: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
 

   Kasparov e o Campeonato Mundial da FIDE
 

O Número Um do ranking mundial faz oportunas observações sobre o novo e controvertido modelo do WCC 
 

 

A - Br. jogam e ganham


B - Mate em 3 lances

    Ninguém pode ficar indiferente às declarações do melhor jogador da atualidade, Garry Kasparov, principalmente em se tratando dos aspectos técnicos e competitivos do xadrez magistral. E é com judiciosa coerência que ele reprova a deturpadora inovação de reduzir ainda mais o tempo de reflexão para a conclusão de uma partida.

     — A mudança do controle de tempo afetou sobremaneira a qualidade de jogo dos participantes. Em Las Vegas e Nova Delhi (campeonato anteriores) aconteceram partidas bem mais interessantes, com idéias originais nas aberturas, lutas intensas e jogos inventivos. Todos tinham mais tempo. Dessa vez, não. E é sintomático que GMs como Gelfand e Anand, para evitar surpresas e garantir um empate, adotassem nas etapas decisivas a variante 3...dxe4 da Francesa.

     Assim começa a entrevista que o "Number One" concedeu ao site que leva seu nome (http://www.kasparovchess.com/), o mais credenciado portal enxadrístico da Internet. E instigado por seu entrevistador Denis Bilunov, ele vai desfiando suas acerbas impressões. Por exemplo, não seria esse tipo de abertura (ou defesa) uma forma específica, uma preparação especial em face a um sistema nocaute?    

— Não. Isso atende apenas às novas condições de jogo, a esse novo controle de tempo. Não se viram partidas agudas, como uma variante Najdorf, que demandam muito tempo em sua preparação e que por isso mesmo estão desaparecendo da prática magistral. Não se vê mais o aprofundamento de análises enfocando a transição da abertura para o meio-jogo, que isso está se tornando coisa do passado, sem utilidade prática.        

   
Baseados em observações de Kasparov, vejamos a luta que definiu   um dos finalistas desse movimentado WCC da Fide.

     V. Anand (2797) x (2731) V. Ivanchuk (Semifinal, WCC, 6.4, Moscou, 13.12.2001 -- Siciliana, B 30)
 1 e4 c5 2 Cf3 Cc6 3 Cc3 e5!? 4 Bc4 d6 5 d3 Be7 6 Cd2 Cf6
Vassily não se deixa seduzir pela prematura eliminação de seu bispo de casas pretas com 6...Bg5!? 7 Cf1 Bxc1 8 Txc1 Cge7 9 Ce3 0-0 10 0-0 Rh8 11 Dd2! N f5 12 exf5 Cxf5 13 f4! Cxe3 14 Dxe3 Bf5 15 Tf2! Bg6? 16 Cd5+/- com superioridade, não obstante 0-1 in 35. Ivanchuk-Krasenkov, Polanica Zdroj/POL 1998.

7 Cf1 Cd7
"Um lance relativamente raro, pretendendo vigiar a casa d5 com o cavalo em b6, mas sem se desfazer da possibilidade de trocar o bispo cego de e7 com um salutar ...Bg5. Esse plano um tanto original confundiu Anand, que mesmo com brancas falhará na tentativa de obter vantagem na abertura" — Kasparov.

8 Cd5 Cb6 9 Cxb6 axb6 10 c3 0-0 11 Ce3 Bg5 12 0-0 Rh8
Os lances das pretas fluem naturalmente e é essa comodidade que se deve condenar no comportamento de Anand, que não procura sequer dificultar o jogo do seu adversário, como se o empate fosse um ótimo resultado. E era.

13 Bd2 Bxe3 14 fxe3 De7
Ninguém deve elogiar a ligeira vantagem de bispo por cavalo, enquanto o tabuleiro estiver cheio de peões.

15 Bd5 Be6 16 Db3 Ca5!? 17 Dc2
Claro, se 17 Dxb6?? Ta6 18 Db5 Bd7-+.

17...Dc7 18 h3
"As trocas favorecerão as brancas; cedo ou tarde, as pretas capturarão em d5, quando as brancas, com um peão em d5, terão uma posição preferível. No entanto, Anand não nos convence com esse 18 h3, enfraquecendo sua ala do rei. Era melhor 18 c4 Cc6 19 Tf3 Bxd5 20 exd5 Ce7, com a iniciativa das brancas" — K.

18...h6 19 c4 Cc6 20 Dd1 Bxd5 21 exd5 Ce7
Todos os peões se encontram no tabuleiro. E enquanto um bispo corre por espaços vazios, um cavalo salta sobre peões.

22 a4 - diag.1
"A posição crítica se estabelece depois desse lance. Anand vai optar por um plano equivocado com 23 Bc3 e principalmente com 24 Db3 - quando as brancas estarão com as peças na direção errada e sua posição entrará em colapso por causa disso. Em minha opinião, a dama branca devia situar-se em h5 — não com o propósito de ataque, mas para dominar aquele setor. Para avançar d4, não era necessário sequer o Bc3. O plano correto era manter a ala da dama com a4 e b3, transferir a dama para a ala do rei e duplicar as torres na coluna-f. Depois, então, as brancas abririam a posição. Por exemplo, 22 Dh5 f5 23 a4 Dd7 24 b3 Tf6 25 d4! com vantagem" — K.

22...f5 23 Bc3?
"Anand joga sem espírito. Seu senso de perigo está abaixo da crítica. Aparentemente, ele tem tanta certeza do empate que nem se apercebe de quantos problemas essa posição pode lhe causar. A seqüência 23 Dh5 Tf6 24 b3 Taf8 25 Tf2 ainda merecia consideração - K.

23...Tf7 24 Db3?
Agora, sim, com a total ausência da dama é que a ala do rei das brancas ficará em perigosa orfandade.

24...Cg6 25 Tf2 Taf8 26 Taf1 f4! 27 Bd2 f3! - diag.2
"Um lance muito forte; as brancas têm dificuldades para se defender: sua dama e seu bispo estão ausentes e não participam da batalha. Anand não vai conseguir resolver os problemas dessa posição difícil" — K

 28 Txf3
Se 28 gxf3 Dd7 29 Rh2 Tf5! com um ataque muito forte.

28...Txf3 29 gxf3
Agora, se dá o contrário: se 29 Txf3 Txf3 30 gxf3 Ch4 31 Dd1 Df7 32 Rf2 Df5 com posição ganhadora.

29...Dc8 30 Rh2 Tf5! 
Vejam como o distanciamento da dama branca a impede de mesmo com dois lances defender o ponto crítico de h3.

31 f4 Th5 32 f5
No caso de 32 Tf3 Dg4! 33 Tg3 — 33 Dd1? Txh3+! — 33...De2+ 34 Tg2 Df3! 35 Tg3 Df2+ 36 Tg2 Txa3+! 37 Rxh3 Dh4#.

32...Txf5 33 Dd1 Df8 34 Txf5
Não parece melhor 34 Rg1 Ch4 25 e4 Txf1+ 26 Dxf1 Df3! 37 Be1 De3+ 38 Bf2 Dg5+ 39 Rh1 Cg6 e as pretas estão muito superiores.

34...Dxf5 35 De2
"As pretas dispõem de um ataque de dama e cavalo, enquanto as brancas têm inúmeras fraquezas. Por um tempo apenas, Anand não pode consolidar seu centro com e4 e isso decide a partida"— K.

35...e4! 36 Dg4? - diag.3
"Esse final sem damas está ganho para as pretas; se o peão preto permanecesse em e4, o cavalo se postaria devastadoramente em f3. Assim, o viável seria 36 dxe4 De5+ 37 Rh1 Dxb2 ou mesmo, 37...Dxe4+ 38 Dg2 Dd3 39 Bc3 Rh7 e as brancas apenas protelariam o desenlace" — Kasparov.

36...Dxg4 37 hxg4 Ce5! 38 Rg3 exd3 39 b3 g6 40 e4 h5! 41 gxh5 gxh5 42 Rf2 h4!, 0-1.

 

 

 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: XADREZ JUVENIL :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO