: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
 

   WCC-2001, Campeonato Mundial da FIDE - 2
 

Não obstante alguns senões, o WCC conseguiu reunir nas quartas de final os mais fortes GM-A's da atualidade.
 

 

A - Br. jogam e ganham
B - Mate em 3 lances

   Depois do alvoroço das três primeiras etapas classificatórias, quando se constatou a surpreendente eliminação de vários ícones do topboard internacional (Karpov, Leko, Korchnoi, Khalifman, Judit, Short, Van Wely, entre outros), podemos dizer que as quartas de final do presente ciclo desse World Chess Championship conseguiu reunir os mais destacados GM-As da arena magistral.

    A polêmica maior é sobre o critério adotado para a formação das quatro chaves principais, uma vez que se na A anotamos os nomes de Anand, Shirov (atuais campeão e vice da Fide) e Topalov, impossibilitados assim de uma finalíssima entre eles, porquanto o funil só classifica um, vamos encontrar na chave C “molezas” como Morozevich, Ponomariov, Ehlvest e Bareev. As quartas de final (6-7 dezembro) alinhavam Anand-Shirov, Gelfand-Svidler, Ponomariov-Bareev e Ivanchuk-Lautier.

Um fato singular merece destaque: ano passado, Joel Lautier foi eliminado na segunda rodada e sua esposa, Almira Scriptchenko-Lautier, salvou a honra enxadrística da família chegando às semifinais no feminino. Este ano, Almira desclassificou-se nas oitavas de final, mas seu marido Joel (vai ver, ela o está empurrando) conseguiu até agora o destaque ao situar-se entre os oito melhores do mundo, pelo menos.

 st9.jpgA semifinal do feminino defrontava Xu Yuhua-Kosteniuk e Chiburdanidze-Zhu Chen. A jovem Alexandra Kosteniuk (http://www.kosteniuk.com/), de apenas 17 anos, constituiu-se na grande atração dessa prova ao derrotar, entre outras, a nossa considerada Alisa Galliamova.

Enquanto isso, a poucas quadras do Kremlin onde se realiza esse WCC, Kasparov e Kramnik jogam um milionário match "Memorial Botvinnik" em várias modalidades e nenhum brilho. Em artigo no El Pais (Madri, 06.12.2001), Leontxo García enfatizava que “se o falecido Mikhail Botvinnik, que foi treinador de ambos, visse o que estão fazendo os seus mais destacados alunos para comemorar seu 90º aniversário de nascimento, por certo morreria de desgosto”.

De fato, das quatro partidas jogadas até agora (quatro empates!), três delas tiveram uma média de 19 lances, apenas.


P. Nikolic (2652) x (2588) A. Anastasian (3ª rod. WCC-3/2, Moscou, 02.12.2001 - I. Dama, E 15)   

1 d4 Cf6 2 c4 e6 3 Cf3 b6 4 g3 Ba6 5 Da4!?
Segundo a teoria, esse lance traduz “a mais aguda reação ao plano das pretas, não só defendendo c4, mas ao manter sob ameaça o bispo de a6, as brancas tolhem a correspondente expansão de seu adversário na ala da dama”.

5...c5 6 Bg2 Bb7 7 dxc5 
Ainda há pouco,
Predrag  não conseguiu nada com 7 0-0 cxd4 8 Cxd4 Bxg2 9 Rxg2 Dc7 10 Td1 a6 11 Cc3 Db7+ 12 f3 Be7 13 Bg5 0-0 12 Ce4 Tc8 13 Bxf6 gxf6 e as chances são equivalentes, ½-½ in 37. Nikolic-Lautier, Holanda 2001.

7…bxc5 
Ou então, 7…Bxc5 8 0-0 0-0 9 Cc3 Ce4 10 Dc2 Cxc3 11 Dxc3 d5 12 Td1 Cd7 13 Bg5 Be7 14 Bxe7 Dxe7 15 cxd5 Bxd5 16 Tac1 Cc5 17 Ce5 Bxg2 18 Rxg2 a5 19 Df3 e as brancas estão um pouco melhores, 1-0 in 59. Nikolic-Istratescu, Macedônia 2001.

8 0-0 Be7 9 Cc3 0-0 10 Bf4 d6
Um exemplo recente: 10…Db6 11 Tfd1 Td8 12 Db3!? d6 13 Td2! Ca6 14 Dxb6 axb6 15 Tad1 Ce8 16 h4 h6 17 Ch2 Bxg2 18 Rxg2 Cac7 19 e4 e as brancas têm um jogo prefer;ivel, 1-0 in 75. Karpov-Judit, Buenos Aires, 2001.

11 Tfd1 Db6 12 Tab1
Não obstante o resultado favorável desta partida, parece-nos mais coerente a idéia de aumentar a pressão sobre a coluna-d com 12 Td2! Td8 13 Tad1 h6 14 Db5! Ce8 15 e4! Cd7 16 e5 Dxb5 17 Cxb5 d5 18 cxd5 Bxd5 19 Cc3 com superioridade, 1-0 in 36. Dautov-Stefansson, Macedônia 2001.

12…Ca6 13 a3 Bc6 N  
A idéia de Aschot é atuar na via-láctea (a8-h1) com Db7, mas isso força a dama branca a cumprir sua real vocação, que é atacar na ala do rei; o que se conhecia era 13...Tac8 14 Dc2 — vejam que a dama volta para c2 sem precisar ser empurrada — 14...Tfd8 15 e4 h6 16 De2 Bc6 17 e5!? dxe5 18 Cxe5 Bxg2 19 Rxg2 Cb8 20 h4 Cc6 21 Cxc6 Dxc6+ 22 Df3! a6 23 Dxc6 com um final francamente favorável, não obstante o trágico desfecho de 0-1 in 39. Piket-Gelfand, Melody Amber, Rapidplay, Mônaco 1999.

14 Dc2 Tfd8 15 e4!
As brancas procuram fixar a fraqueza de d6 para melhor explorá-la, não se importando em enfraquecer a casa d4, inacessível por enquanto para os cavalos adversários.

15...Db7 16 Ce1 Tab8 17 De2! e5? 
Temendo a ruptura 18 e5!?, quando as brancas estabeleceriam uma maioria (3x2) na ala da dama, Aschot cerra o centro, mas compromete irremediavelmente a ruptura ...d5; era melhor 17...h6!? 18 Cc2 Db3 19 e5 dxe5 20 Bxe5, com leve superioridade, mas naturalmente suportável.

18 Bg5 h6??  - diag.1
Como é que pode, um jogador que eliminou Fedorov e Leko cometer um lance desses?! Predrag já pretendia eliminar esse cavalo de f6 para aumentar o tamanho da cratera de d5, e para tanto nem precisava que Aschot enfraquecesse seu roque... O razoável seria jogar 18...Ce8 e ficar torcendo para que seu adversário trocasse o bispo de g5 por aquele inquietante estorvo postado em e7.

19 Bxf6 Bxf6 20 Cc2 Db3 
Em vez de procurar desmarginalizar seu cavalo (Cc7, Ce6, Cd4), Aschot tenta obstaculizar com a dama o avanço da maioria adversária; com isso, ele vai deixando sua ala do rei perigosamente na orfandade.

21 Ce3! Cc7 22 Td3 Bg5 
Quando alguém começa a jogar lances forçados ou necessários (Bg5) no lugar de lances agradáveis (Ce6) é por que sua posição já está passando pela dolorosa transição de sonho para pesadelo.

23 Cf5! Dxc4 
Se Aschot fosse russo, desconfiaria que de graça só o queijo da ratoeira; e outra, aquela orfandade sobre a qual nos referimos, vai se manifestar agora em sua plenitude. O meu posicional Junior-7.0 indica o paliativo 23...Rf8. É posível que Aschot esperasse 24 Cxd6 De6 25 Tbd1 Ce8, com equilíbrio.

24 f4! exf4
Forçado, pois se 24...Bf6? 25 fxe5 e as pretas não podem recapturar em e5 sob pena de prejuízo maior). 25 gxf4 Bf6 26 e5! (Predrag não se ilude com a lana-caprina de 26 Cxh6+? Rf8!, facilitando a defesa adversária. A abertura da posição favorece a quem tem mais peças atuando. Por exemplo, 26...Dxf4 27 Tf1 Dxe5 28 Te3!, ganhando.

26...Bxg2 27 exf6 Ce6
No caso de 27...Bd5 28 b3! Da6 29 Cxh6+ Rh7 30 Cf5+-.

28 Cxh6+! Rh7 29 Cf5 
O Junior registra +1.12 para este lance e garante que avassalador, mesmo (+1.72), era 29 Cxf7! Cxf4 30 Dg4 Dxf7 31 Dxf4 Dxf6 — se 31...Bc6 32 Dh4+ Rg8 33 Tg3! g6 34 Th3 — 32 Dxf6 gxf6 33 Rxg2, ganhando.

29...g6
Desastre maior seria 29...Cxf4? 30 Dg4! Tg8 31 Dh4+ Rg6 32 Ce7#.

30 Dg4! Te8 
Desesperada tentativa de impedir o mortal 31 Dh4+ Rg8 32 Ce7++-.

31 Cd5!! - diag.2 - Rg8
Se 31...Bxd5, mate em 5, começando com 32 Dh4+ Rg8 33 Th3. Aschot opta pelo único meio de, perdido, continuar lutando.

32 Dh4! Dxd5 33 Txd5 Bxd5 34 Ce7+ Txe7 35 fxe7 Cd4 36 Df6
O simples avanço do peão-h seria suficiente para anular qualquer defesa das pretas nessa partida já agora destituída de interesse, sem nenhuma chance de sobrevivência.

36...Cf5 37 Te1! Te8 38 Rf2 Be6 39 Txe6 fxe6 40 Dxg6+ Cg7 41 Df6 d5 42 Rf3 d4 43 h4! Rh7 44 Df8! c4 45 h5!, 1-0.

 

Dos jovens talentos surgidos nesses últimos tempos (Grischuk, Volokitin, Radiabov), apenas o sólido GM-A ucraniano Ruslan Ponomariov (11.10.1983 — 2684) conseguiu chegar às quartas de final, firmando-se assim como a mais legítima esperança de renovação do xadrez mundial.


 


RESPOSTAS - 616
A (A. Selezniev, Neva ,1912) 1 Tg5! h2 (1...Th8 2 a3+ Rxa3 3 Tg4!+-) 2 a3+ Rxa3 3 Ta5+ Rb4 4 Ta4++-
B (A. Galitzky, Shajmaty Jurnal, 1897) 1 Rf1! (zug) 1…Rd2 2 Df2+ Rd3/Rd1 3 De2#; 1…d3 2 Df2+ Re4 3 Cc3#.

 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: XADREZ JUVENIL :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO