: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
de
Hélder Câmara


   15/05/2005                 

Ivanchuk domina o 40º Memorial Capablanca

 


Hotel Neptuno-Triton em La Habana, Cuba

      O super GM-A Vassily Ivanchuk é o maior destaque no 40º Torneio Memorial José Raúl Capablanca (rate-médio 2618, categoria 15), que se realiza entre 6 e 19 deste mês nas dependências do Hotel Neptuno-Tritón, em Havana, Cuba.

    Até a quarta rodada, a tabela registrava: 1) Vassily Ivanchuk (Ucrânia 2739) 3 pontos; 2/3) Neuris Delgado (Cuba 2567) e Baadur Jobava (Geórgia 2637) 2.5; 4) Lázaro Bruzón (Cuba 2669) 1.5; 5/6) Lenier Dominguez (Cuba 2658) e Walter Arencibia (Cuba 2530) 1; 7) Jesus Nogueiras (Cuba 2533) 0.5.

 

       

                
                                        
                      GM-A Vassily Ivanchuk                                  GM Baadur Jobava

      V. Ivanchuk (2739) x (2637) B. Jobava (2ª rod. Mem. Capablanca, 07.05.2005 – Ab. Trompowsky, A 45).

      1 d4 Cf6 2 Bg5!?

      O campeão brasileiro de 1939, Octávio Trompowsky, em seu livroPartidas de Xadrez” (1941), diz-nos: “Um lance especialmente analisado pelo autor destas linhas, com o intuito de fugir dos livros e poder enfrentar os mestres com armas mais ou menos iguais”. isso, nada mais do que isso, mas com isso, ele passou à posteridade com essa abertura que leva seu nome. Não se pode omitir, porém, que esse lance fora jogado em 1912, por Levitsky, e em 1916, por Bogoljubov.

      2...Ce4!?

      O lance lógico, evitando o acavalamento de peões em f6, com o que as brancas estariam jogando uma Variante das Trocas de uma Espanhola “no espelho”, ou seja, uma Ruy Lopez com o Peão-Dama.

      3 Bf4 d5

      A melhor reação é 3...c5, para com ...Db6 explorar a saída prematura do bispo de c1.. O próprio Baadur sabe disso: 3...c5! 4 dxc5 Cc6 5 Dd5 f5! 6 e3 e6 7 Dd1 Bxc5 8 Cd2 0-0 9 Cgf3 f5 e as pretas estão melhores, 0-1 in 68. Kurajica x Jobava, Ol. Calviá 2004.

      4 e3 c5

     Mais coerente com 3...d5 seria agora 4...c6, para desenvolver a cômodo o bispo de c8.

     5 Bd3 Cc6

     É preferível 5...Cf6 6 Cf3 Cc6 7 0-0 Bg4! 8 c3 e6 e no mínimo as pretas igualam, 0-1 in 39. Wells x Sutovsky, Oxford 1998.

      6 Bxe4! Dxe4 7 d5!  (diag. 1)




      Esse pontaço, atravessando a “linha do Equador” e embaraçando o desenvolvimento contrário, justifica a entrega da “pequena qualidade”, bispo x cavalo.

      7...Cb4 8 Cc3 e6

      Não era melhor 8...f5?! 9 a3 Ca6 10 f3!, com insuportável domínio.

      9 d6!

     Se esse peão em d5 era um estorvo, em d6 é um acinte – impedindo a saída do bispo de f8.

     9...Cc6

     No caso de 9...f5 10 f3! Cc6 11 fxe4 fxe4 12 Dh5+ g6 15 Dxc5+-, 1-0 in 23. Rey x Wong, Frisco 2000; ou então, 9...Da5 10 Ce2 Cd5 11 Bg3 Cxc3 12 Cxc3 Bd7 13 0-0 Bc6 14 Dh5 Td8 15 Tfd1 Td7 16 a3! Db6 17 Tab1 a5 18 h3 Rd8 19 b4 cxb4 20 axb4 axb4 21 Ta1 Re8 22 Ta8+ Td8 23 Txd8+ Dxd8 24 Cxe4 Bxe4 25 d7+ Re7 26 Bd6+ Rf6 27 De5+, 1-0. Mensch x Musanti, Budapeste 2001.

     10 Cge2!? N

     Para jogar 11 Cb5!, mais agressivo do que 10 Cxe4!? f5 11 Bg5 Db6 12 Cf6+! Rf7 13 Cxh7 Txh7 14 d7 Be7 15 Cf3! Dxb2 16 0-0 Db6 17 dxc8=D Txc8 18 Tb1 Da5 19 Txb7 Tc7 20 Db1 Bd6 21 Td1 Be5 22 Bxe5+ Cxe5 23 Bf4, 1-0. Speelman x Yaoyao, Beijing 1997.

     10…f5 11 Cb5! Rf7 12 Cc7 Tb8 13 g4!  (diag. 2)

     
  
  O tabuleiro está cheio de peões, daí o acerto em detonar essa cobertura real.

      13...fxg4 14 Cg3 Cb4

      Segundo o Fritz 8.0, no caso de 14...g5!? 15 Cxe4 gxf4 16 Dxg4 Tg8 – se 16...Bxd6 17 Dh5+ Re7 18 0-0-0 –  17 Dxf4+ Rg7 18 Tg1+ Rh8 19 Txg8+ Rxg8 20 Cf6+ Rh8 21 Dh4 h6 22 0-0-0 Bg7 23 Cce8 g5 24 Tg1+- 13.81.

      15 a3! Cd5 16 Cxe4

      Importante é manter o “peão de Keres” em d6.

      16...Cxf4 17 exf4 Rg8 18 Dxg4 h5 19 Dg3 b5 20 Tg1 (diag. 3)


                                                
      

      Vinte lances e as pretas, com todas as suas peças “no chão”, estão perdidas.

     20...Th6 21 0-0-0 Rh8 22 Cxc5 b4

     Esse lance é ruim, mas não havia melhor e Baadur podia abandonar.

     23 axb4 Txb4 24 d7! Tc4

     Evidente, se 24...Dxc7? 25 d8=D+-, ganhando.
    
    
25 C5xe6, 1-0.

 


                                                          Estudos e problemas
 

779   A   (A. Herbstman, Shajmaty in URSS, 1936 – 1º pr.) 1 Te8 Te5! 2 Ta8!!
               Ta5! 3 Txa5 g1=D 4 Ta8 Dg2 5 Tb8! Dg2 6 Tc8! Dg4 7 Td8! Dxg5 8
               Te8! Df6 (8…Dg8+ 9 Re7 Dxe8+ 10 Rxe8 f5 – 14 d7 f1=D 15 d8=D
               Df8+ 16 Rd7!!+-) 9 d4!+-.



         B   (Y. Galperstein, Schamaty Odessa, 1911) 1 Ca1! Rd4 2 Cc2+ Rc5
               (Re4) 3 d4 (d3)#.

 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: ARQUIVO :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO