: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
 

    Poikovsky
 


A animada festa que há 4 anos homenageia o campeão A. Karpov consolida
seu prestígio a cada realização

 

A) Br. jogam e ganham
 


B) Mate em 3 lances
 

         Em Poikovsky, Rússia (Sibéria), com um rate-médio de 2663 pontos-ELO, cat. 16, realizou-se entre 20 e 29 de abril o IV Internacional Anatoly Karpov, em homenagem a um dos maiores campeões mundiais.

       Na tabela final, 1/2. P. Svidler (2713 Rus) e J. Lautier (2666 Fra), ambos com 3 vitórias, 6 empates e 0 derrota, 6 pontos em 9 possíveis; 3/4. S. Rublevsky (2670 Rus, 3v5e1d) e V. Zvjaginsev (2664 Rus, 3v5e1d) 5.5; 5. A. Onischuk (2647 EUA, 2v6e1d) 5; 6. G. Vescovi (2615 Bra, 2v5e2d) 4.5; 7. V. Bologan (2663 Mol, 1v6e2d) 4; 8. Y. Pelletier (2623 Sui, 1v5e3d) 3.5; 9. S. Lputian (2638 Arm, 2v2e5d) 3; 10. A. Obodchuk (2417 Rus, 1v2e6d) 2.


         A partida a seguir mereceu o prêmio de beleza desse torneio :
 
       S. Rublevsky (2670) x (2638) S. Lputian (6ª rod. Poikovsky, 26.04.2003 - Francesa, C 03)   

        1 e4 e6!?
Que estranho e irresistível fascínio exerce essa “demoiselle” sobre certos jogadores que, mesmo conhecendo os abismos de sua paixão, a ela se entregam com arrebatada loucura?! Seria a Francesa a versão enxadrística, o modelo cruel dos versos de Discepolin: “quien sos, que no puedo salvarme?”. Ou, mais forte ainda, da confissão de Saad: “se queres saber o nome da mulher que eu mais amei, procura lembrar o nome daquela que mais me fez sofrer; se a memória te trair ou se não a conheceste, então faze com os lábios o movimento para um beijo: o seu nome se pronuncia assim”.


       2 d4 d5 3 Cd2 Be7 4 Cgf3 Cf6 5 e5 Cfd7 6 Bd3 c5 7 c3 Cc6
Antes, Smbat preferira 7...b6 8 De2 cxd4 9 cxd4 a5 10 Cf1 Ba6 11 Bxa6 Txa6?! 12 Cg3 Ta7 13 h4 h6?! 14 Ch5 g6 15 Cf4 Dc8 16 Be3 com superioridade, embora ½-½ in 41. Ehlvest-Lputian, Izt Manila 1990.
 

       8 0-0 a5 9 Te1 cxd4 10 cxd4 Db6
Já ocorreu 11 De2 g5 12 h3 h5 13 Cf1 Cxd4 14 Cxd4 Dxd4 15 Ch2 g4 16 hxg4 hxg4 17 Cxg4 Tg8 18 Ch6 Tg7 19 Bb5 Rf8 20 Bd2 Bb4 21 Bxb4+ axb4 22 Dh5 Df4 23 Te3 Tg5 24 Dh3 Cxe5 elogo após, ½-½ in 34. Rublevsky-Lputian, Montecatini 2000. Ou seja, eles apenas retomaram sua discussão teórica.

      11 Cb1!
Aí está: esse cavalo ficará melhor na ala da dama e Sergey sacrifica o peão de d4, desde que consiga posicioná-lo na casa b5.

       11...Cxd4 12 Cxd4 Dxd4 13 Cc3 Db6
Com a idéia de rocar, aproveitando-se da ausência do cavalo branco na ala do rei; ainda assim, o Fritz 8.0 sugere 13...Bc5 14 Be3 Dh4 15 Cb5 0-0 16 g3 De7 17 Cc7 Tb8 18 Tc1 com equilíbrio, -0.06.    

       14 Dg4!
Não se pode esquecer de que a principal maldição que recai sobre a Francesa provém da falta de seu cavalo em f6 (5 e5 Cfd7), propiciando assim essa incômoda escalada.

       14...Rf8
As análises da partida Pahtz x Knaak, Potsdam 1985, indicavam que se 14...g6, as brancas deviam seguir igualmente com 15 Cb5, tal como Sergey faz agora.

       15 Cb5! Cc5 16 Be3 Bd7 17 Cd6!?
O Fritz recomenda 17 a4! Tc8 18 Tac1 h5 19 Df3 h4 20 h3 Rg8 21 Bd4 etc, com jogo preferível.

       17...Bxd6 18 exd6 Dxd6?!
Impunha-se 18...Tc8! 19 Bd4 f6 20 Dg3 Db4 - 20...e5? 21 Txe5!+- - 21 Bc3 Db6 22 Bd4 Db4=.

       19 Dg3!! - diag.1 Dc6
Era preferível devolver um pouco do lucro: 19...De7 20 Bc2 f6 21 Dc7 Tc8 22 Dxa5 Ca6 23 Dd2 Db4 com chances de sobrevivência.

 

       20 Tac1 b6 21 Tc3 h5?
Esse lance não refresca nada e ainda enfraquece o já ameaçado reduto real das pretas; era preferível 21...f6 22 Tec1 e5 23 Bxc5+ bxc5 24 Txc5 De6 25 Bb5 ainda que +/-.

       22 h4! Tc8 23 Bd4 f6 24 Bg6 Te8
24... e5!? 25 Txe5 fxe5 26 Bxe5 Rg8 27 Bf7+ Rxf7 28 Dxg7+ Re8 29 Dxh8+ Re7 30 Dxh5+/- 0.62; ou então, 24...Be8 25 Bxe8 Txe8 26 Tec1 Da4 27 Bxc5+ bxc5 28 Txc5 Dg4 29 da3 Rf7 com resistência.

       25 Tf3! Re7?
A chance seria 25...Ce4!? 26 Df4! e5 27 Bxe5 Te6 28 Bc7 Th6 29 Bf5 Te7 30 Tc1 mantendo a desarticulação das peças pretas.

       26 Txf6!, 1-0.
Depois de 26...gxf6 27 Bxf6+! as brancas dão mate (Rf8) em 2 ou (Rxf6) em 5.
 

 

Soluções
688
A (K. Betinsh, Bohemia, 1906 - 2/5 pr.) 1 Cg6!! f1=D (1...fxg6 2 e8=D f1=D 3 Df8+ Re6 4 Rg7! Rd5 5 Da8+! Re6 6 Dg8+ Re7 7 Df8+ Re6 8 Df7#) 2 e8=C+! Re6 3 Cc7+ Rf6 4 Cd5+ Re6 5 Cgf4+ Dxf4 6 Cxf4+ Re7 7 cxb4+-.
B (F. Kohtz e C. Kockellkorn, 777 Chess Miniatures, 1908) 1 Ba8! Rd8 2 Te8+ Rc7 3 Cb5#; 1...Rxd6 2 Rb7! Rd5 3 Rc7#.

 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: XADREZ JUVENIL :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO