho de material.

     40 Tg1+ Rh7 41 Cg4! Bc6
     Se 41...Dd4 42 Cf6+! Txf6 43 Dd7+ e 44 Dg7++.

     42 Dxc6 Dxg4 43 Dg6+!, 1-0.

 
 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: XADREZ JUVENIL :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO