: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
 

  Fritz - 6.0
 

 

 

        Dentre as festividades do Frankfurt Chess Classic 2000, na Alemanha, uma destacou-se pelo insólito sem precedentes: o desafio de um simples soft (Fritz-6.0) contra os cinco melhores jogadores da atualidade (Kasparov declinou do convite...), em partidas de 25 minutos, duplo turno.

     O resultado assombrava: Fritz-Anand 1.5—0.5; Fritz-Morozevich 1.5—0.5; Fritz-Kramnik 0.5—1.5; Fritz-Leko 0.5—1.5. Ou seja, empate em 4x4. Mas faltava ainda Shirov, que acabara de vencer um torneio no México e só poderia jogar nos dias 22/06 e 24/06.

     No dia 23/06, um apaixonado Leontxo Garcia abria manchete no El Pais (Madri), com a exaltação: ‘‘Shirov funde os metais do Fritz’’. E lá vinha ele com uma ladainha apologética, digna de nos convencer de que o espanhol Shirov salvara de fato a honra da Humanidade. No dia 25/06, um parcimonioso Garcia admitia que ‘‘Fritz doblega Shirov y empata con los humanos’’. Ficou faltando o famoso ‘‘caramba, patrón’’, mas sobrou frases como ‘‘esta vez, la fuerza maquinal pudo con el arte’’.

     Estou me lembrando de Augusto (‘‘eu sou aquele que ficou sozinho, cantando sobre os ossos do caminho a poesia de tudo quanto é morto’’). Há mais de 20 anos, sozinho, observo e proclamo a evolução dessas máquinas, um chip aqui, um bit acolá, enquanto os humanos continuam nascendo com cinco dedos na mão direita — os mesmos que servem para executar suas atávicas capivaradas.

     Este mês, a IBM anunciou a criação do programa ASCI White (Accelerated Strategic Computing Iniciative), 1.000 vezes mais rápido do que o Deep Blue, capaz de calcular mais em 1 segundo do que um homem com uma calculadora em 10 milhões de anos. Já imaginaram um duelo assim: KASPAROV x ASCI — 1 d4 d5 2 c4. Aí, começa a piscar uma luz vermelha e alguém aperta o botão ‘‘talk’’. Ouve-se então uma voz metálica e sinistra: ‘‘Desculpe-me, campeão, mas depois desse seu lance eu anuncio mate em 45... Isso, se o senhor jogar sempre os melhores!’’.Vai ser uma farra.

     Em seguida ao match Fritz-Humanos, entenderam que o enorme armazenamento teórico do Fritz deixava-o em vantagem. Nesse caso, que tal o Fischer-Random Chess (ou Xadrez Sorteado)? Ainda assim, o Fritz venceu o forte GM Arthur Yusupov por 2 x 0 nessa modalidade, que consiste em sortear a posição das peças, possibilitando um diagrama inicial que pode variar 960 vezes! Na primeira partida, o sorteio indicou: Ca1, Bb1, Rc1, Dd1, Be1, Tf1, Cg1, Th1. Os peões não mudam, todos na fileira seguinte —

     FRITZ on Primergy K800 (6.0) x (2.628) A.YUSUPOV (1ªp. match 25’, Frankfurt, 26.06.00)

1 Cf3 d6 2 d4 e6 3 c4 Ce7 4 Bd3 a6 5 Bd2 Ba7 6 Cb3!
 Já se vê que, mesmo sem nenhuma noção de teoria das aberturas, o Fritz estabelece um centro maior de peões e procura desenvolver suas peças menores, com máxima urgência. Depois da partida, Arthur confessou que adotara uma ouriçada formação de peões (d6/e6), procurando evitar qualquer tipo de atrito tático com essa calculadora infalível.

6... Ba4 7 Dc2 h6 8 Bc3 Rb8 9 Rb1 f6 10 Td1!
 Primeiro, o centro e as peças menores; em seguida, a dama e o roque (9 Rb1) e, finalmente, as peças pesadas — como se a máquina obedecesse a uma invariável, mas lógica e eficiente programação.

10... Cb6 11 h4 Cd7?
 Mercê de sua experiência e conhecimento, Arthur não podia permitir o pontaço a seguir, 12 h5, perpetuando o condenável buraco de g6, trampolim para o assalto das peças brancas. O próprio Fritz-6.0 e o Junior—6.0 oferecem ...g5! e ...d5, mas isso implicaria no tático atrito que se quer evitar. Já o comedido Hiarcs-7.32 sugere o cauteloso ...g6! Aí, sim, se 12 h5 g5! e pelo menos não sobraria aquele desastre em g7, que os livros chamam de fraqueza e eu qualifico de travanca, pois além de condenado, ainda impede o livre trânsito das próprias peças.

 12 h5! e5!?
 
Ninguém pode ficar sem respirar indefinidamente e um genuíno GM da escola soviética, como é o caso de Arthur, sabe da imperiosidade de manter um toco central.

13 e3!!
Se, durante a fase abertura/meio-jogo, alguém conseguir manter um centro 44 igual a esse (c4/d4), uma coisa é certa: seu adversário estará sempre inferiorizado.

 13... De8 14 g4!
As brancas têm cinco peças atuando na ala direita — no Fischer Modus perde o sentido você querer determinar as alas da maneira convencional — e é por isso que, com ‘‘discernimento’’ posicional, o Fritz anima aquele setor.

 14... Df7 15 Ch4 Tc8 16 The1 Cb6
 Esse lance denuncia a ‘‘filosofia anti-metálica’’, que é não promover plano algum e saber ficar sem fazer nada — aliás, prática muito utilizada por certos animais da floresta, diante de um perigo iminente. Só que as vezes, por uma questão estratégica ou odorífica, essa filosofia não da certo. Se ele desistisse de tentar enganar a fera e optasse por jogar xadrez, devia continuar com 16...d5! 17 cxd5 exd4 18 exd4 Cxd5, com um ótimo jogo.

 17 Ba5 Cc6 18 Bxb6 cxb6
 E olha aí o sinistro perpetrado: por mais que evitasse o entrevero tático, Arthur acabou tropeçando nele; depois de 18...Bxb6 19 Bg6! Dg8 20 Bf5! Td8 21 Cg6 Th7 e essa ridícula torre em h7 repetiria a história do beija-flor, que de tanto se acompanhar de morcego, acordou um dia de ponta-cabeça.

 19 Bg6 Dc7 20 Bf5! Tcd8 21 Be6! The8 22 d5 Ca5 23 Cf5 Dxc4
 Arthur quer se livrar da peça mais perigosa taticamente, a dama, e sequer considera o interessante 23...Cxc4. Um dia eu conto para vocês a diferença entre medo e pavor.

 24 Dxc4 Cxc4 25 Cxg7 Te7 26 Cf5 Th7 27 Td3! b5 28 Tc1 Bb6 29 e4!!
 
Depois de 29...Bxf2? 30 Cd2! ganha uma peça. O desespero de Yusupov é livrar suas peças desse calabouço, dessa arapuca na ala esquerda, que ele próprio criou. Esse lance, 29 e4, impede agora o salvador recurso ...e4

 29... b4!? 30 Txc4 Bb5 31 Cxd6! Txd6 32 Tc8+ Ra7 33 Td2!
 De graça, aqui, só se for o queijo da ratoeira.

 33... a5 34 Tf8 a4 35 Cc1 Bd8 36 b3 a3 37 Ce2 Be7 38 Tc8 Bxe2
 Última, desesperada e inútil tentativa de empatar um final com bispos de cores opostas. Em vão: as brancas têm dois peões e uma coluna de vantagem.

39 Txe2 Td8 40 Tec2! Thh8 41 Txd8 Txd8 42 Tc7! Bd6 43 Th7
 E a salvadora coluna-c não pode ser aproveitada pelas pretas.

 43... Bf8 44 Rc2!! Rb6 45 Rd3! Ra6 46 Bf5 b6 47 Tf7! Bc5 48 Txf6 Td6 49 Be6! Td8 50 Txh6 Tf8 51 Bf5 Bxf2 52 g5! Tf7 53 Tc6, 1-0.                           

 
 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: XADREZ JUVENIL :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO