: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
 

   Vitória de Anand no Masters da Córsega 
 

O Open Internacional contou com a consagradora presença de mais de 50 destacados Grandes Mestres 
 

 

A - Br. jogam e ganham



B - Mate em 3 lances

   

     Um dos mais prestigiados opens internacionais é certamente o que se realiza todo os anos em Bastia, na Córsega, com uma dotação de 600.000 francos franceses (400 para o Masters, 200 para o Open).

     Este ano, em meio a uma centena de categorizados participantes, anotaram-se a presença de mais de 50 GMs, entre eles Viswanathan Anand e Alexey Shirov, campeão e vice-campeão mundial da Fide.

   O sistema empregado nesse open prevê que entre todos os inscritos, classificam-se para o Masters 18 jogadores (nessa primeira etapa, foram eliminados, entre outros, Shirov, Piket, Tegubov, Nisipeanu e Delchev - da turma de 2600). E enquanto se desenrola o Open congregando os "desclassificados", o Masters adota o mesmo sistema de funil do campeonato mundial, com oitavas, quartas, semifinal e final.

     O ritmo de jogo varia de acordo com as etapas, sendo que para o Masters o tempo da partida era de 20m + 5s por lance e para o Open, 50m + 10s a finish.

     Na finalíssima, enfrentaram-se Anand e Alexander Chernin. No tie-break, após dois empates, Anand proclamou-se campeão, ao empatar a terceira partida conduzindo as peças pretas. Com isso, ele repete o feito do ano passado e consolida seu prestígio de mais veloz e avassalador jogador de partidas rápidas da atualidade.

V. Anand (2770) x (2653) E. Bacrot (1/8final, Corsica Masters, Córsega, 29.10.01 - Siciliana, B 66) 

1 e4 c5 2 Cf3 Cc6 3 d4 cxd4 4 Cxd4 Cf6 5 Cc3 d6 6 Bg5 e6 7 Dd2 a6 8 0-0-0
Posição básica do ataque Richter-Rauser, quando "as brancas se preparam para lançar uma poderosa ofensiva no flanco-rei através do avanço de seus peões f, g e h, enquanto as pretas procurarão contra-atacar na outra ala", segundo a teoria. Convém lembrar que essa defesa B 66 goza da preferência dos maiores astros da atualidade, entre os quais Kramnik e o próprio Anand.

8...h6 9 Be3 Dc7 10 f3 
O "método Saemisch" de ataque (10 f3) nessa variante continua sendo a melhor continuação.

10...Tb8 11 Rb1
Antes, Anand preferira direto 11 g4!? Ce5 12 h4 b5 13 Dg2 Bb7 14 g5! hxg5 15 hxg5 Txh1 16 Dxh1 Cfd7 17 f4 Cc4 18 g6! Cxe3 19 gxf7+ Rxf7 20 Dh5+? (20 Dh3!+-) Re7 21 Dh3 e5! e as pretas escaparam, ½-½ in 64. Anand-Shirov, Linares 1993.

11...Be7 
Ainda este ano, ocorreu 11...b5 12 Cxc6 Dxc6 13 Ce2 e5 14 Cc3 Be7 15 g4 b4 16 Cd5 Cxd5 17 exd5 Dc7 com igualdade, ½-½ in 23. Bruzón-Bacrot, Lausanne/SUI 2001.

12 g4 Ce5 
É viável 12...Cxd4!? 13 Bxd4 b5 14 Bd3 b4 15 Ce2 e5! 16 Be3 d5! 17 Cg3 dxe4 18 Bxe4 Cxe4 19 Cxe4 Bb7 com posição preferível, 0-1 in 48. Kindermann-Joachim, Frankfurt 2000.

13 h4 Cfd7 14 Dg2 b5 15 f4!
Coerente, Vishy estimula as ações na ala do rei, mesmo que Etienne não defina o destino de seu monarca.

15...b4!? 16 Ca4 
Vishy não podia permitir 16...Cc4, com graves ameaças; observem que esse bispo em f1 retarda seu desenvolvimento, uma vez que a sua função principal é a de fuzilar quem pretenda se instalar em c4.

16...Cc6 17 Cb3!! - diag.1
O campeão não facilita nada para o seu adversário: quanto mais peças no tabuleiro, maior o embaraço das pretas por sua falta de espaço. E olhem que essa "meia trava" se dá em plena urgência de sua escalada.

17...Bb7 18 g5! hxg5 19 hxg5 Txh1 20 Dxh1 
Despejado de seu castelo, o vulnerável rei preto comandará pessoalmente seu exército. A falta de espaço das pretas é tanta que todas as suas peças estão interligadas num comprometedor congestionamento.

20...g6 21 Bd3 Bf8 22 Dh7! 
Impedindo a manobra …Bg7 e Rf8, essa dama é uma presença terrível no campo adversário.

22...Ce7 23 f5! e5 
A defesa das pretas é penosa; aqui, por exemplo, contra o "esplêndido" 23...Ce5, o meu Fritz-6.0 registra uma superioridade ganhadora de +1.97, depois de 24 fxe6! fxe6 25 Tf1 Bc6 26 Cd4! e agora, se 26...Bd7 27 Dh8! Cf7 28 Df6!+-; ou 26...Bxa4 27 Cxe6 Db7 28 Txf8+ Rd7 29 Dh3! Rc6 30 Cd4+ Rc7 31 De6 Cc8 32 Bf4+-; ou então, 26...Dd7 27 Dh8! Cf7 28 Df6+-; e se 26...Rd7 27 Cxe6! Rxe6 28 Dh3+!+-.

24 f6!?
O Fritz registra apenas +0.69 para esse lance, enquanto recomenda (+1.69!) 24 fxg6! fxg6 25 Cbc5!! Cxc5 26 Cxc5 dxc5 27 Bc4! Cd5 28 Dxg6+ Df7 29 Dxf7+ Rxf7 30 Bxd5+ Bxd5 31 Txd5 Te8 32 a3! com vantagem decisiva. Como a partida era rápida e as brancas estão superiores, o caminho escolhido por Vishy também é válido.

24...Cc6 25 Cd2 Ca5 26 b3! 
A luta gira em torno do estratégico ponto c4 e Etienne para impedir seu domínio fará outras concessões.

26...d5 27 exd5 Bxd5 28 Cb2! 
O Fritz sugere tanto 28 Bxa6 quanto 28 Dg8; Vishy, porém, elaborou um plano e vai tentar executá-lo.

28...Bc5 29 Bxc5 Dxc5 
Se 29...Cxc5? 30 Bxg6+-.

30 Cbc4! Cxc4 31 bxc4! Bc6 32 Bxg6! 
Um sacrifício demolidor: depois do precioso labor estratégico, os conseqüentes golpes táticos.

32...fxg6 - diag.2
Se 32...Df8 33 Bh5!+3.13/Fritz.

33 Ce4!! Df8
Se 33...Bxe4 34 Dxd7+ Rf8 35 Dg7+ Re8 36 Dg8+! Df8 37 De6+! De7 38 Dxe7#.

34 Td6
O Fritz confere a essa continuação um índice de +1.22 e para 34 Dxg6+ Rd8 35 Df5, nada menos do que +2.38.

34...Ba4
No zeitnot, Etienne pretere o razoável anteparo de 34...Tc8!? 35 Te6+ Rd8 36 Cd6 Cc5, com remotas chances de sobrevivência.

35 Txa6 
Depois desse lance, o Fritz registra +10.91, ou seja, Bacrot já era.

35...b3 36 axb3
Era melhor 36 Txa4 bxa2+ 37 Rxa2, ganhando.

36...Bxb3 37 cxb3 Db4
Vishy não arremata com a melhor continuação, que seria 38 Cd6+! Rd8 39 De7+ Rc7 40 Ce8+!!, liquidando tudo.

38 Te6+ Rd8 39 De7+, 1-0.

 

Resposta 611
A
(G. Ivanov, Schachstudien, 1928)
1 e7! Bg6 2 c6 Re6 3 7! Rd7 4 Rb6 Cf5 (4…Rc8? 5 Cb4 Cf5 6 Cc6+-) 5 e8=D+! Bxe8 6 Rb7 Ce7 7 Cc5#.
B
(E. Bogdanov, Lvovskaia Pravda, 1970) 1 Bd2! (zug) 1...c5 2 Df5 d4 3 e3#; 1…Rc5 2 De4 d5 3 Db4#; 1…d5 2 Dd6! C5 3 Df4#.

 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: XADREZ JUVENIL :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO