: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
de
Hélder Câmara


   09/10/2004                 

Homens x Máquinas no Festival de Bilbao
Computadores vencem com facilidade os humanos


 


 

        O Festival Internacional de Bilbao, na Espanha, que se realiza entre 6 e 12 deste mês, destaca entre muitas atrações o 1º Campeonato Mundial Humanos x Computadores, defrontando três destacados GM-As e três softs de última geração.

       Defendendo a raça humana, Veselin Topalov (2757), 5º colocado no ranking da Fide, Ruslam Ponomariov (2710), campeão mundial da Fide, e Sergey Karjakin (2576), o mais jovem GM de todos os tempos, aos 12 anos de idade.

      Pelo time dos “abomináveis”, o israelense Junior-8, atual campeão mundial, o alemão Fritz-8, que há pouco empatou com Kasparov em 2 x 2, e a enigmática e maravilhosa Hydra, atualmente dos Emirados Árabes Unidos, mas que até o ano passado era o revolucionário programa sueco Brutus.
    
     Na rodada inaugural, o único a extrair um empate desses “monstros” foi Topalov contra o Junior, enquanto Ponomariov e Karjakin eram derrotados pela Hydra e pelo Fritz, respectivamente.


Ponomariov                                 Hydra

       R. Ponomariov (2710) x (0000) Hydra (1.2 – 1º  Mundial Humanos x Máquinas, Bilbao, 06.10.2004 – I. Dama, E15).
 
      
1 Cf3 Cf6 2 c4 b6 3 d4 e6 4 g3 Ba6 5 b3 Bb4+ 6 Bd2 Be7! (A primeira grande vantagem dos computadores está no seu inigualável banco de dados com as últimas atualizações consagradas pela teoria das aberturas; a segunda é a sua insuperável capacidade tática. Assim, aos humanos resta o encaminhamento da partida para o terreno estratégico, onde se evidencia o entendimento lógico esse sopro divino que nos envaidece e arruína. Por isso, Tartakower sentenciava que uma partida de xadrez “se constitui de três fases: a abertura, quando jogamos sempre os melhores; o meio-jogo, quando nos sentimos bem superiores; e o final, quando concluímos que estamos inteiramente perdidos”).

       7 Bg2 c6 8 Bc3 d5 9 Ce5 Cfd7 10 Cxd7 Cxd7 11 Cd2 0-0 12 0-0 b5 13 c5 e5! 14 b4 e4 15 e3 N (Mais de acordo seria 15 Cb3 f5 16 Bd2 Bg5 17 Ca5!? Tc8 18 Dc1! Bxd2 19 Dxd2 Tc7 20 f3 Cf6 21 fxe4 fxe4 22 Bh3! e as brancas estão muito bem, não obstante 0-1 in 52. Kostiuk x Maiko, Kharkov 2003. Ponomariov vai adotar o plano defeituoso de cerrar o centro, ignorar os sucessos na ala do rei e concentrar-se na exploração da ala da dama via coluna-a. E o seu rei largado em g1? Ora, ele que se vire sozinho).

        15...Dc7 16 Te1 Bg5 (O natural é colocar o Bc7 e avançar ...g5, f5 e f4. Mas engrenagem cibernética e urna eleitoral são caixas de permanentes surpresas).

        17 a4 bxa4 18 Txa4 Bb5 19 Ta3 Cf6! 20 Bf1 a6 21 Da1 Tab8 22 Bxb5 axb5 (Pelo menos de seubispo cego” as pretas se livraram. Enquanto o bispo branco em c3 não passa de um peão cevado).

        23 Ta7 (O Fritz-8 sugere 23 Te2!? Dc8 24 Cb3 Dg4 25 Tea2 Tbc8 26 Ta6 De6 27 Df1! Tfe8, embora registre uma pequena vantagem para as pretas, -/+0.31).

        23...Dc8 24 Da6?! (Esse foi o equívoco maior de Ruslam, isolando seu rei à cata de peões. A ilusão é que depois de ...Dh3 e Cg4, o simples Cf1 resolve tudo. Mas a Hydra infernal vai se concentrar sobre a fraqueza de f2, de difícil defesa).

       24...De6 25 Ta1 h5! 26 Tc7 h4!! 27 Txc6 Df5 28 Da2 (Aqui revela-se toda a fragilidade da cidadela branca, pois se 28 Tb6? Cg4 29 Tf1 Txb6 30 Dxb6 hxg3 31 fxg3 (se 31 hxg3? Dh7!-+) Bxe3+ 32 Rg2 Cf2, com rápido desfecho).

        28...Cg4 29 Cf1 Df3!! (Ameaçando o “golpe na nuca” 30...h3 e com isso obrigando as brancas ao ruinoso enfraquecimento a seguir).

       30 h3 Cxe3! 31 fxe3 (No caso de 31 Cxe3 Bxe3 32 fxe3 Dxe3+ 33 Df2 Dxc3 34 Te1 hxg3 35 De3 Db2! 36 Te2 Dxb4 37 Rf2 f5, ganhando, -+2.37 F-8).

       31...Bxe3+ 32 Rh2? (Pior do que a seqüência analisada, mas ambas igualmente perdedoras).

       32...Bf2! 33 gxh4 (Ou então, 33 g4 Dxc3 34 Ta6 Bxd4 35 Dxd5 Tfe8 36 Ta7 Dc2+ 37 Rh1 Df2 38 Ch2 Bxa1 -+4.00).

       33...e3, 0-1. Não havia defesa satisfatória para a ameaça 34...e2 e se 34 Cxe3? Dg3+! 35 Rh1 Dxh3#.

 


Ponomariov
 x  Hydra


        Fritz-8 (0000) x (2576) S. Karjakin (1.3 – 1º Mundial Humanos x Máquinas, Bilbao, 06.10.2004 – Escocesa, C45). 1 e4 e5 2 Cf3 Cc6 3 d4! exd4 4 Cxd4 Cf6 5 Cxc6 bxc6 6 e5 De7 7 De2 Cd5 8 c4 Cb6 9 Cd2 d6 10 exd6 cxd6 11 b3 Bg4 12 f3 Be6 13 Bb2 d5 14 cxd5 Cxd5 15 0-0-0 Dg5 16 h4 De3 17 h5!? N h6 18 Te1 Dxe2 19 Bxe2 f6 20 Th4 Rd7 21 Bc4 Bd6 22 Ce4 The8 23 Cxd6 Rxd6 24 The4 Bd7 25 Bd4 a5 26 a3 Be6 27 g4 Bf7 28 Bf2 Te6 29 Rd2 Tae8 30 b4! axb4 31 axb4 g6 32 Txe6+ Txe6 33 Bc5+ Rd7 34 Ta1! gxh5 35 Ta7+ Re8 36 b5 hxg4 37 bxc6!, 1-0.
    



Estudos e problemas

753   A (O. Duras, Sachove Listy, 1902) 1 Td2+ Re7 2 Td6!! Rxd6 (2...Tc3 3
           Tc6! Txc6 4 Ra7+-) 3 Rc8 Tc3+ 4 Rd8 Th3 5 b8=D++-.

        B
(G. Glass, Schack 1933) 1 Te1! Rd4 2 Be4!! Re5 3 Bc3#.
        
 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: ARQUIVO :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO