: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
 

  León
 

 

 

    Um sucesso sob todos os aspectos, a versão atual do Xadrez Avançado (ou Xadrez do Futuro) que os próceres de León, na Espanha, promoveram entre 8 e 10 deste mês, reunindo quatro dos mais destacados ases do topboard internacional: Viswanathan Anand (atual campeão mundial da Fide), Alexey Shirov, Peter Leko e Veselin Topalov.

     Nesse tipo de competição, cada jogador dispõe de 20 minutos apenas (15 segundos de bônus por lance) para concluir a partida, mas em compensação, a seu lado, à borda do tabuleiro, é colocado um computador de última geração, alimentado pelos mais sofisticados softs enxadrísticos, que armazenam cerca de dois milhões de partidas e que são capazes de calcular até três milhões de lances por segundo.

     A chave para a vitória estará sempre com aquele que souber adequar corretamente a estratégia determinada por suas boas idéias (compreensão da posição) com a tática avassaladora do computador (cálculo infalível de uma infinidade de jogadas). E é evidente também que o melhor jogador, além de esteta, será um prestidigitador por excelência, capaz de fazer fluir do nada o inebriante encanto do xadrez.

     As eliminatórias desse quadrangular se feriram dias 8 e 9, quando Shirov venceu Topalov e, dia seguinte, Anand eliminou Leko. Na final, tivemos portanto o mesmo confronto do último mundial da Fide, em Teerã (dezembro de 2000), Anand x Shirov. E mais uma vez o campeão Anand impôs sua técnica, vencendo pela diferença mínima de 2.5 a 1.5.

     Dentre as partidas desse Magistral de León, uma se destacou pelo insólito de seu desenrolar.

Shirov (2727) x (2707) Topalov (2ª p. León, 08.06.01 — Siciliana, B 33) 
 1 e4 c5 2 Cf3 Cc6 3 d4 cxd4 4 Cxd4 Cf6 5 Cc3 e5 6 Cdb5 d6 7 Bg5 a6 8 Ca3 b5 9 Bxf6 gxf6 10 Cd5 f5 11 Bxb5!? axb5 12 Cxb5 Ta4 13 b4! Txb4 14 Cbc7+ Rd7 15 0-0 Dxc7!? 
Já ocorrera 15...Tb7 16 Dh5 Ce7 17 Dxf7 Rc6 18 Tab1 fxe4 19 Txb7 Rxb7 20 Tb1+ Rc6 21 Tb6+! Rc5 22 Tb3! Rc6 23 Tc3+ Rb7 24 Cxe7 Dxe7 25 Dd5+ Ra7 26 Da8+, 1-0. Shirov-Lautier, Mônaco 2000.

16 c3!!! 
Shirov não quer a dama por três peças, mas a torre e dois peões por duas peças; detalhe surpreendente: seu computador também indicava esse lance absurdo como segunda opção.

16... Txe4!? 17 Dh5 Rd8 
Nunca uma dama foi tão vilipendiada assim, tanto pelo marido que a sacrificou quanto pelo amante que a rejeitou.

18 Cxc7 Rxc7 19 Dxf7+ Be7 20 Tab1 Ba6 21 Tfd1 Tf8 22 Db3 Tb8 23 De6 Txb1 24 Txb1 Bd3 25 Td1 f4 26 Dd5 Bc2 27 Tc1 Te2 28 a4! e4 29 a5 Bd3 30 Ta1 Tb2 31 c4 Tb7 32 a6 Ta7 33 f3 Ce5 34 fxe4 Bxc4 35 Tc1 Txa6 36 Txc4+ Cxc4 37 Dxc4+ Tc6 38 Df7 Rd8 39 Dg8+ Rd7 40 Dxh7 Tc5 41 Df7 Tc1+ 42 Rf2 Tc8 43 Df5+ Rc7 44 De6!, 1-0.

 

— Creio que o xadrez profissional está mais próximo do fim do que se pensa, arrematou Shirov, ante a desmoralização de sua genialidade (16 c3).


 

VOLOKITIN
 

     Guardem esse nome: Volokitin, Andrei Volokitin. Nascido em 11.06.1986, esse jovem MI já me chamara a atenção desde o ano passado, quando, no Open de Biel, Suiça/2000, exibiu um estilo incomum, alternando com soberania compreensão estratégica e sensibilidade tática, coisas difíceis de se encontrar até mesmo em calejados "pegadores" -- esses GMs aventureiros da Fortuna, que globetroteiam de open em open percorrendo todo o Continente europeu.
     Vejam por exemplo essa partida de Biel, quando Volokitin mal completara 14 anos de idade:

C. TOTH (2375) x (2445) A. VOLOKITIN (6ª rod. MTO Open, Biel SUIÇA, 30.07.2000 -- India do Rei, E 97)  
1 d4 Cf6 2 c4 g6 3 Cc3 Bg7 4 e4 d6 5 Cf3 0-0 6 Be2 e5 7 0-0 Cc6 8 d5 Ce7 9 b4 Ch5 10 Te1 f5 11 Cg5 Cf6 12 Be3 h6 13 Ce6 Bxe6 14 dxe6 fxe4 15 Db3 c6! 16 Tad1 Cf5 17 Db1 De7 18 Cxe4 Dxe6 19 g4 Cxe4 20 Dxe4 Ce7 21 Dg2 e4! 22 f3 Bc3! 23 Tf1 exf3 24 Txf3 Txf3 25 Dxf3 Tf8 26 Dh3 Bxb4 27 Dxh6 Bc5 28 Td3 Dxc4 29 Dg5 Dc1+!! 30 Rg2 Dc2!, 0-1.

     Este ano, em Ohrid, na Macedônia, ele não só se classificou entre os 46 primeiros para o próximo Campeonato Mundial da Fide, como fez uma norma para a obtenção do título de GM. Entendam bem: GM, mesmo!

VOLOKITIN (2493) x (2592) V. GEORGIEV (9ª rod. 2º Individual European Chess Championship, Ohrid, 10.06.2001 -- Siciliana, B 70)  

1 e4 c5 2 Cf3 Cc6 3 d4 cxd4 4 Cxd4 Cf6 5 Cc3 d6 6 Be2 g6!?
Na certeza de ter escapado do Ataque Iugoslavo, cuja eficiência se configura quando as brancas desenvolvem seu bispo em c4 (Bc4), Vladimir adota a sempre fascinante Variante do Dragão (...g6), prenunciando assim um embate de golpes vigorosos.

7 Cb3 Bg7 8 Bg5 0-0 9 Dd2
 A imensa maioria das partidas nessa linha registra a continuação 9 0-0, posto que, com esse bispo em e2, as brancas se sentem desestimuladas para persistir no ataque à baioneta (h4), próprio do que se convencionou chamar entre nós de
Ataque São Jorge
-- o querido santo corinthiano que eliminou o pérfido dragão da maldade.

9... a6
Num dos primeiros exemplos dessa variante, encontramos 9...Be6 10 Bh6 Tc8 11 Td1 Ce5 12 Bxg7 Rxg7 13 Cd4 Cc4 14 Cxe6+ fxe6 15 Bxc4 Txc4 16 De2 Dc7 e com esse prematuro esvaziamento da posição, o resultado não podia ser outro, ½-½ in 60. Steiner-Wood, Budapest 1948. Outro exemplo, só que mais recente: 9...a5 10 a4 Be6 11 0-0 Tc8 12 Rh1 Cd7 13 Bh6 Bxb3 14 Bxg7 Rxg7 15 cxb3 Cc5 com igualdade, embora 0-1 in 24. Kuzmin-Kovalev, Ucrânia 2000
.

10 Bh6!
 Já foi experimentado sem sucesso 10 0-0-0 b5 11 h4 h5! 12 Tdg1 Ce5 13 Bxf6 Bxf6 14 Cd5 Bg7 15 Ca5 e6 16 Ce3 Df6 17 Cd1 d5 18 f4 Bh6 19 g3 dxe4 e no mínimo, as pretas conseguiram igualar, ½-½ in 32. Mathonia-Wendel, Suiça 1089. Aqui, Andrei procura eliminar com urgência esse bispo de g7, que em posições assim é todo o esteio da defesa das pretas.

10... b5 11 h4
Uma das funções básicas da estocada Bh6 não é simplesmente a troca dos bispos de casas pretas, mas também impedir que as pretas disponham do salutar recurso ...h5, quando as brancas iniciarem, como já o fizeram, seu ataque à baioneta (h4).

11... b4 12 Bxg7 Rxg7 13 Cd5 Cxe4
É evidente que Andrei podia ter evitado isso, com um cauteloso e anterior 12 a3. Mas se com 15 anos (idade em que o jovem faz o seu debut no fascinante reino da irresponsabilidade) ele não tiver coragem para jogar assim, quando então o fará? Com 51, por acaso? Não, não, isso é uma péssima idéia.

14 De3 f5
 Observem que o GM búlgaro está absoluto no meio do tabuleiro, dispondo dos peões centrais
d, e e f
, daí porque ele se apressa em movimentá-los para evidenciar essa vantagem. No entanto, o meu Chess Tiger--14.0 aponta como melhor 14...Cf6!? 15 Cxf6 exf6 16 h5 Te8! 17 Dd2 Dc7!! 18 0-0-0 Bf5, com uma mínima vantagem para as pretas.

15 h5! g5 16 Bf3!
O Tiger recomenda um ressarcimento na base de 16 f3. Volokitin, porém, explora sua vantagem em desenvolvimento e, induzido por essa voluptuosa febre de ataque que sempre acomete a mocidade, prefere o jogo rápido das peças menores, procurando manter aberta a posição. Por exemplo, 16 f3 e6 17 fxe4 exd5 18 h6+ Rh8 19 exd5 Ce5 e a partida estaria mais distantre ainda de uma definição.

16... Rh6?!
 "Cada macaco no seu galho", diz o refrão. Mas esse galho aí em h6 não parece ser o mais apropriado para o orangotango de Vladimir. Por falar em refrão, há um na minha terra que diz "Macaco que muito se coça quer chumbo!" -- como sugere o presente caso. O Tiger aponta 16...e5, 16...Rh8 ou 16...e6, conferindo às pretas uma posição de ínfima inferioridade.

17 Bxe4 fxe4 18 Dxe5 Bf5 19 De2 Tc8
Parece brincadeira, mas aqui uma das principais opções do Tiger é voltar imediatamente, 19...Rg7, como se o rei preto tivesse sido obrigado a ficar dependurado lá naquele nicho de h6. As outras opções eram 19...e5 e 19...a5.

20 0-0!
A coluna-h perdeu sua utilidade para a torre de h1 e, assim, Volokitin procura otimizá-la na coluna-f, ao mesmo tempo em que resguarda seu rei e ainda aciona aquela torre esquecida em a1.

20... Ce5 21 Cd4! Bg4 22 f3 Bxh5?
 A ausência do bispo dessa diagonal h3-c8 é um desastre. Agora, Andrei (Volokitin) dispõe de várias continuações ganhadoras, como 23 g4 (+-1.83) ou 23 Ce6 (+- 1.38), que provocariam respostas forçadas das pretas. Com o lance do texto (23 De3), certamente explorando o zeitnot de Vladimir, ele deixa no ar a terrível ameaça 24 Ce6, obrigando a inexistente melhor continuação de seu adversário.

23 De3!? Dd7
No caso de 23...Cc4 24 De6+ Rg7  (24...Bg6?? 25 Dh3++- ou 24...Tf6?? 25 Cf5++-)  25 Dh3! De8  (25...Bf7 26 Cf5+ Rh8 27 Dh6 Tg8 28 Cdxe7+-) 26 Ce6+ Rg8 27 Cxf8 Rxf8 28 Tae1, com um vitorioso índice de +-3.95.

24 f4! Cc4  25 De6+ Dxe6 26 fxg5+!!
O terrível lance intermediário, liquidando qualquer chance de reação. E o mais brilhante ainda é que mesmo sem dama, Volokitin vai armar um singular rede de mate para envolver seu oponente.

26... Rg6 27 Cxe6 Txf1+ 28 Txf1 Bg4
Triste contingência, uma vez que o "salvador" 28...Te8 ensejaria o contundente 29 Cxe7+! Txe7 30 Tf6#.

29 Cxe7+ Rh5 30 Cxc8 Bxe6 31 Cxd6! Cxb2 32 Tb1! Ca4 33 Txb4 Cc3 34 Ce4! a5 35 Tb6, 1-0.

Esses últimos lances se assemelham àqueles chutes que os condenados dão nas pernas de seu carrasco antes da execução.


Solução 591
A
(L. Zalkind, Sydsvenska Dagbladet, 1913-15 - 3º prêmio) 1 h7+! Rxh7 2 Ba4! Txb2+ 3 Bc2+!! Txc2+ 4 Rf3 Tc3+ 5 Rf4 Tc4+ 6 Rf5+- — Tema Romano. 
B
(K. Slobodeniuk, 64, 1978 — 2º prêmio) 1 Ta2! (zug) 1...h2 2 Txh2 h5 3 Txh5++: 1...Rh8 2 Rg6! e 3 Ta8++; 1... h5 2 Ta5! e 3 Txh5++.

 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: XADREZ JUVENIL :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO