: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
de
Hélder Câmara


   03/07/2005                 

Zoltan Almasi vence o IIIº Memorial György Marx

 


 


    Em Paks, na Hungria, realizou-se entre 12 e 22 de junho o IIIº György Marx, reunindo seis categorizados participantes, entre o quais o veterano V. Korchnoi (74), que manteve a liderança da prova até a penúltima rodada desse torneio em duplo turno, cujo rate-médio era de 2616 pontos-ELO, categoria 15.
 
    Na tabela final, anotamos: 1) Zoltan Almasi (29.08.76 Hungria 2628) com 6.5 pontos em 10 possíveis; 2) Victor Korchnoi (22.03.31 Suiça 2616) 6; 3) Krishnan Sasikiran (07.01.81 Índia 2642) 5.5; 4) Ferenc Berkes (08.08.85 Hungria 2617; 5/6) 5; 5/6) Emil Sutovsky (10.09.77 Israel 2665) e Peter Ács (10.05.81 Hungria 2525) 3.5.
 
     A partida a seguir decidiu a primeira colocação desse torneio.

                       
 

    V. Korchnoi (2619) x (2628) Z. Almasi (9ª rod. Paks, 21.06.2005 – Índia da Dama, E 15).

    1 d4 Cf6 2 c4 e6 3 Cf3 b6 4 g3 Ba6 5 Da4!?

    Segundo Geller, esta é a reação mais crítica ao plano das pretas, porquanto não apenas defende o peão de c4, mas, ao atacar o bispo de a6, as brancas também tolhem o desenvolvimento adversário na ala da dama.

    5...Bb7 6 Bg2 c5!

    O maior senão de 5 Da4 das brancas é justamente esse, o de permitir que as pretas quebrem seu centro de peões, como agora.

    7 0-0 cxd4 8 Cxd4 Bxg2 9 Rxg2 Dc7 10 f3 a6 11 Td1 Ta7 12 Cc3 Be7 13 e4 0-0 14 Be3 d6 (diag. 1)


                                              
   

    Essa “formação ouriçada” das pretas, com espinhos em a6, b6, d6 e e6, é encontradiça em várias aberturas e defesas, como a Inglesa e a Siciliana. A ausência dos bispos de casas brancas favorece as brancas, mas elas não podem se descuidar com essa posição que se convencionou chamar de “mala comprimida”: se as pretas conseguirem abrir seu fecho através de ...b5 ou ...d5, então poderão explodir inconveniências para todos os lados.

    15 Tac1 Tc8 16 b4 Db7!? (diag. 2)

 



    

    Almasi conhece bem esta posição: 16...Cbd7? 17 Cd5! exd5 18 cxd5 Cc5 19 bxc5 dxc5 20 Cc6 Taa8 21 Bf4 Db7 22 Db3 Bf8 23 Bg5 Ce8 24 Be3 Tc7 25 a4 Cd6 26 Tb1 Txc6 27 dxc6 Dxc6 28 Bf4 b5 29 Bxd6 Bxd6 30 Dd5! Dxd5 31 Txd5 Bf8 32 axb5 axb5 33 Txb5, 1-0. Ilincic x Almazi, Jahorina 2003.

    17 Db3 Cbd7 18 Ca4

    O que se conhecia era 18 Cb1 Da8 19 Tc2 Tac7 20 Tdc1 Ce5 21 Cd2 h6 22 a4 Cfd7 23 Bg1 a5 24 f4 Cc6 25 Cxc6 Dxc6 26 b5 Db7 27 Dd3 Td8 28 Cf3 Cc5 29 Bxc5 dxc5 30 De2 Bf6 31 Td2, com equilíbrio, ½-½ in 50. Degerman x Lautier, Sigeman & Co. 1998.

    18...Bf8 19 Bf2 Da8 20 Ce2 Db8 21 g4!? Tac7 22 Bg3 Ce8

    Essas manobras em espaço reduzido têm por finalidade provocar fraquezas e explorá-las em seguida. Talvez por respeito ao velho zorro, Almasi dispensa a recomendação do Fritz 8: 22...b5! 23 Cb2 Ce5! 24 Bxe5 bxc4! 25 Txc4 dxe5 26 Txc7 Dxc7 27 Cd3 Cd7 28 Tc1 Db7, com leve superioridade das pretas, -0.25.

    23 Cb2 Da8 24 Tc3 Db7 25 a3 g6

    O Fritz propõe 25...Be7 26 Cd3 Bf6 27 Tcc1 Be5!, com jogo superior, -0.28.

    26 Tcc1 Bh6 27 Tb1  (diag. 3)


                                                
      

    Este lance denuncia o fracasso do plano estratégico das brancas, enquanto o F8 sugere 27 Tc2, com igualdade (0.03). Korchnoi avalia mal o ganho de uma qualidade que o condenará a uma perpétua falta de espaço.

    27...b5! 28 c5 dxc5! 29 Bxc7 c4!!

    E será esse terrível lance intermediário que reduzirá o jogo das brancas a uma estéril e permanente passividade.

    30 Dc3 Dxc7 31 h3 Ce5 32 f4 Cc6 33 g5 Bf8 34 De3 Cg7 35 Tf1?!

    Korchnoi parece arrumar as peças no tabuleiro, sem planos. Havia de pelo menos tentar explorar a única coluna aberta existente ou reagir forte, como quer o Fritz: 35 Cc3 Ch5 36 e5!? h6 37 h4 Ce7 38 Rh2 Bg7 39 Te1, tentando repor em jogo o cavalo de b2 e a torre de b1.

    35...Ch5 36 Cd1 Td8 37 Cf2 e5

    O F8 insiste em 37...a5!, não apenas para apurar sua vantagem na ala da dama, mas também para habilitar a casa c5 para o seu bispo de f8; por exemplo, 37...a5!? 38 bxa5 Dxa5 39 Ta1 Td2! 40 Tfe1 e5 41 fxe5 Cxe5 42 a4 Cd3! 43 axb5 Cxe1+ 44 Txe1 Bb4, com vantagem considerável, -1.22.

    38 f5?! Cd4!

    Almasi explora a inoperância das torres adversárias sem colunas e com uma peça menor a mais invade o campo adversário (-1.03). A ameaça é 39...Cxe2.

    39 Cxd4 exd4 40 Df3 d3!  (diag. 4)


                                              
 

    Esses dois peões passados e unidos valem muito mais do que a qualidade perdida e conferem às pretas uma vitoriosa vantagem, 1.19 F8.

    41 e5?

    Mesmo com os melhores, as brancas estariam perdidas: 41 fxg6 hxg6 42 Tbd1 d2! 43 e5 c3 44 Cd3 Dc4, ganhando.

    41...Dxe5 42 fxg6 hxg6 43 Ce4 Dd5!?

    O Fritz registra como arrasador (-2.72) 43...f5! 44 gxf6-ep Td4 45 f7+ Rg7 46 Cg3 Cf4+ 47 Rh2 Ce2! 48 Tfe1 Dxg3+ 49 Dxg3 Cxg3 50 Rxg3 c3, ganhando.

    44 h4 Bg7 45 Tbc1 d2! 46 Tcd1 c3! 47 Tf2 Dc4, 0-1.

 


György Marx


 Estudos e problemas
 

787   A   (B. Horwitz & I. Kling, 1850) 1 Rd7! (1 Bxf5? g3 2 Be4 g2 3 Bxg2
                Ra8 4 Bc6 Rb8=) 1…g3 2 Bd5 f4 3 Bf3! g2 4 Bxg2 f3 5 Bf1!! f2 6
                Rd8 Ra8 7 Bxa6!+-.


         B   (O. Blumenthal, 777 Chess Miniatures, 1908) 1 Ch8! Rc4 2 Cf7!     
                Rd4/Rb5 3 Db4/Cd6#.


 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: ARQUIVO :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO