: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
 

  Gol !
 

 

 

    A lista de pessoas famosas que devotavam um especial desvelo ao jogo de xadrez é enorme e seria impossível enumerá-las todas. Alguns nomes, porém, marcaram época: Tutancâmon, Alexandre, Gengis Khan, Napoleão, Franklin, Byron, Einstein, Prokofiev e mais recentemente, Che Guevara e Lennox Lewis (desses, o mais perigoso era mesmo Gengis Khan, pois seu adversário, ganhando ou perdendo, automaticamente deixava transparecer imprudência ou imperícia. Com isso, Gengis  perdia a cabeça e o seu adversário, a sua. Dizem que data desse tempo a diplomática instituição do empate).

     Este ano, comemora-se o jubileu dos 75 anos de
Mark Taimanov, ex-campeão da URSS, Candidato à coroa mundial e relacionado (álbum editado em Londres, 1998) como um dos maiores pianistas do século XX. Suas execuções de Mozart e Rachimaninof são primorosas.          

  O GM alemão Robert Hubner, papirologista, também ex-Candidato, é considerado até hoje como o mais forte enxadrista amador do mundo.

      Um, pianista; outro, papirologista — matérias cerebrinas. E que tal um jogador de futebol, pertencente à seleção nacional de futebol do seu país? É aí que surge a figura incomparável de Simen Agdestein (15.05.67 Noruega 2.590), que já esteve relacionado entre os 100 melhores do mundo (2.610) e é, sem sombra de dúvida, o melhor enxadrista norueguês.

     No começo deste mês, os dirigentes noruegueses promoveram na cidade de Bergen vários eventos com a participação do GM-A espanhol Alexey Shirov, sobressaindo uma simultânea em 25 tabuleiros (+22-2=1, ou seja, 22.5 a 2.5) e um match em quatro partidas, no ritmo de 15’, com Agdestein. O GM norueguês venceu a primeira (gol de cabeça, é evidente), empatou a segunda e somente nas duas últimas não pode conter os superiores lançamentos de seu adversário na zona do agrião, estabelecendo-se então o escore de 2.5 a 1.5 para Shirov.

 

     Agdestein, S. (2.590) x (2.715) Shirov, A. (1ª match 15’ Bergen/NOR, 9.02.01 — Eslava, D 12)
 1 d4 d5 2 c4 c6 3 Cf3 Cf6 4 e3 Bf5 5 Db3 Db6 6 Ch4 Be4 7 Cc3 e6 8 f3 Bg6 9 Bd2 Dxb3 10 axb3 Bc2 11 cxd5 exd5 12 b4 g5 13 Tc1 gxh4 14 Txc2 Bxb4 15 e4 dxe4 16 fxe4 Bxc3 17 bxc3 Cxe4 18 Bh6 Cd7 19 Bd3 Cd6 20 Te2+ Rd8 21 Bg5+ Rc7 22 Bxh4 Tae8 23 Tf1 Txe2+ 24 Rxe2 c5 25 Bg3 f6 26 Bf5! Te8+ 27 Rd3 c4+ 28 Rd2 Te7 29 Bc2 a5 30 Tf5 Tc6 31 Ba4+ Rc7 32 Tc5+! Cxc5 33 dxc5 Tg7 34 cxd6+ Rd8 35 Re3 Tg5 36 Bh4 Te5+ 37 Rd4 Te6 38 Rc5 b6+ 39 Rd5 Te5+ 40 Rc6 Tf5 41 g4 Tf4 42 d7 Tf3 43 g5! Tf4 44 Bg3 fxg5 45 Rxb6! Tf6+ 46 Rb7 Tf4 47 Rb6 Tf6+ 48 Rb7 Tf4 49 Bxf4 gxf4 50 Bc6!, 1-0.

     Agdestein, S. (2.590) x (2.715) Shirov, A. (3ª match 15’ Bergen/NOR, 09.02.01 — Eslava, D 12) 
     1 d4 d5 2 c4 c6 3 Cf3 Cf6 4 e3 Bf5 5 Bd3 Bxd3 6 Dxd3 e6 7 0-0 Cbd7 8 Cc3 Bb4 9 Bd2 a5 10 c5 0-0 11 Ca4 Ce4 12 a3 Bxd2 13 Cxd2 f5! 14 f3 Cef6! 15 b4 axb4 16 axb4 De7 17 Cb3 e5! 18 Ca5 e4! 19 fxe4 Cxe4 20 Cxb7 Cdf6 21 Ca5 Cg4! 22 h3 Dh4!! 23 Tf3 Cg5 24 De2 Cxf3+ 25 Dxf3 Tae8 26 Cxc6 Txe3 27 Dxd5+ Rh8 28 hxg4 fxg4 29 Ce5 Df2+ 30 Rh1 g3!, 0-1.


     As partidas a seguir revelam o enorme talento combativo desse compatriota de Grieg (o compositor Edvard Grieg nasceu em Bergen e sua peça principal "Peer Gynt", deixa transparecer, em inebriantes explosões emocionais, que não é precisamente gelo o que corre nas veias desses inspirados descendentes dos Vickings.

     S. AGDESTEIN (2.610) x (2.630) S. DOLMATOV Tilburg, 1993 – I. Rei, E 70)

     1 d4 Cf6 2 c4 g6 3 Cc3 Bg7 4 e4 d6 5 Bd3
     Dos lances irregulares do Sistema Clássico no combate à sempre eficiente Índia do Rei esse é um dos mais interessantes. As brancas se dispõem a cerrar o centro e atuar na ala da dama, mas sem perder de vista o temático e liberador avanço das pretas, ...f5.

     5... 0-0 6 Cge2 Cc6 7 0-0 Cd7 8 Be3 e5 9 d5! Cd4 10 Tc1!?
     O que se conhecia nessa época (1993) era 10 Bb1 ou 10 Cb5. Como se vê, Simen tem luz própria e, partindo de seus estudos particulares, formulava novidades teóricas. Estas, viáveis ou não, já seriam suficientes para deixá-lo do lado de fora do imenso rebanho dos jogadores cujo mérito maior é ter uma boa memória para poder repetir tudo o que o vade-mécum recomenda. Eu tinha um papagaio... Bom, mas isso é outra história.

     10... c5 11 dxc6-ep bxc6 12 b4 f5 13 exf5 gxf5 14 Bxd4!
     Um cavalo em cinco, dentro do nosso campo, é um peso muito grande para a nossa paciência suportar. E outra, a escola soviética prevê que se um cavalo assim não puder ser removido ou aniquilado, então, o melhor a fazer é começar a pensar desde já na próxima partida...

    14... exd4 15 Ca4 Dg5 16 f4!? Dg6 17 c5! Rh8 18 Cg3?!     
    
Simen Agdestein recrimina esse lance e aponta como melhor 18 Tf3!, com a idéia de seguir com Bb1 (Cxd4) ou 19 Tg3 Df6 20 Tg5!, com várias ameaças.

     18... Cf6 19 Df3
     Ou ainda, 19 cxd6!? Cd5 20 Dd2 Dxd6 21 Tc5, seguido de Ch5 e/ou Tfc1+/-.

     19... d5 20 Tfe1 Bd7
    
A idéia de Sergei Dolmatov é ...Tae8 e ...Te4!, com soberba vantagem.

      21 Te7 Tae8 22 Tce1 h5
     22...Txe7 23 Txe7 Te8 24 De2!+/-.

     23 Txe8 Txe8 24 Txe8+ Dxe8 25 De2! Db8
    
Não servia 25...De3+? 26 Dxe3 dxe3 27 Cxf5; se 25...Dxe2 26 Cxe4, com pressão sobre o ponto d4; e se 25...Dg6!? 26 De5!? Ce4 (26...Cg4 27 De7!) 27 Db8+ Rh7 28 Ce2 e as brancas teriam um jogo preferível – Agdestein.

     26 Cxh5 Dxb4
    
No caso de 26...Cxh5 27 Dxh5+ Rg8 28 g3 Dxb4 29 Dd1 Bf8 30 Dc2!+/- (Agdestein).

     27 Cxg7 Rxg7 28 De7+ Rg6 29 h4!!
     Esse lance tem o condão de liberar o próprio rei e lançar sobre o rei adversário uma ardilosa rede de mate. Agora, se 29...Dd2 30 h5+ Rxh5 31 Df7+! Rg4 32 Dg6+!! Rxf4 33 Dh6++-; se 29...Cg4 30 h5+ Rh6 31 Dg5+ Rh7 32 Dxg4!+-; e se 29...Ce4 30 Bxe4 De1+ 31 Rh2 Dxe4 32 h5+! Rh6 33 Dg5+ Rh7 34 h6+-, ganhando.

     29... Dxa4 30 Be2!!
    
É possível que esse lance tenha escapado às análises do condutor das pretas, que esperava apenas o inócuo ressarcimento material, depois de 30 h5+ Cxh5 31 Dg5+ Rf7 32 Dxh5+ Rf8 etc. Na posição do diagrama, se 30...Ce4 31 h5+ Rh6 32 Df7 Be8 33 Dxe8 Rg7 34 h6+! Rxh6 (34...Rf6 35 De5+ Rf7 36 Bh5+ Rf8 37 Dg7#) 35 Dh8+ Rg6 36 Bh5#; ou 30...Cg4 31 h5+ Rh6 32 Df7 Be8 33 Dxe8 Rg7 34 Dg6+, ganhando (análises de Agdestein). Depois de 30 Be2!!, o Junior-6.0 acusa uma esmagadora vantagem para as brancas de +4.14.

     30... Da3 31 h5+ Rh6
     Na análise de Agdestein, ele aponta, se 31...Cxh5 32 Bxh5 Rh6 33 Dg5+ Rh7 34 Dg6+ Rh8 35 Df6+ Rh7 (35...Rg8 36 Bf7+) 36 Bg6+ Rh6 37 Bf7+ Rh7 38 Dg6+ Rh8 39 Dh6#. Já o Junior diz que dá mate em menos lances: 31...Cxh5 32 Bxh5+ Rh6 33 Df6+!! Rh7 34 Bg6+ Rh6 35 Bxf5+! Rh5 36 Dg5#.

     32 Dxf6+ Rh7 33 De7+! Rh6
     É evidente que se 33...Rg8 34 Dd8+ Rf7 35 Dxd7+ Rg8 36 De6+ Rf8 (36...Rh8 37 Dc8+!) 37 Dxf5+ Re7 39 De5+ Rf7 39 Dc7+ Rf8 40 h6! De3+ 41 Rh2 Dxe2 42 Dg7+ Re8 43 h7! (+12.71, Junior).

     34 Dd6+, 1-0.

      S. AGDESTEIN (2.595) x (2.660) M. ADAMS (Match in Oslo, 1994 – India do Rei, E 62)

     1 Cf3 Cf6 2 c4 d6 3 g3 g6 4 Bg2 Bg7 5 0-0 0-0 6 d4 c6 7 Cc3 Bf5!? 8 Ch4 Be6 9 d5! cxd5 10 cxd5 Bd7 11 h3!N Ca6?! 12 e4?!
    
(12 Be3 Da5 13 a3 Tfc8 14 Bd4 Be8 15 e3 Cd7+/-)

     12... Db6! 13 Tb1 Tfc8 14 Be3 Db4! 15 Te1
     (15 a3 Dc4 16 Te1 Cc5 ×b3, d3)

     15… Cc5 16 Bd2 Be8 17 Bf1 Cfd7 18 Te3 Db6
    
(18…Ce5!? 19 Cb5 Da4 20 b3 Dxa2 21 Cc3 Da3 22 b4 Ca4 23 Cb5 Da2 24 Ta3 Dc2 25 Txa4 Dxd1 26 Txd1 a6-/+.

     19 b4 Ca6 20 Ca4 Dd8 21 Db3
     (O, ×Ca4, c4, Te3, Ch4)

     21... Ce5 22 Cb2 Tc7! 23 Tc3?!
     (23 b5! Cc5 24 Dd1 A Rh2, f4, Cc4)

     23… Txc3 24 Bxc3 Tc8 25 Bd4 Cc4

     26 Bxg7 Cd2 27 Dd3!
    
(27 De3? Cxb1 28 Dh6 – 28 Bxa6 Rxg7; 28 Bd4 Cxb4 – 28…Bd7 A f6, De8/f7-+)

     27... Cxb1 28 Bd4 Tc1 29 De3 Dc8?! 30 Cd3 Td1? 31 Cf5!, 1-0.

 

     NAPOLEÃO BONAPARTE x General BERTRAND (Prisão na Ilha de Santa Helena, 1818 – Escocesa, C 44)
     1 Cf3 Cc6 2 e4 e5 3 d4 Cxd4 4 Cxd4 cxd4 5 Bc4 Bc5 6 c3 De7 7 0-0 De5 8 f4 dxc3+ 9 Rh1 cxb2 10 Bxf7+ Rd8 11 fxe5 bxa1=D 12 Bxg8 Be7 13 Db3 a5 14 Tf8+ Bxf8 15 Bg5+ Be7 16 Bxe7+ Rxf7 17 Df7+ Rd8 18 Df8#.
    
O adversário enxadrístico mais constante do Imperador Bonaparte era o General Michel Ney, seu mais brilhante estrategista, que sempre levava a melhor contra o "terrível corso"em suas tertúlias enxadrísticas.

 

     ALBERT EINSTEIN x J.R. OPPENHEIMER (Universidade de Princeton, 1933 – Espanhola, C 78)
     1 e4 e5 2 Cf3 Cc6 3 Bb5 a6 4 Ba4 b5 5 Bb3 Cf6 6 0-0 Cxe4 7 Te1 d5 8 a4 b4 9 d3 Cc5 10 Cxe5 Ce7? 11 Df3! F6 12 Dh5+! G6 13 Cxg6 hxg6 14 Dxh8 xb3 15 cxb3 Dd6 16 Bh6 Rd7 17 Bxf8 Bb7 18 Dg7 Te8 19 Cd2 c5 20 Tad1 a5 21 Cc4 dxc4 22 dxc4 Dxd1 23 Txd1+ Rc8 24 Bxe7, 1-0. 
    
Julius Robert Oppenheimer encabeçou o Projeto Manhattan, que resultou na fabricação da primeira bomba-atômica. Ele propugnava pela utilização da energia nuclear para fins pacíficos. Por essa pretensão e pelo seu estilo enxadrístico, logo se deduz que ele era de uma inocência maior do que o estrago feito pelo seu artefato de aniquilação em massa.

    
Albert Einstein, o maior gênio do Século XX, era muito amigo do Campeão Mundial Emmanuel Lasker. E a amizade entre ambos era tamanha, que Albert dispunha de liberdade suficiente para atormentar o também matemático Emmanuel, exortando-o a "deixar esse jogo das pedrinhas para enfrentar, com ele, alguns problemas de matemática e física"...

 

 

     MAURICE DELAGE x SERGEY PROKOFIEV (Paris, 1937 – Francesa, C 18)
  Last photograph of Sergei Prokofiev in 1952.   1 d4 e6 2 e4 d5 3 Cc3 Bb4 4 e5 c5 5 a3 Bxc3+ 6 bxc3 Ce7 7 Dg4 cxd4 8 Dxg7 Tg8 9 Dxh7 Dc7 10 Ce2 Cbc6 11 f4 dxc3 12 Dd3 d4 13 Cxd4 Cxd4 14 Dxd4 Cf5 15 Df2 Bd7 16 Bd3 Bc6 17 Tg1 0-0-0 18 Bxf5 exf5 19 g3 f6 20 Dxa7 fxe5 21 Rf2 exf4 22 Bxf4 Dxf4+! 23 gxf4 Td2+! 24 Rf1 Bb5+ 25 Re1 Te8+, 0-1.
    
O autor da obra-prima "Terceiro Concerto para Piano" nasceu na Ucrânia, cresceu em St. Petersburgo, visitou Londres, trabalhou em Chicago, amou em Paris e morreu em Moscou – no mesmo dia, ano, hora e lugar em que morria Joseph Stalin, que, quer queiramos ou não, também era responsável pela existência da KGB, que tantos problemas causou ao inspirado autor do balé Romeu e Julieta.

 

     MIGUEL NAJDORF x ERNESTO CHE GUEVARA (Partida amistosa, La Habana, 1962 – Espanhola, C 93)
     1 e4 e5 2 Cf3 Cc6 3 Bb5 a6 4 Ba4 Cf6 5 0-0 Be7 6 Te1 b5 7 Bb3 d6 8 c3 0-0 9 h3 h6 10 d4 Te8 11 Cbd2 Bf8 12 d5 Ce7 13 c4 bxc4 14 Cxc4 c6! 15 dxc6 Cxc6 16 Be3 Be6, ½-½.      Empate proposto pelo "viejo" Najdorf, que em 1966 venceria um dos mais fortes torneios realizados na Perla Del Caribe, o Memorial José Raul Capablanca.
    
No ano seguinte (1967), o Comandante Che Guevara deixaria o conforto dos gabinetes para empreender sua cruzada de levar pessoalmente e onde pudese ser ouvido a proposta libertária que antes iluminara os caminhos de Simón Bolívar.

 

Soluções 574   
A -  (E. Umnov, Trud, 1928 - 2ªMH) 1 b7 Bh2 2 c4+! Ra6! 3 e7 Te3 4 Be5!! Txe5 5 b8=C+!! (5 b8=D? Txe7! 6 Dxh2 Te8+ 7 Db8 Td8!!-) 5...Rb6/Ra5 6 Cd7/Cc6++-. 
B (G. Zahodiakin, Komsomolskaia iskra, 1964) 1 Tb1! (zug) 1...Cd6 2 Db2+ Dg7 3 Dxg7++; 1...d6 2 Tb7! Ce5 3 Th7++
.

 

 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: XADREZ JUVENIL :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO