: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
 

  St. Petersburg
 

 

 

     Semana tranquila, como uma acalmia precursora das próximas tormentas, que serão Dos Hermanas e Frankfurt. Ainda assim, cabe o registro do match Karpov-Xie Jun, em Guangzhou, na China, acusando a vitória parcial de Karpov pela mínima diferença de 2.5 a 1.5 (faltam as partidas rápidas).
     Outro registro, a vitória de Michael Adams no Grand Prix de Bordeaux 2000, na França, nos dias 6 e 7. Quadrangular que se completava com Joel Lautier, Vladislav Tkachiev e Laurent Fressinet.
     Nosso destaque de hoje, porém, provém do alerta telefônico de nosso colaborador Luiz Posada, focalizando uma interessante partida romântica, jogada no ainda em curso 73ºCampeonato de Saint Petersburg.

E. SHAPOSHNIKOV (2.500) x (2.475) E. ALEKSEEV (1ªrod. 73º Camp. St. Petersburg, 03.04.00 — Escandinava, B 01)

 1 e4 d5!?
 Essa defesa ‘‘do peão-dama contra peão-rei’’, como era originalmente conhecida, é mais velha do que o Brasil, posto que mencionada por Lucena, em 1497. Segundo a teoria, sua estratégia se baseia em a) ativar suas peças, em especial o bispo-c8, possibilitando-se o roque para ambos os lados, além de abrir colunas para uma rápida atuação de suas torres; b) evitar a formação de um forte centro de peões do adversário e c) conseguir a iniciativa a qualquer custo.

  2 exd5 Cf6 3 Cf3!
 Contra a variante Marshall, 2...Cf6, aceitar a vantagem do peão é o que as pretas querem: 3 c4?! c6! 4 dxc6 Cxc6 5 Cf3 e5 6 d3 e4! 7 dxe4 Dxd1+ 8 Rxdl Cxe4 9 Be3 Bf5 10 Ch4 0-0-0+ 11 Rcl Be6 12 Cc3 Cxc3 13 bxc3 b6! 14 Cf3 Bc5 15 Bxc5 bxc5 16 Tbl The8, com superioridade. Chandler-Adams, Hastings 1991.

 3... Cxd5 4 d4 Bf5 5 Ch4!?
 Lance típico de computador, impedindo a melhor colocação do bispo-c8 e baseado no filosofia ‘‘se as pretas jogam duas vezes com o mesmo cavalo na abertura, quem me impede de fazer o mesmo?’’; no entanto, a ortodoxia recomenda 5 Be2 e6 6 0-0 Be7 7 a3!? 0-0 8 c4! Cb6 9 h3 Cc6 10 Cc3 Bf6 11 Be3 h6 12 b4! a6 13 Db3! Cxd4 14 Bxd4 Bxd4 15 Tadl e5 16 Cxe5 Df6 17 Txd4 Dxe5 18 Tfd1 c6 19 Bg4 Tae8 20 c5 e o jogo das brancas é preferível, 1-0 in 50. Turov-Ivanov, Ubeda open 2000.

5... Bc8 6 c4! Cb6 7 Cf3 Bg4
 Depois daquele vai-mas-não-vai, a partida retoma seu consagrado caminho teórico.

 8 c5! C6d7 9 Bc4 e6 10 h3! Bh5 11 Cc3 Be7 12 Be3 c6
 As pretas conseguiram concretizar seu plano de livrar-se do bispo de c8, transpondo-o para além dessa muralha vampiresca (caninos em e6 e c6), numa filosofia idêntica à da defesa Caro-Kann, pagando por isso com uma asfixiante falta de espaço. Já ocorreu 12...0-0 13 g4! Bg6 14 h4 h5 15 Cg5! Cf6 16 gxh5 Bxh5 17 Be2 Bg6 18 Bf3 Cc6 19 Da4 Cd5 20 Cxd5 exd5 21 0-0-0! Dd7 22 Be2 Bf6 23 Tdgl!, com vantagem. Suetin-Gipsilis, Minsk 1993.

13 De2! b6 14 g4! Bg6 15 0-0-0!
 Depois daquele perereco inicial, uma verdadeira felonia para com a sua escola, Evgeny Shaposhnikov resovietiza-se e não joga mais nenhuma bola fora, desenvolvendo suas peças com a sofreguidão dos apaixonados. Aproveitem para dar uma última espiada na inatividade da torre de h1.

 15... Dc7 16 h4! h5 17 Thg1!
 Aqui, só não jogam a caneta e o relógio de Evgeny, enquanto aquele cavalo em b8 resfólega, sem passeio nem centeio.

 17... bxc5 18 dxc5 hxg4
 O Fritz-6.0 e o Hiarcs-7.32 admitem que, se 18...Cxc5 19 Bxc5 Bxc5, agora, tanto F: 20 Bxe6!? De7 21 Tgh1!, quanto H: 20 Ce5! Bh7 21 gxh5, dão uma vantagem de 0,50 para as brancas.

 19 Txg4 Bh5 20 Bf4!  Da5
 
Diante dessas generalizadas escaramuças táticas, quem tem rei no meio do tabuleiro e peças por desenvolver, vai levar a pior, sempre; por exemplo, 20...e5? Cxe5! Bxg4 22 Dxg4!, com índices de 3.19/3.46, ganhadores.

 21 Txg7 Cxc5 22 Bg5 Bf8 23 De5!
 Seria um despropósito 23 Td8+, esvaziando toda essa enorme pressão por que passam as pretas; aqui, se 23...Bxf3? 24 Df6+-; ou 23...Bxg7? 24 Dxg7! Tf8 25 Df6+-. Minha dupla dinâmica, F/H, estabelece nessa posição um índice vitorioso para as brancas de 1.66 e 2.11, respectivamente.

 23... Cbd7 24 Txd7! Rxd7
 Não era melhor 24...Cb3+ 25 Bxb3 Dxe5 26 Cxe5 Bxg7 27 f4!, com uma vantagem definitiva.

 25 Bxe6+! Cxe6 26 Txf7+! Bxf7 27 Dxa5
 Materialmente, poderíamos até anotar um certo equilíbrio; posicionalmente, porém, a situação das pretas é um desastre e até que o xará, Evgeny Alekseev, consiga colocar suas torres em jogo, vão bater a carteira dele umas cinco ou seis vezes.

 27... Bd6 28 Ce4! Cxg5?! 29 Dxg5
 Se a conjugação dama/cavalo representa as maiores opções de combinação num ataque, que dizer, então, de dama e dois cavalos? Quem sabe, talvez Alekseev pretendesse trocar todas as peças menores, conservando apenas suas torres que, unidas, abateriam um a um os peões isolados da ala do rei.

 29... Bd5 30 Dg7+ Be7 31 Ce5+?
  Notem de quanto um zeitnot é capaz! Shaposhnikov não viu a recomendação de minhas máquinas, 31 Cc5+! Rd6 32 b4!!
. E nessa posição, elas me garantem que dão mate em 4 lances. Antes, porém, chamamos a atenção para 32...Bxf3? 33 Dd4+! Bd5 34 Df4++! Vejamos, então, 32...Bg5+ 33 Rc2! Be4+ (33...Bb3+? 34 axb3 e mate no seguinte) 34 Cxe4+ Rd5/Re6 35 De5/Cc5+ e mate no próximo; e ainda, 32...Bg5+ 33 Rc2 Bxf3 34 Dd7+ Re5 35 De6+ Rd4/Rf4 36 Cb3/Cd3++.

 31... Re6 32 Cg6 The8 33 Cg5+ Bxg5+ 34 hxg5
 Shaposhnikov vislumbrou esse final, quando, unindo os peões f/g, ele se garante uma peça de vantagem — que é o que eles valem, no mínimo.

 34... Rd6 35 Df6+ Te6 36 Df4+ Rc5 37 Ce5 Tae8 38 Cd7+! Rb5 39 a4+ Ra5 40 Dd2+ Rxa4 41 Cc5+, 1-0.
 
Cumprido o controle de tempo (40 lances), Alekseev não tinha mais por que continuar.

 Uma partida que evoca os velhos e bons tempos do estilo romântico, hoje ameaçado de total extinção pelo advento avassalador da computação.

 
 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: XADREZ JUVENIL :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO