: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
 

  Linares - 3
 

 

 

     Os números são implacáveis e contra a sua objetividade matemática os argumentos subjetivos podem muito pouco. Pitágoras locuta, causa finita. Mas não custa nada espiar o quadro sinóptico para comprovar que ‘‘o melhor dos emergentes’’, Leko, não venceu uma única partida sequer.






SuperGM Linares  (ESP), 28/02 -10/03/2000 cat. XXI (2752)
                                     1  2  3  4  5  6         
1 Kramnik, Vladimir g    RUS  2758   ** == == 1= == 1= 6.0 2822
2 Kasparov, Gary g       RUS  2851   == ** == == 1= 1= 6.0 2803
3 Leko, Peter g          HUN  2725   == == ** =0 == == 4.5 2721
4 Khalifman, Alexander g RUS  2656   0= == =1 ** =0 == 4.5 2734
5 Anand, Viswanathan g   IND  2769   == 0= == =1 ** 0= 4.5 2712
6 Shirov, Alexei g       ESP  2751   0= 0= == == 1= ** 4.5 2715


     O percentual de vitórias desse torneio pode determinar o desinteresse em promover provas assim, tão elitizadas. Capivara quer ver é sangue. E se vier com suor e lágrimas, melhor ainda.

 G. KASPAROV (2.851) x (2.725) P.LEKO (5ªrod. Linares, 04.03.00 — Grunfeld, D 97)

1 d4 Cf6 2 Cf3 g6 3 c4 Bg7 4 Cc3 d5 5 Db3 (Sistema Russo) 5...dxc4 6 Dxc4 0-0 7 e4 a6
No mínimo, o mestre magiar é coerente, ao empregar essa aguda variante húngara; no recente match Khalifman-Leko (Budapeste, jan/2000), Leko jogou 7...Ca6 e 7...c6. Como se vê, ele faz jus ao epíteto de ‘‘o GM-A mais bem preparado teoricamente da atualidade’’. E outra, corre o boato de que ele mantém contato constante com o lendário Bobby Fischer, que vive hoje em Budapeste e que era um fervoroso usuário desse esquema defensivo. Quem sabe, com esse convívio ele consiga contaminar-se também com a febre de vitórias que fez de Fischer o maior enxadrista de todos os tempos.

 8 Be2 b5 9 Db3 c5! 10 dxc5 Bb7 11 0-0 Cxe4 12 Cxe4 Bxe4 13 Bg5 Cc6 14 De3 Dd5! 15 Tad1 De6! N
 Ou então, 15...Df5 16 Bh6 Bxh6 17 Dxh6 f6 18 Cd4 Cxd4 19 Txd4 Tfd8 20 Dd2 Txd4 21 Dxd4 Bc6, com igualdade, 1/2-1/2 in 26. Piket-Sokolov, Georgia 1999.

 16 Bh6 Bf5!? 17 Bxg7 Dxe3 18 fxe3 Rxg7
 Devia ser esse o final almejado por Kasparov, desde que ele começou a reduzir o número de peças. O peão em c5, passado, está praticamente a mais, uma vez que a compensação das pretas — seus 4 x 3 peões na ala do rei — não é suficiente para abrandar sua inferioridade. O Hiarcs-7.32 registra uma vantagem de +0.74 para as brancas e oferece a continuação 19 Cd4!? Be4 20 Tf4 Cxd4 21 exd4 Bd5 22 Bf3 Bxf3 23 Txf3. Kasparov, porém, queria mais. E vai conseguir, vocês verão.

 19 a3 Tfd8 20 b4 Bc2 21 Txd8 Txd8 22 Tc1 Be4 23 Rf2! Rf6! 24 g4 h6 25 h4 Re6! 26 Td1
 Kasparov confessou que perdeu muito tempo analisando a conveniência das trocas: se de cavalos, de bispos ou de torres. É claro que se ele conseguisse trocar tudo, então, é que seria ideal, pois seu peão de c5 lhe asseguraria a vitória. Assim ele pensou, assim eu pensei. E vocês, também.

 26... Bxf3!! 27 Txd8 Bxe2!! 28 Tc8 Rd7! 29 Txc6 Rxc6 30 Rxe2
Ou seja, o próprio Leko, louco, provocou a troca geral e entrou nesse final de peões completamente perdido....

 30... f6!
 O Hiarcs assinala esse lance como o melhor e consigna um índice de superioridade para as brancas de +0.42, insuficiente para ganhar. Será?

  31 Rd3 e6! 32 Rd4 g5! 33 h5
 De nada adiantaria 33 hxg5 hxg5 34 e4 e5+!, empatando.

 33... Rd7! 34 e4 Rc6 35 e5 f5! 36 gxf5 exf5 37 e6 f4! 38 Re4 Rc7!, 1/2-1/2.
 

 Depois de balançar negativamente a cabeça um sem-número de vezes, Kasparov declarou: ‘‘É incrível que não se possa ganhar esse final de peões’’. O vegetariano Leko olhou seriamente para Kasparov e não deixou por menos: ‘‘Incrível? Seria, isso sim, um escândalo, se esse final estivesse perdido. Eu calculei tudo e vi que era empate!’’.

 Vejamos agora sua preparação teórica em outra variante da Grunfeld.

 V. ANAND (2.765) x (2.725) P. LEKO (6ª rod. Linares, 05.03.00 — Grunfeld, D 85)

 1 d4 Cf6 2 Cf3 g6 3 c4 Bg7 4 Cc3 d5 5 cxd5 Cxd5 6 e4 Cxc3 7 bxc3 c5 8 Tb1
 Os teóricos rotulam essa linha como ‘‘moderna variante do câmbio’’.

 8... 0-0 9 Be2 cxd4 10 cxd4 Da5+ 11 Bd2 Dxa2 12 0-0 Cd7!? 13 Te1 Cb6 14 Ta1 Db2 15 h3 f5 16 Tb1 Da2 17 Dc1 Rh8!? 18 Ta1 Dg8 19 Ba5 fxe4 20 Bxb6 exf3 21 Bxf3 Bxh3!  22 Txa7 Bxg2 23 Rxg2
Se 23 Txa8? Bxf3 24 Txf8 Dxf8 25 Dc5 Bf6 -+0.71; ou então, 23 Bxg2? Txa7 24 Bxa7 Da2!, com superioridade.

 23... Db3! 24 Dd1 Dxb6 25 Txb7 Df6 26 Texe7 Ta1! 27 Txg7 (se 27 De2 Dh4!-+) 27...Txd1 28 Txh7+ Rg8 29 Bd5+! Tf7 30 Tbxf7 Dg5+ 31 Rh3 Dxd5 32 Thg7+, 1/2-1/2.


  A única derrota de Leko constituiu-se exatamente na única vitória de Khalifman, que assim descontou um pouco o desastrado resultado do recente match travado entre ambos, quando Leko venceu pelo acachapante escore de 4.5 a 1.5.

  A. KHALIFMAN (2.656) x (2.725) P. LEKO (8ª rod. Linares, 08.03.00 — Grunfeld, D 85)

 1 d4 Cf6 2 Cf3 g6 3 c4 Bg7 4 Cc3 d5 5 cxd5 Cxd5 6 e4 Cxc3 7 bxc3 c5 8 Tb1 0-0 9 Be2 cxd4 10 cxd4 Da5+ 11 Bd2 Dxa2 12 0-0 Bg4!?
 Esbanjando conhecimento e evitando repetir variantes (12...Cd7), Leko esperava surpreender seu adversário, que por sinal é outro GM-A esmeradíssimo na preparação das linhas que joga.

  13 Bg5 h6 14 Be3! Cc6 15 d5 Ce5 16 Txb7
Nessa variante moderna, a luta estratégica gira em torno desse ‘‘peão de Keres’’, quando as brancas tentam avançá-lo e as pretas, detê-lo.

 16... e6 17 d6! Tfd8 18 Te1 Bxf3 19 gxf3! Da5 20 Tf1! Bf8 21 d7! Da2 22 Bb5!
 Segundo Khalifman, ‘‘depois desse lance, as pretas estão em crise’’. No entanto, até ontem, a teoria dizia que após 22...a6 23 Ba4 Cxf3+, as pretas estariam bem....

 22... a6 23 Ba4! Cxf3+ 24 Rg2! Ce5
 Se 24...Ch4+ 25 Rh3 Dc4 26 f3 Be7 27 Tf2 Dc3 28 Dd4 Da5 29 Bxh6 Bf8 30 Bxf8 Txf8 31 Rxh4! Rh7 32 Rh3, 1-0. Haba-Skytte, Cappelle la Grande, 2000. Ou seja, esquecerem-se de acrescentar que ‘‘as pretas estariam bem... perdidas!’’.

 25 Bb6 Dc4 26 Dd4 Dxd4 27 Bxd4 Cd3 28 Bc6 Cc5 29 Tc7 Bd6 30 Bxc5 Bxc7 31 Bxa8 Txa8 32 Be7!+- Td8 (32...Bd8 33 Tc1!+-) 33 Td1! f5 34 Bxd8 Bxd8 35 exf5 gxf5 36 Td6 Rf7 37 Txa6 Re7 38 Rg3 Bc7+ 39 Rh4 Rxd7 40 Ta7! Rc6 41 Txc7+!!+- Rxc7 42 Rh5 e5 43 Rxh6 Rd6 44 Rg5! Re6 45 h4 f4 46 h5 f3 47 Rg4!, 1-0.

 
 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: XADREZ JUVENIL :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO