: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
 

  Match WDR
 

 

 

    Em Colônia, na Alemanha, a televisão local WDR realiza todos os anos um match em duas partidas confrontando dois destacados GM-As, num ritmo promocional de 60 minutos para cada um completar a partida. Este ano, o russo Vladimir Kramnik venceu o húngaro Peter Leko por 1.5 a 0.5, mantendo assim uma difícil invencibilidade. Em outras versões desse evento, ele já derrotara GM-As do porte de Judit Polgar e Michael Adams.

V. KRAMNIK (2.770) x (2.743) P. LEKO (1ªp. 60’ Colônia, 14.08.00 — Siciliana, B 47)

     1 e4!!
     A frase de José Ingenieros conserva ainda hoje sua vigência e sonoridade: ‘‘Yo soy yo y la circunstancia!’’. É claro que Peter devia estar preparado e esperando o indefectível 1 d4 de Vladimir. Ocorre, porém, que um dos preceitos básicos do xadrez nos orienta no sentido de frustrar os planos de nosso adversário, inutilizando assim toda a sua adrede preparação teórica.

     1... c5 2 Cf3 e6 3 d4 cxd4 4 Cxd4 Cc6
     Segundo a teoria, para combater a Paulsen, as brancas dispõem da formação de Maroczy, 5 c4, do simplificador golpe de Morphy, 5 Cxc6, e da complexa proposta de Tarrasch, 5 Cb5, sendo que esta última redundaria na variante Lasker (B 33) — exatamente a preferida de Kramnik.

    5 Be2 Dc7 6 Cc3 a6  7 0-0 b5 8 Cxc6 dxc6 9 Be3
     Com ou sem Be3, as principais opções são 9 f4 ou 9 a4. Por exemplo, 9 a4!? Bb7 10 axb5 cxb5 11 Cxb5!? axb5 12 Bxb5+ Re7 13 Txa8 Bxa8 14 Dd3 Dd6 15 Dc3 f6 16 Da5!? — o Júnior-6.0 indica o terrível 16 Bf4!! — 16...Bc6 17 Da7+ Bd7 18 Bf4 e5 19 Be3 Re8 20 Bc5!, 1-0. Horvath-Mastrovasilis, Groningen 1999.

      9... Bb7 10 f4!
      As brancas não se incomodam com a expulsão de seu cavalo (...b4), porquanto depois de Cb1-Cd2 elas passariam a dominar a casa c4, de onde esse cavalo poderia escoicear até o pensamento do jogador das pretas.

     10... c5
      O verdadeiro ‘‘paulseniano’’ deve ter nervos de aço e coração de gelo. A Paulsen é a única, maravilhosa e absurda variante em que as pretas passam toda a fase da abertura pererecando apenas com as peças da ala da dama, mesmo sabendo que um dia terão de fazer o pequeno-roque. Ainda assim, ninguém deve, Catilina, abusar do cartaz de retranqueiro do atual desafiante (outubro) de Kasparov. Uma rápida amostra: 10...Be7 11 De1 c5 12 Bf3 b4 13 Ca4?! Cf6 14 e5 Cd5 15 c3 Bc6! 16 Bxd5 exd5 17 Cxc5 Bb5 18 cxb4 Bxf1 19 Dxf1 Dc6 20 f5 0-0 e as pretas venceram, 0-1 in 45. Klovans-Gustafsson, Hamburg 1999.

     11 f5!
     
O que se conhecia era 11 e5 Td8 12 Del Ce7 13 Bf3 Cf5 14 Bxb7 Dxb7 15 Bf2 Be7 16 De4 Dc7 17 Tad1 0-0, com igualdade, 1/2-1/2 in 43. Dremin-Nesterov, Moscou 1995. Vladimir explora a inércia da ala do rei adversária e fustiga seus pontos mais nevrálgicos, e6 e f7.

     11... Td8?!
      O Junior recomenda 11...Bd6, embora depois de 12 fxe6 fxe6 13 Cxb5! Bxh2+ 14 Rh1 De5 15 Ca3 Cf6 16 Cc4, haja um registro de +0.26 para as brancas. Já se fosse no Olímpico Club (Rio) de minha época, pelo menos no relâmpago, a turma aproveitava a torre em d8 e passava o rei por trás dela, completando o 0-0-0. Markus, o ‘‘polaco nervoso’’, arregalava uns olhos quintuplicados pelos seus óculos tipo fundo de garrafa e perguntava aturdido ‘‘E pode? E pode?’’. Ao que nós explicávamos fajutamente ‘‘Claro! O que não pode é primeiro passar o rei pelo xeque e puxar a torre depois’’.

     12 De1 Cf6?!
       Aí está, justamente quando não devia é que
Peter Leko desenvolve uma peça na ala do rei; aqui, se 12...exf5 13 Bf4! Dc6 14 Bf3+-. Assim, outra vez 12...Bd6 era o recomendado: 13 fxe6 fxe6!? 14 Dh4 Cf6 15 Bh5+ Rd7 e o roque artificial ensejaria uma boa defesa; ou mesmo, 12...Bd6!? 13 fxe6 Bxh2+ 14 Rh1 Cf6 15 exf7+ Rxf7 16 Df2 Bg3 17 Df5 De5 18 Bxc5 The8, com posição sustentável.

    13 fxe6! fxe6 14 Bf4! e5
     Vladimir garante a casa d5 para o seu cavalo; não servia 14...Dc6? 15 Bf3! ou 14...Db6 15 e5! Cd5 16 Bg5! ou ainda, 14...Bd6? 15 e5!, ganhando.

     15 Bg5 Be7 16 a4!! c4
     Com 16...b4, as pretas cederiam suas importantes casas brancas (c4-g8); Vladimir quer antes enfraquecer o que for possível na posição das pretas, para depois então exibir uma raridade no seu estilo, um capablanqueano perfil tático. Óbvio, depois de 16...b4 17 Bxf6! Bxf6 18 Cd5! Bxd5 19 exd5 Td6 20 Bh5+ g6 21 Bg4, com palpável superioridade.

     17 axb5 axb5 18 Rh1 b4
     O aparentemente bom 18...Bc6 seria um desastre: 19 Bxf6 Bxf6 20 Bh5+ Re7 21 Cxb5! Bxb5 22 Db4+, com grande vantagem.

     19 Bxf6! Bxf6 20 Cd5
   
  O Junior indica o mais preciso 20 Bh5+! Re7 21 Cd5+ Bxd5 22 exd5 Dc5 23 De4 Txd5? 24 Txf6! gxf6 25 Dg4! ou até 24 Ta7+ Dxa7 25 Dxd5 Tf8 26 Db5 Db8 27 Dxc4, com posição ganhadora. Se (20 Bh5+!) 20...g6 21 Txf6! bxc3 22 Dh4! Tf8 23 Te6+ Rf7 24 Bg4 h5 25 Tf1+ Rg7 26 Bf5! ou 26 Tf5!, ganhando.

     20... Bxd5 21 exd5 Dc5?
     A última chance das pretas seria rocar e entrar num final com material a menos, mas com bispos de cores opostas.

    22 Bh5+ Re7 23 Dg3
    De acordo com análises anteriores, era melhor 23 De4, mantendo as pretas zugadas.

      23... g6
     
O Junior sugere como mal menor 23...Ta8 24 Tad1 Thd8 25 Txf6 gxf6 26 Dg7+ Rd6 27 Dxf6+ Rc7 e as pretas conservariam suas chances de empate.

    24 Txf6! Rxf6 25 Tf1+ Rg7 26 Bxg6!! hxg6 27 Dxe5+ Rg8
    Se 27...Rh6 28 Tf4! g5 29 Tf6+ Rh5 30 g4+! Rxg4 31 Dg3+ Rh5 32 Dh3++.

      28 De6+ Rh7 29 Tf7+ Rh6 30 Dh3+ Rg5 31 Dg3+! Rh5 32 De5+!, 1-0.
      Depois de 32...Rh6 33 Tf4, chegaríamos à perdida posição da análise anterior.
 

 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: XADREZ JUVENIL :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO