: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
 

   Linares - 3
 

No returno, mais empenho e disposição para o combate animaram a maior festa do xadrez magistral
 

 

A - Br. jogam e ganham



B - Mate em 3 lances

 

 Como era esperado,Garry Kasparov, venceu pela sétima vez (quarta consecutiva) o supertorneio de Linares, na Espanha, rate-médio de 2732 pontos-ELO, categoria 20, realizado entre 22 de fevereiro e 10 de março. Ele totalizou, invicto, 8 pontos em 14 possíveis, distanciando-se 1.5 pontos do segundo colocado, GM-A ucraniano Ruslan Ponomariov.

     A espetacular atuação do jovem Ponomariov (11.10.83) é capaz de provocar uma polêmica surrealista, posto que para a sua consagração, o 2º lugar em Linares foi mais importante do que o seu recém conquistado título de campeão mundial da Fide. E em Linares, ele demonstrou um aguerrimento incomum, estilo sóbrio e ambicioso, defendendo com brilhantismo o prestígio de um título que já pertenceu a Mikhail Tal.

     A partida decisiva do torneio ocorreu na penúltima rodada:

G. Kasparov (2838) x (2727) R. Ponomariov (13ª rod. Linares, 09.03.02 - Francesa, C 10)
1 e4 e6?! 2 d4 d5 3 Cc3 dxe4 4 Cxe4 Cd7 5 Cf3 Cgf6 6 Cxf6+!
É provável que o treinador de Ruslan, GM Viktor Bologan, tenha-se louvado nos dois únicos exemplos envolvendo Gazza nessa linha, quando ele optou por 6 Bd3 e 6 Bg5, ambas contra Anand no Blitz Final da Islândia, 2000. Desconfiado, Kasparov — camaleão de inigualável mimetismo —- mudou completamente seu comportamento técnico. Detalhe absurdo: essa era a primeira vez (!!) que Ponomariov empregava a defesa Francesa...

6...Cxf6 7 c3 c5 8 Ce5!? Cd7?
Olha aí, essa é a maior prova de que Ruslan não é "francês", do contrário jogaria de olhos fechados 8...a6!, impedindo a incômoda incursão episcopal em b5. Ou mesmo 8...Da5!? com razoáveis contrachances.

9 Bb5! Bd6
Não resolvia 9...cxd4 10 Df3! Df6 11 Cxd7 Dxf3 12 Ce5+ Dc6 13 Cxc6 a6 14 Cxd4+! axb5 15 Cxb5 com muita vantagem.

10 Dg4
Entre outras continuações, Garry opta pela mais agressiva. Bologan apontou o interessante 10 Cc4! Be7 11 dxc5 Bxc5 12 Cd6+ Bxd6 13 Dxd6 De7 14 Dxe7+ Rxe7 15 Be3 e o par de bispos, o controle das casas pretas e a maioria na ala da dama transformariam a iniciativa das brancas em considerável superioridade.

10...Rf8
Nem há melhor: 10...0-0? 11 Bxd7! f5? 12 Dd1!! Bxd7 13 Cxd7 Dxd7 14 dxc5+- ou 11…Bxd7 12 Bh6! g6 13 Bxf8 e o Chess Tiger 14.0 assinala um vitorioso índice de +1.60.

11 0-0!?
A vantagem das brancas em desenvolvimento e espaço está a reclamar sacrifício de material, desde que isso lhes assegure a imediata atuação de suas torres na coluna-d.

11...Cxe5 12 dxe5 Bxe5 13 Bg5! Bf6
No caso de 13...h5? 14 Tad1! Bxh2+? 15 Rh1 Db6 16 Be7+ Rg8 17 Dg5! e todas as peças brancas atuam; ou então, 13...f6 14 Tad1 De7 15 Be3 e outra vez a precária posição do rei preto seria alvo de um insuportável assédio.

14 Tad1 Dc7?!
Gazza admite que seria melhor 14...De7, mas as brancas teriam um jogo preferível, após 15 Bxf6 Dxf6 16 Dg3! g6 17 Dc7 Rg7 18 Dxc5 a6 19 Bd3, com um favorável registro do Tiger de +0.59.

15 Dh4!
Kasparov podia recuperar material com 15 Bxf6 gxf6 16 Dh4 Re7 17 Tfe1 a6 18 Bf1 Bd7 19 Td5! Tag8 20 Th5! Tg7 21 Th6 Tg6 22 Txh7 etc. Mas posicionalmente vale muito mais manter o adversário sob pressão.

15...Bxg5
Depois de 15...Re7, Kasparov propõe 16 f4 a6 17 f5! e5 18 Bc4!; ou 17...axb5?! 18 fxe6 De5 19 Bxf6+ gxf6 20 Tde1 Dg5 — se 20...Ta4 21 Dh6 Dg5 22 exf7+ Be6 23 Txe6+ Rxe6 24 f8=D Txf8 25 Dxf8+ — 21 exf7+ Be6 22 De4, ganhando.

16 Dxg5 f6 17 Dh5 g6
Evidente, se 17...Re7 18 Tfe1! a6 19 Bc4 b5 20 Bxe6! Bxe6 21 Txe6+! Rxe6 22 Dd5+ Re7 23 Te1+ e ganham.

18 Dh6+ Rf7 19 Td3?!
 
Essa sinalização é do próprio Gazza, lamentando sua imprecisão. Em suas análises para o site kasparovchess.com ele relata que analisara 19 f4 a6 20 Bc4 f5! (20...b5? 21 f5!+-) 21 g4! b5 22 gxf5 bxc4 23 fxg6+ Re8! (23…Rg8? 24 Tf3!+-) ”e aqui, depois de 24 f5, as pretas dispõem do forçado e bom 24...Tg8“. E ele conclui com rara humildade: ”Depois de chegar a essa posição, não vi nenhuma maneira forçada de vencer. Somente nas análises post-mortem, Yuri Dokhoian (seu segundo) apontou-me corretamente o melhor, 19 Td2!, que eu não percebera, obcecado que estava apenas com a manobra de torre-tanque, Td3-h3. Depois de 19 Td2! a6 20 Ba4! b5 21 Bc2 (ameaçando 22 Bxg6+), não se vê como as pretas possam se livrar dessas ameaças. Por exemplo, 21...Bb7 22 Tfd1 Bd5 23 Be4 recuperando material e ainda mantendo pressão; e se 21...f5 22 Tfd1, as brancas depois de colocar uma torre em d6, empurrariam o peão-h —- manobra que demoliria as defesas adversárias“.

19...a6 20 Th3 De7?!
As pretas dispunham de 20...Bd7! e as brancas teriam de se conformar com o empate que adviria de 21 Bxd7 Dxd7 22 Dxh7+ Txh7 23 Txh7+ Re8 24 Txd7 Rxd7=.

21 Bd3 f5
As brancas ameaçavam 22 Dxh7+ Txh7 23 Txh7+ Rf8 24 Txe7 Rxe7 25 Bxg6, extraindo pelo menos um peão de toda essa trama.

22 g4!
"Até então, Ponomariov jogava rapidamente e encontrara sempre os mais brilhantes lances defensivos. A partir daqui ele vai se revelar inseguro, indeciso. Em verdade, não se pode dizer que as pretas dispõem de uma defesa precisa”, disse Kasparov.

22...Df6
Ou 22...Df8 23 Df4 Bd7 24 gxf5! gxf5 25 Bc4 Tg8+ 26 Tg3 Txg3+ 27 fxg3 Rg6 28 Td1 Df7 29 g4!+-; Kasparov extrai o máximo da posição.

23 Td1! b5
Depois de 23...fxg4 24 Te3 b5 25 f3! gxf3 26 Be4 as pretas estariam mais perdidas.

24 Be2 e5
Parece melhor 24...Ta7, sem abrir perigosamente a posição. E se 25 De3 Tc7 ou 25 Dxh7+ Txh7 26 Txh7+ Dg7 27 Txg7+ Rxg7 28 Td8 Bb7 29 f4 fxg4 30 Bxg4 Rf6 ainda restaria um longo caminho para a vitória.

25 Thd3 Ta7?
Kasparov avalia
“dificilmente defensável a posição das pretas” e atribui como “igualmente perdedor 25...fxg4 26 Td6 Df4 27 Dh4 Ta7 28 Td8+- ou 27...Be6 28 Txe6+-”. Ao que parece, ele não viu o fino recurso 25...fxg4! 26 Td6 Df4 27 Dh4 g3!! e sem damas, o ataque das brancas se estiolaria. Nesse caso, correto seria 27 Txg6! Dxh6 28 Txh6 e a sua chance estaria na enorme fraqueza dos peões pretos.

26 Td6 Dg7 27 De3! Tc7 28 a4! e4
Depois de 28...Tf8 29 axb5 axb5 30 Bxb5 Rg8 31 Bc4+ Rh8 32 Td8+-, com fácil triunfo.

29 axb5 axb5 30 Bxb5 De5
 Por fim, luz — mas com aquele racionamento. Aqui, também venceria 31 T1d5 f4 32 Dh3! De7 33 Dh6!+-.

31 Dg5! De7 32 Dh6 Be6? 33 Df4?
Kasparov confessou-se vítima do “choque” tão comum aos capivaras: após examinar “ todas” as possibilidades, só no instante em que toca a peça para jogar é que lhe vem, como uma descarga elétrica, a visão completa da variante ganhadora.

33...Bc8
Esse lance pretende agora 34...Rg7, antes proibido por causa de 34 Txe6. Aqui, já ciente do que deixara escapar, Kasparov repetiu rapidamente o lance anterior, como se estivesse concordando com a repetição da posição e com o conseqüente empate. Catimba maliciosa que só com o tempo se adquire. E o jovem Ruslan, presto e confiado, “aceitou o empate” que nunca lhe foi proposto...

34 Dh6 Be6? 35 gxf5 gxf5 36 Be2!
Segundo Kasparov, as pretas estão perdidas em todas as variantes; o Tiger concorda com ele: +6.50.

36...Df6 37 Bh5+ Re7 38 Txe6+!, 1- 0.

 


Soluções
629 A (V. Kivi, Tidskrift för Schach, 1945 - 1º pr.) 1 g7 Tc8 2 g4! (2 Be6? Ta8+ 3 Rb2 Rf6 4 g8=D Txg8 5 Bxg8 Rf5!=) 2...Tb8 3 Be6 Rf4 4 Ra2 Rg5 5 Ra3 Rf4 6 Ra4 Rg5 7 Ra5 Rf4 8 Ra6 Rg5 9 Ra7 Te8 10 Bf7! Td8! (10…Te7+? 11 Rb6 Rh6 12 g8=C+!+-) 11 Rb6+-.
B (E. Bogdanov, 64 - Shajmaty obosrenie, 1984) 1 Td4! (zug) 1…Rf3 2 Tg4! Re3 3 Ta3#; 1…Rxh2 2 Rf2 Rxh3 3 Th1#; 1…Rxh3 2 Rf2 Rxh2 3 Th4#; 1…Rh1 2 Td2! Rg1 3 0-0-0!!#.

 

 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: XADREZ JUVENIL :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO