: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
de
Hélder Câmara


   09/04/2005                 

A juventude impõe seu ritmo em Dos Hermanas
Os “meninos do Leste Europeu” revezam-se na liderança


 


 

                                   
                  

       No XIIIº Torneio Internacional de Dos Hermanas, na Espanha, que se realiza entre 1 e 10 de abril, com um rate-médio de 2635 pontos-ELO, categoria 16, o destaque tem sido o revezamento na liderança entre os jovens GMs Teimur Radjabov (03.12.1987 Azerbaijão) e Sergey Karajakin (12.01.1990 Ucrânia).

     No campo dessa prova, anotam-se os nomes de Alexey Dreev (2705), Zurab Azmaiparashvili (2662), Lenier Dominguez (2661), Miguel Illescas (2633), Pentala Harikrisna (2632), Oleg Korneev (2602), Alexander Rustemov (2598) e Rubén Felgaer (2588).

     Na 5ª rodada, deu-se o encontro entre o futuro campeão mundial (segundo Kasparov), T. Radjabov, e o mais jovem GM de todos os tempos, S. Karjakin (aos 12 anos!).
                                 
                               
                                  
      Teimur Radjabov                                      Sergey Karjakin

   
     T. Radjabov (2673) x (2635) S. Karjakin (5ª rod. Dos Hermanas, 05.04.2005 – Escocesa, C 45).

      1 e4 e5 2 Cf3 Cc6 3 d4

      A teoria moderna olha com suspeita uma abertura que, na avidez de dominar o centro ainda na fase de desenvolvimento, concede ao adversário a chance de trocar peças e equilibrar as ações – daí seu registro raro nas pugnas magistrais.

      3...exd4 4 Cxd4 Cf6 5 Cxc6 bxc6 6 e5 De7 7 De2 Cd5 8 c4 Cg6 9 Cc3 De6 10 De4 Ba6 11 b3 Bb4 12 Bd2 Bxc3 13 Bxc3 d5 14 Dh4!?   (diag. 1)




 

        Todos esses lances estão devidamente consagrados pela teoria, sendo que este último foi novidade in Kasparov x Adams, Sarajevo 1999, quando seguiu 14...dxc4 15 Be2 Cd5 16 Bd4 c5 17 Bxc5 Cc3 18 Bxc4 Dxe5+ 19 Be3 Ce4 20 0-0 Bxc4 21 bxc4 0-0 22 Tfe1 Tfe8 23 f3 Cd6 24 Bf2 Df5 25 c5 Cb5 26 Db4 Dd3? 27 Ted1 a5 28 Da4! De2 29 Te1 Dd3 30 Txe8+! Txe8 31 Td1!, 1-0.

        14...dxc4 15 Tc1

        Ou então, 15 Be2 Cd5 16 Bxc4 g5? 17 Dd4 Bxc4 18 Dxc4 Cf4 19 Dxe6+! Cxe6 20 0-0-0 e, superiores, as brancas venceram, 1-0 in 36. Kasparov x Timman, Holanda 2000.

        15...0-0 16 Be2 Cd5

        Há pouco, seguiu 16...Cd7 17 0-0 Cxe5 18 Tfe1 f6 19 Bxe5 fxe5 20 Bxc4 Bxc4 21 Dxc4 Dxc4 22 Txc4 Tad8 com igualdade, não obstante 1-0 in 66. Macieja x Korchnoi, Ol. Calviá 2004.

        17 Ba1

        O Fritz-8 sugere a continuação de Kasparov, 17 Bxc4 Bxc4 18 Dxc4 f6 19 0-0 fxe5 20 Tfe1 com ligeira vantagem, +0.31.

        17...Cb4! 18 bxc4

        Agora, se 18 Bxc4 Cd3+! 10 Bxd3 Bxd3 20 f4 Tfd8 e a posição se esvaziaria.

        18...Tad8!?

        Faminto como sempre, o Fritz propõe 18...Cxa2 e se 19 Td1 Cb4 20 0-0 c5 21 Bf3 Tae8 e registra uma igualdade absoluta, =0.00.

       19 0-0 Cd3 20 Tc3! Cxe5?!

       Essa natural e desastrada manobra cavalar de Sergey põe em evidência o bispo que estava cego em a1, além de facilitar a manobra de torre-tanque (Td3, Te3/g3), que lhe será fatal.

       21 Te3 Cg6

       Não era melhor 21...f6 22 f4 Cg6 23 Dxh7+ Rxh7 24 Txe6, +0.72.

       22 Dg5 Dd7 23 h4!?

       A posição com os peões em f2, g2 e h2 é a ideal para o desempenho da torre-tanque. No entanto, essa estocada é a única maneira de que dispõe Teimur para remover esse paredão em g6 ou obrigar o adversário a enfraquecer o roque.

       23...f6 24 Da5! Dc8 25 Tg3

       O Fritz sugere 25 Te1!, que Teimur em seguida será obrigado a jogar, +0.88.

       25...De6! 26 Te3 Dc8 27 Te1! Cxh4?   (diag. 2)



 

       Com um bispo inoperante em a6 e uma dama humilhada em c8, Sergey agrava sua posição com essa captura, sendo que o Fritz recomenda o heroísmo de 27...c5! 28 h5 Cf4 29 Bf1 Cxh5 30 Te7 Cf4 31 Txc7 Dg4 32 Dxa6 Ch3+ 33 Rh2 Df4+ 34 Rxh3 Dxc7 35 De6+ Df7 36 Df5 , com um jogo preferível –  +1.03.

        28 Th3! Cg6 (No caso de 28...Cf5 29 Bg4! g6 30 Bxf5 gxf5 31 Tg3+ Rh8 32 De5!! Td6 33 De7+-; ou 31...Rf7 32 Bxf6! Tg8 33 Te7+ Rf8 34 Da3!+-.

       29 Dh5! De6

       Desastre maior seria 29...Rf6 30 Bxf6!! Dxh3 31 gxh3 Rxf6 32 Df3+ Re6 (se 32...Re7? 33 Da3+!) 33 Bd3+ Ce5 34 Dg4+ ou 33...Rd6 34 c5+ Rxc5 35 Tc1+, ganhando.

       30 Dxh7+ Rf7 31 Tg3!, 1-0.

      Não resolvia 31...De4 32 Txg6 Dxg6 33 Bh5! liquidando tudo.  

 


                                                          Estudos e problemas
 

774   A   (E. Caputto, Endspielstudien, 1984) 1 Da7+ Rb2 (1...Rb3? 2 Rc1!) 2
                Dg7+! Rb1 3 Dxa1+!! Rxa1 4 Rc1 b4 5 Cd6 b3 6 Cc4 g5 7 h5! g4 8
                h6 g3 9 h7 b2+! 10 Cxb2 g2 11 h8=B g1=D+ 12 Cd1+ Dd4 13 Ce3!!
                Dxh8 14 Cxc2#.
               

         B   (K. Moll, Deutsche Wochenschach, 1915) 1 Dd2! Rxd4 2 Rd6 cxd2 3
               Ce2#; 1…cxd2 2 Ce2! d1=D 3 c4#.
             

 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: ARQUIVO :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO