: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
de
Hélder Câmara


   17/07/2005                 

Partidas vibrantes no Magistral de Dortmund

 

SPARKASSEN
CHESS
MEETING
2005
8 to
17 July 2005

    Em Dortmund, na Alemanha, realiza-se entre 7 e 17 deste mês um dos mais fortes magistrais da atual temporada, com 2709 pontos-ELO, categoria 19.
 
     Por ordem de rating, anotamos: 1) Veselin Topalov, Bulgária 2788; 2) Peter Leko, Hungria 2763; 3) Vladimir Kramnik, Rússia 2744; 4) Peter Svidler, Rússia 2738; 5) Etienne Bacrot, França 2729; 6) Michael Adams, Inglaterra 2719; 7) Emil Sutovsky, Israel 2674; 8) Peter Nielsen, Dinamarca 2668; 9) Loek Van Wely, Holanda 2655; 10) Arkadij. Naiditsch, Alemanha 2612.
 
     Essa prova, contrariando os padrões “normais” de tantos magistrais com forças equilibradas, vem-se notabilizando pelo seu aguerrimento traduzido em vibrantes partidas.

     
                                     
                                                             Kramnik x Topalov (3), Dortmund/2005                    


   

     V. Kramnik (2744) x (2788) V. Topalov (3ª rod. Dortmund, 10.07.2005 – Catalã, E 06).

     1 d4 Cf6 2 c4 e6 3 Cf3 d5 4 g3!?

     Esse Sistema Catalão, ideado por Tartakower e executado em homenagem à cidade de Barcelona em 1929, mescla a ortodoxia do domínio central (d4) com o seu controle à distância (Bg2), de acordo com os revolucionários princípios da então emergente escola hipermoderna (1921), patrocinada por Nimzowitch, Reti e Breyer.

     4...Bb4+ 5 Bd2 Be7! 6 Bg2 0-0 7 0-0 c6

     A idéia dessa “proa de Titanic” (c6, d5, e6) é inutilizar o “bispo catalãoem g2, mas isso não impede que as brancas possam mais adiante detonar o centro com e4.

     8 Bf4

     Ou então, 8 Dc2 b6 9 Bf4 Ba6 10 Cbd2 Cbd7 11 Tfd1 Tc8 12 Tac1 Ch5 13 e4!? Cxf4 14 gxf4 Cf6 15 Ce5 Ch5 16 Da4 Bxc4 17 Cxc6 b5 18 Da6 Txc6! 19 Dxc6 Cxf4 e as pretas venceram, 0-1 in 61. Radjabov x Topalov, Wijk aan Zee 2003.

     8...b6 9 Cc3 Ba6 10 cxd5

Outrora, recomendava-se, antes, 10 Bxb8 Txb8 e somente então, cxd5 exd5 12 Da4 Dc8 13 Ce5 etc. Hoje, considera-se que essebispo mauem f4 teologiza direitinho.

     10...cxd5

     A lógica induz o Deep Shredder 9 a recomendar o alívio das trocas 10...Cxd5! 11 Cxd5 cxd5 12 Tc1 Bd6 13 Ce5 De7 14 Te1 Bb7 15 Cd3, com leve superioridade das brancas, +0.42.

     11 Tc1 Cc6?! (diag. 1)
 


     Esse lance foi uma desastrada novidade in Ponomariov x Topalov, Sofia maio/2005: 12 Cxd5 Dxd5 13 Ce5 Cxd4 14 Bxd5 Cxe2+ 15 Dxe2! Bxe2 16 Bxa8 Txa8?! 17 Tfe1 Bb5 18 Tc2 Cd5 19 Tec1 Bc5 20 Bd2! f6 21 b4! Bf8 22 Cg4 e as brancas impuseram sua vantagem material, 1-0 in 40. O que se conhecia era 11...De8 12 Ce5 Bb7 13 Da4 Dxa4 14 Cxa4 Ca6 15 a3 Tac8, com igualdade, ½-½ in 52. Sosonko x Karpov, Bruxelas 1987.

     12 Cxd5 Dxd5 13 Ce5 Cxd4 14 Bxd5 Cxe2+ 15 Dxe2! (diag. 2)

 



     Kramnik segue o vitorioso caminho indicado por Ponomariov, sem se deixar iludir por 15 Rh1 Cxd5 16 Da4 Bb7 17 Dd7 Tab8 18 Cc6 Cdxf4 19 gxf4 Cxc1 20 Txc1 Bc5 21 Rg1 Bxc6 22 Dxc6 Tbc8 e as pretas estariam bem, -0.52 DS-9.

     15...Bxe2 16 Bxa8 Txa8?!

     Topalov insiste na mesma e condenada sequência que o levara à derrota, quando podia seguir com 16...Bxf1!? 17 Bf3, seguido de 18 Tc7, e embora as brancas ficassem melhores, ainda seria longo o seu caminho para a vitória.

     7 Tfe1 Bb5 18 Tc2 Cd5 19 Tec1! Ba6 N  (diag. 3)

 


    
A escandalosa vantagem da qualidade num final aumenta uma média de meio peão a cada troca efetuada. Por exemplo, 19...Cxf4? 20 Tc8+ Txc8 21 Txc8+ Bf8 22 gxf4 f6 23 Cc6, ganhando.

     20 Bd2 f6 21 Cc4 Td8 22 a3 Rf7 23 Ce3! h5 24 Cxd5 Txd5 25 Bb4!

     Tal como alertamos, se as brancas conseguirem trocar duas peças terão recuperado o peão de menos.

     25...Bd8  (diag. 4)
 


    
No caso de 25...Bxb4 26 axb4 Rg6 27 Tc7 Td4 28 Txa7 Be2 29 Rg2! Txb4 30 Tcc7 e as brancas manteriam sua vantagem.

     26 Tc6! Be2 27 Td6!! Txd6 28 Bxd6

     Agora, falta apenas trocar o bispo, o que será equivalente a um xeque-mate

     28...Re8 29 Bb8! a5 30 Bc7!! Bf3 31 Tc3 Bd5 32 f4! Rd7 33 Bxd8 Rxd8

     Continuar jogando após essa última troca é imitar um rabo de lagartixa, que continua se movendo mesmo depois de secionado.

     34 Rf2! Rd7 35 Re3 e5 36 fxe5 fxe5 37 Tf1!

     E as pretas não podem impedir que a torre penetre devastadoramente em seus domínios.

     37...a4 38 Tf1! Re6 39 Tf8 b5 40 Tg8! Rf6 41 Tb8!, 1-0.

     Depois de 41...Bc4 42 Re4! e 43 Tb6+ qualquer reação seria inútil.


 Estudos e problemas
 

788   A    (F. Bondarenko & A. Kakovin, Spartak Riga, 1955 – 2º pr.) 1 h7+ Rh8 2 Rc2 a5 3 Be7 a4 4 
                 Ba3! b1=D+ 5 Rxb1 c2+ 6 Ra1! c1=D+ 7 Bxc1 a3 8 Bg5! a2
                 9 Bf6! gxf6 10 Rxa2+-.

         B     (G. Carpenter, 777 Chess Miniatures, 1908) 1 Db1! (zug) 1...c6 2 Rf5! Rd4/Rd5 3 De4/Dd3#.
 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: ARQUIVO :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO