: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
 

  Cadaqués, Korchnoi
 

 

 

   Há um ditado latino feito sob medida enquadrando a consagração da dupla de programadores israelenses, Amir Ban e Shay Bushinsky, responsáveis pelo admirável programa campeão mundial Junior-6.0: ‘‘Ad augusta per angusta’’, ou seja, alcançar a glória por meios angustiantes.

    Como se recorda, no Grand Prix Internet do ano passado, na partida decisiva (eliminatória) entre Adams x Junior, o super GM-A inglês estava completamente perdido  (diagrama). Além de um peão a mais, as pretas ameaçam o demolidor 43...Cf4+.

   Nesse momento, ‘‘a rede caiu’’ e, por causa da demora no restabelecimento na ligação internáutica, os organizadores desse torneio, numa decisão política e absurda, adjudicaram o ponto em favor de Adams. Com isso, Amir e Shay deixaram de ganhar 20 mil dólares.

   Agora, em Cadaqués, Espanha, no duelo Deep Fritz x Deep Junior que apontava o desafiante do campeão mundial da BGN, Vladimir Kramnik, em match a se ferir outubro próximo, a dupla israelense amargou um prejuízo muito maior.

O Junior venceu as cinco primeiras de um total de 24 partidas. Depois, com algumas mudanças técnicas que não cabe aqui detalhar, ele permitiu que o Fritz, faltando três rodadas para o final, diminuísse essa diferença para dois pontos. Na 22ª partida, o Fritz ofereceu empate no 33º lance e... o Junior recusou! Resultado, o Fritz empatou em 12 a 12 e venceu o tie-break por 2 a 0.

E daí? Daí, que a bolsa no duelo em 10 partidas contra Kramnik estabelece um prêmio de 800/600 mil dólares para vencedor/perdedor.

Enquanto isso, em Zurich, Suíça, homenageando os 70 anos de Viktor Korchnoi, celebraram um forte e interessante torneio, que defrontou no seu final os dois maiores ratings do mundo. E Kramnik, com um xadrez de raríssima qualidade e inigualável técnica, demonstrou sobejamente por que ele é campeão mundial.


Deep Fritz x Deep Junior (17ªp. Cadaqués, 28.04.01 — Ortodoxa, D 46) 
1 d4 Cf6 2 Cf3 d5 3 c4 c6 4 e3 e6 5 Cbd2 Cbd7 6 Bd3 Bd6 7 0-0 0-0 8 e4 dxe4 9 Cxe4 Bc7 10 Bg5 h6 11 Bh4 g5 12 Cxf6+ Cxf6 13 Bg3 Bxg3 14 hxg3 Rg7 15 De2 Dc7 16 Tad1 Td8 17 Bb1! b6 18 Ce5 Ba6 19 f4! g4 20 f5! exf5 21 Txf5 Td6 22 Tdf1 De7 23 Dd3 Th8 24 Da3!!+- c5 25 Dxa6 cxd4 26 T1f4 Te8 27 Da3 d3 28 Cxd3 De3+ 29 Rh2 Tee6 30 b4 Dd2 31 Cf2 Te7 32 b5 Te3 33 Dxa7 Tee6 34 Cxg4 Dd1 35 Cxf6 Txf6 36 Bc2! Txf5 37 Bxd1 Txf4 38 gxf4, 1-0.

Kramnik (2795) x (2825) Kasparov (2ªm/final, Zurich, 29.04.01 — Ortodoxa, D 48) 
1 d4 Cf6 2 c4 e6 3 Cf3 d5 4 Cc3 dxc4 5 e3 a6 6 Bxc4 b5 7 Bd3 c5 8 a4 b4 9 Ce4 Cbd7 10 Cxf6+ Cxf6 11 0-0 Bb7 12 dxc5 Bxc5 13 De2 Dd5 14 Td1 Dh5 15 h3 Td8 16 Cd4 Dd5 17 Cf3 Re7?! 18 e4! Cxe4 19 Be3 Bxe3 20 Dxe3 Dc5 21 De1! Cf6 22 Tac1 Db6 23 Ce5 Td4? 24 Bxa6!! Txd1 25 Txd1 Bxa6 26 Dxb4+ Dxb4 27 Cc6+ Rf8 28 Td8+ Ce8 29 Cxb4 Be2 30 f3! h5 31 b3! Th6 32 Rf2 Tg6 33 Rxe2 Txg2+ 34 Rd3 Tg3 35 a5! Txf3+ 36 Rc4, 1-0.
 


     Nosso interesse principal sempre foi o de levar o que há de melhor e mais atual para os leitores bccafenianos. Assim, diante das análises que Vladimir Kramnik fez com exclusividade para o site www.kasparovchess.com -- vimos uma ótima chance, com essa tradução, de mostrar como pensa e age o segundo mais forte jogador da atualidade. E, é evidente, acrescentamos algumas observações para facilitar a leitura de seu "linguajar olímpico", que, como sói acontecer com todos os de sua estirpe, é de incomum inteligibilidade.

V. KRAMNIK (2.802) x (2.822) G. KASPAROV (2ª m/final, 25', Korchnoi Tournament, Zurich/Suiça, 29.04.2001 -- GD Aceito, D)(Comentários exclusivos de Kramnik para o KC)

1 d4 Cf6 2 c4 e6 3 Cf3 d5 4 Cc3 dxc4
Isso é um convite para jogar a Variante Vienense
(NOTA DO TRADUTOR -- Vienense, D 39: 5 e4!? Bb4 6 Bg5 c5 7 Bxc4 cxd4 8 Cxd4 Da5 9 Bd2 Dc5 10 Bb5+ Cbd7 11 Cb3 Db6 12 De2 a6 13 Bd3 Ce5 14 0-0 0-0 15 Tac1 Bd7 16 Bg5 Cxd3 17 Dxd3 Bxc3! 18 Bxf6 Bxf6 19 Dxd7 Bxb2 20 Tc7 Tab8 21 Tb1 Be5 22 Tcc1 Tfd8 23 Da4 Tbc8-/+, 0-1 in 41. Pelletier-Kasparov, 4ª rodada desse mesmo torneio). Pensando em como é difícil recordar todas as suas linhas agudas, resolvi jogar mais prudentemente.

5 e3
Mesmo sem fazer meu gênero, esse lance é uma tácita proposta de empate.

5...a6 6 Bxc4 b5 7 Bd3 c5 8 a4 b4 9 Ce4 Cbd7 10 Cxf6+ Cxf6 11 0-0
Eu fiquei considerando o sacrifício de peão 11 e4 cxd4 12 0-0, que é típico nessas posições, mas isso pareceu-me um pouco prematuro.

11... Bb7 12 dxc5
A idéia é colocar a dama em e2 e apoderar-me do centro com e4. O imediato 12 De2 ensejaria o frustrador 12...cxd4.

12... Bxc5 13 De2 Dd5
O melhor. Depois de 13...0-0 14 e4, as brancas estariam ligeiramente melhores. O busílis é que as pretas ficariam sem tempo para jogar 14...a5 ou 14...h6. No caso de (13...0-0 14 e4) 14...a5 15 Bg5, as brancas se apoderariam da iniciativa, enquanto que se (13...0-0 14 e4) 14...h6 15 a5! a posição das pretas na ala da dama estaria fixada e comprometida.

14 Td1 Dh5 15 h3
Esse lance, agora, é inócuo. Já 15 e4!?, levando a complicações interessantes, parecia uma continuação mais consistente. As pretas podiam reagir com 15...Cg4 (ameaçando f2) e depois de 16 Bb5+ Rf8 17 Td7, teríamos uma nebulosa situação.

15... Td8
Se 15...0-0, as brancas com 16 e4 passariam a gozar de uma leve superioridade.

16 Cd4
Eu calculei as consequências do sacrifício de peão, 15 e4!? Svidler me disse que, analisando para o público (e on-line) lá nos bastidores, pensou que eu fosse escolher esse caminho. Bastante interessante é que essa posição já foi testada em partida de torneio, quando as brancas optaram pelo melhor, 16 b3 e5 (16...0-0 17 Bb2+/-) 17 Bb2 e4 18 Bb5+ Re7. Aqui, eu me detive avaliando essa posição. E é fácil de ver que todas as peças brancas participam ativamente do jogo. Nessa partida em foco, as brancas continuaram com 19 Ce5! Dxe2 20 Bxe2, obtendo nesse final uma ligeira vantagem que foi convertida em vitória
(NT -- Kramnik não cita, mas essa partida em questão foi jogada no Camp. da Rússia, Orel, 1992, entre A. Gavrilov x S. Ivanov, tendo seguido 20...Txd1+ 21 Txd1 Re6 22 Bc4+ Bd5 23 Bxd5+ Cxd5 24 Cxf7! Cc3 25 Bxc3 bxc3 26 Cxh8 Ba3 27 Cf7! c2 28 Cd8+! Rf6 29 Te1 c1=D 30 Txc1 Bxc1 31 Cc6 Bb2 32 Rf1+-, 1-0 in 56)

16 … Dd5
Outra opção seria 16...Dxe2 17 Bxe2 e5 18 Cb3, com paridade. Ocorre, porém, que essa posição lembrava muito a quarta partida de nosso recente match em Londres. Talvez por isso, Kasparov tenha declinado dessa continuação
(NT -- A quarta partida citada por Kramnik: 1 d4 d5 2 c4 dxc4 3 Cf3 e6 4 e3 c5 5 Bxc4 a6 6 0-0 Cf6 7 dxc5 Dxd1 8 Txd1 Bxc5 9 Cbd2 Cbd7 10 Be2 b6 11 Cb3 Be7 12 Cfd4 Bb7 13 f3 0-0 14 e4 Tfc8 15 Be3 Rf8 com igualdade, ½-½ in 74. Kramnik-Kasparov, 4/m WCC Braingames, Londres, 2000).

17 Cf3
Eu pensei seriamente na loucura de jogar 17 e4 Dxd4 18 Bb5+ axb5 19 Dxb5+ Td7, quando ficaria esvaziada a iniciativa das brancas. Mas eu tinha sempre à mão esse retorno do cavalo.

17... Re7!?
Com bastante vantagem de tempo (ele tinha 18 minutos e eu 11, para terminar a partida), Kasparov tomou uma decisão prática. Eu próprio não sei se repetiria a posição, se ele jogasse outra vez 17...Dh5. Mas o simples 17...Dc6 seria suficiente para igualar.

18 e4
Um sacrifício natural, uma vez que 18 Bc2 seria muito passivo.

18... Cxe4 19 Be3 Bxe3 20 Dxe3 Dc5
Não servia 20...f5 por causa do desagradável 21 Db6.

21 De1!
A melhor casa para a dama, impedindo 21...Cg5 22 Cxg5 Dxg5, pois ficaria solto, com xeque, o peão de b4.

21... Cf6?!
Esse lance é muito passivo. Depois de 21...f5 22 Tac1, as brancas teriam alguma compensação pelo peão sacrificado. Isso não queria dizer que fosse suficiente para igualar ou conseguir alguma superioridade, mas, pessoalmente, eu estava gostando muito da posição das brancas.

22 Tac1 Db6
Melhor do que 22...Da5, quando 23 Ce5! seria mais forte ainda.

23 Ce5! Td4?
É claro que isso é um erro. As pretas tinham muitas opções e eu considerava 23...a5 a melhor delas. Mas aí, então, as brancas podiam forçar o empate com 24 Cc4 Dc5 25 Ce5 Db6 ou optar pela agudez de 24 Bb5, com suficiente compensação pelo peão.

24 Bxa6!
Basicamente, essa combinação está correta e as brancas ficam melhores em todas as linhas. Ainda assim, eu dispunha de um caminho prosaico, mais simples, para obter vantagem, que era 24 Cc4. As pretas teriam de entregar a qualidade, uma vez que não servia 24...Dc5 25 Ce3, seguido de 26 Cf5+. E depois de 24...Txc4 25 Txc4 a5, a posição estaria tecnicamente ganha para as brancas. Mas eu vislumbrei essa combinação (24 Bxa6!) e descartei todas as outras opções.
Se 24...Te4 25 Dd2 e qualquer captura em a6 perde, enquanto que se (24...Te4 25 Dd2) 25...Txe5 26 Bxb7, as brancas estabeleceriam uma grande superioridade posicional.

24 ...  Txd1  25 Txd1!
Esse lance pegou Kasparov de surpresa (a julgar pela sua reação). Aparentemente, ele esperava 25 Dxd1 Td8 (25...Bxa6 26 Tc6) 26 Bd3, com uma posição equilibrada.

25... Bxa6
Não servia 25...Dxa6 26 Dxb4+ Re8 27 Td6 Cd5 28 Txa6 Cxb4 29 Tb6 ou então, 25...Bd5 26 Bb5 e ficaria difícil defender a casa b4 (26...b3? 27 Db4+!+-).

26 Dxb4+!
Eu estive considerando 26 a5. Nesse caso, as pretas jogariam 26...Dc5 (se 26...Db7? 27 Dxb4+ e as brancas aproveitariam um tempo muito importante em relação à linha principal) e depois de 27 Tc1 (não, 27 Dxb4 em vista de 27...Tc8) 27...Db5 28 Tc7+, com um ataque perigoso. Mas eu me decidi pelo lance do texto (NT:
não se pode esquecer que o ritmo de jogo era de 25' para cada um).

26... Dxb4 27 Cc6+ Rf8 28 Td8+ Ce8 29 Cxb4
Kasparov esteve sempre melhor de tempo até este momento. Aqui, evidentemente, ele compreendeu como era difícil sua defesa.

29... Be2?
Esse lance tão natural é um erro decisivo. A seqüência devia ser 29...Re7 30 Cc6+ Rf6 31 b4 g5 32 b5 Bb7 33 Ca5! (depois de 33 a5 Bxc6 34 bxc6 Rg7 e as pretas não chegariam a tempo para deter os peões passados) 33...Bd5 34 b6 Re7 35 b7 Bxb7 36 Cxb7 Tf8 e as pretas teriam uma posição difícil. Mercê de seu peão passado, as brancas deveriam vencer: 37 Rf1 Cc7 38 Txf8 Rxf8 39 Re2 Re7 40 Rd3 Rd7 41 Rc4+/-.
O lance sugerido na cobertura on-line feita em Zurich, 29...Bb7, perde forçado depois de 30 a5 Re7 31 Tb8 Bd5 32 a6 Tf8 33 Cxd5+! exd5 34 Tc8!! e o peão-a coroa.
A continuação correta seria 29...Bc4! Depois de 30 a5 Re7 31 Tc8 Bb5 32 a6 Bxa6 33 Cxa6 Tf8 34 Cb4 e as brancas estariam bem melhores.
Com o lance do texto, Kasparov quis evitar o ganho de tempo de que as brancas usufruiriam depois de (29...Bc4) 30 a5 Re7 31 Tc8, atacando o bispo. Aqui, eu me decidi a jogar pela dominação.
(NT -- Segundo o genial e laureado compositor armênio Guénrij Kasparián, "dominação, como se sabe, é um termo introduzido na literatura sobre finais pelo célebre compositor francês Henry Rink. Sua essência está no fato de que uma peça preta atacada, ante o controle que as brancas exercem sobre determinadas casas, seja irremediavelmente capturada, acarretando com isso perda material e consequente derrota". Em seguida, o grande Kasparián completa: "O termo dominação no meu entender devia ser considerado num plano mais amplo: como a captura por diversos meios. Assim, poderíamos simplificar sensivelmente essa classificação, levando em conta que nos finais, com frequência, se entrelaçam os mais variados motivos de captura de peças").

30 f3!
Eu não vejo nenhuma defesa para as pretas.

30... h5
Agora, já era tarde demais para jogar a recomendação anterior: 30...Bc4, por causa de 31 Tc8 Be2 32 Rf2 e o bispo não alcança mais o peão passado. A melhor das enganosas chances das pretas seria 30...Re7 31 Cc6+ Rf6, mas as brancas venceriam depois de 32 b4 g5 33 b5 Rg7 34 Rf2 Bc4 35 b6 Cf6 (no caso de 35...Ba6 36 Cb4 Bb7 37 a5 Cf6 38 Txh8 Rxh8 39 a6 e as pretas teriam de entregar suas duas peças pelos dois peões brancos passados) 36 Txh8 Rxh8 37 b7 Cd7 38 Ce5! Bd5 39 Cxd7 Bxb7 40 a5 Rg7 41 Re3, ganhando.

31 b3! Th6 32 Rf2 Tg6
Outra continuação seria 32...Re7 33 Td2 Bxf3 4 gxf6 Cc7 35 Cc6+ Rf6 36 b4 e as pretas estariam perdidas. Os peões brancos unidos e passados na ala da dama decidem o jogo.
(NT -- Essa análise de Kramnik é um verdadeiro furo n'água, uma vez que depois de 32...Re7? 33 Cc6+ Rf8 34 Rxe2 e5 35 Tc8! não havia mais reação possível.)

33 Rxe2 Txg2+ 34 Rd3 Tg3 35 a5 Txf3+ 36 Rc4 
Kasparov abandonou. O computador sugeria 36...Tf5 37 Cc6! Td5 38 Txd5 exd5+ 39 Rxd5, mas até mesmo uma máquina não poderia salvar essa posição.
1-0.

 

Solução 585
A
(B. Horwitz, Schachstudien, 1872) 1 Re7 Tb8 (1...Rb8? 2 Cd6! cxd6 3 Rd7+-) 2 Cg5! Ta8 3 Cf7 Tb8 4 Rf8! Ta8 5 Re8! Tb8 6 Ch6! Ta8 7 Cf5!! Rb8 8 Cd6!+-.
B
(A. Shoshin, La Stratégie, 1894)
1 Bf5! Rb4 2 Bd7 Ra3/Cf2 3 Da4/Dc3++; 1...Cf2 2 Dc5+ Ra6/Ra4 3 Bc8/Bxc2++.

 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: XADREZ JUVENIL :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO