: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
de
Hélder Câmara


   02/04/2005                 

Anand vence com larga margem o “Melody Amber”
Insuperável nas partidas às cegas e arrasador nas rápidas


 


 

                      
                              
Paco Vallejo (às cegas)


   
O super GM-A indiano Viswanathan Anand (11.12.1969 Madras 2786), agora sem a “sombra” de Garry Kasparov a atormentá-lo na liderança do tabuleiro magistral, venceu brilhantemente o 14º Melody Amber, realizado em Monte Carlo, Mônaco, entre 19 e 31 de março, de 2726 pontos-ELO, categoria 20.

       Com uma atuação difícil de igualar, ele perdeu uma única partida (rápida) e totalizou 15.5 pontos em 22 possíveis, sendo 8 (em 11) às cegas e 7.5 nas rápidas.

Na tabela final: 2) Alexander Morozevich 13; 3/4) Vassily Ivanchuk e Peter Leko 12; 5) Vladimir Kramnik 11.5; 6/8) Peter Svidler, Veselin Topalov e Alexey Shirov 11; 9) Boris Gelfand 10; 10) Francisco Vallejo 9.5; 11) Evgeny Bareev 8; 12) Loek Van Wely 7.5.

                                 
                                          
                                  
             Anand x Vallejo (às cegas): no laptop, apenas a imagem
                                                      de um tabuleiro sem peças para orientá-los (HC).

   
     V. Anand (2786) x (2686) F. Vallejo (3ª rod. às cegas, Mônaco, 21.03.2005 – Siciliana, B 81)

     1 e4 c5 2 Cf3 d6 3 d4 cxd4 4 Cxd4 Cf6 5 Cc3 a6 6 Be3 e6 7 g4

     Iniciada como ataque Inglês (Be3) e transformada em ataque Keres (g4), essa é uma variantes mais agudas contra a defesa Siciliana.

      7...h6

     É mais comum 7...e5 8 Cf5 g6 9 Bg2!? d5! 10 Bg5! gxf5 11 Cxd5 Be7 12 Bxf6 Bxf6 13 exf5 h5 14 h3 Bd7 15 Dd3!? N, com chances de derrota para ambos os lados, 1-0 in 34. Svidler x Van Wely, Biel 2000.

     8 Bg2 e5 9 Cf5 g6 10 De2! gxf5 11 exf5 Bd7 N   (diag. 1)




 

      ocorrera 11...Tg8 12 h3 Bd7 13 Bxb7 Bc6 14 Bxa8 Bxa8 15 Tg1 Da5 16 0-0-0 Cbd7 17 f4 Cd5 18 Cxd5 Bxd5 19 a3 Bc6 20 Dc4 com a iniciativa, 1-0 in 36. Bologan x Novgorodskij, Rússia 1996.

     A idéia de antes defender b7 revelou-se desastrosa: 11...Tg8 12 h3 Dc7 13 0-0-0 Bd7 14 f4! Bc6 15 fxe5 dxe5 16 Bb6! Dxb6 17 Dxe5+ Be7 18 The1! Rf8 19 Dxe7+ Rg7 20 Te6! Cbd7 21 Txd7 Cxd7 22 Tg6+, 1-0. Tolnai x Vujovic, Zurich 1987.

     12 Bxb7 Bc6 13 Bxa8 Bxa8 14 Tg1

     Mesmo com equilíbrio material, o Shredder-9 registra +0.69 para as brancas, considerando talvez a perene vulnerabilidade do rei preto.

     14...Cbd7 15 0-0-0!

     Toda rasteira tem efeito bumerange, quando não funciona: Paco esperava 15 Dxa6 para jogar 15...Bf3; agora, a fraqueza em a6 é mais um cuidado seu.

     15...Be7 16 h4! Da5 17 Bd2!?

     Era de se considerar 17 g5! hxg5 18 hxg5 Ce4 19 Cxe4 Bxe4 20 f6 Bf8 21 Dc4 d5 22 Dc8+ Dd8 23 Dc6 Bf3 24 Txd5 Bxd5 25 Dxd5 Dc7 26 g6 Cxf6 27 gxf7+ Dxf7 28 Dc6+ Cd7 29 Dc8+ Re7 30 Bg5+ Cf6 31 Td1, ganhando, +7.74 S9.

     17...Cd5 18 Cxd5 Dxd5 19 Dxa6!

     As pretas têm uma qualidade e uma ala inteira a menos, mas em compensação, elas não têm nenhum plano de jogo...

     19...Bb7 20 Da3!?

     Era melhor 20 Da4! Bc6 21 Da7, mantendo a pressão e dificultando a articulação das peças pretas.

     20...Dc6?! 21 Bb4! Cb6?!  (diag. 2)
 



 

     Nem melhor: 21...Df3 22 g5! Dxa3 23 Bxa3 hxg5 24 hxg5 Bf3 25 Td3 Be4 26 Td2, com bastante vantagem, +1.45 S9.

     22 g5?

     Vishy “não viu” 22 f6!! Bd8 23 Bxd6! Cc4 24 Be7!!+-; ou então, 22...Cc4 23 Dc3 Bxf6  24 b3 d5 25 bxc3 d4 26 Db3, ganhando. 

     22...hxg5 23 hxg5 Rd7

     Seria pior ainda 23...Cc4, em vista de 21 Db3!+-.

     24 f6!?

     O Shredder aponta como melhor 24 g6, mas Vishy queria dispor de 25 Dh3+! no caso de 24...Ta8.

      24...Cc4?

     Era forçado 24...Bf8 25 g6 fxg6 26 Txg6 Th1 27 Tgg1 Txg1 28 Txg1 Dd5, embora a posição continuasse comprometida, +1.53 S9.

      25 Dc3! Bf8 26 b3 Cb6 27 Dxe5 Th4?   (diag. 3)

 


 

      Nem o melhor salvaria: 27...Cd5 28 Df5+ Rc7 29 Ba5+ Rb8 30 c4! Cc7 31 Rb2 Th5 32 Bxc7+ Rxc7 33 The1, ganhando.

      28 Bxd6! Dxd6

      Se 28...Bxd6 29 De7+! Rc8 30 Txd6+-.

      29 Txd6+ Bxd6 30 Td1 Cc8 31 g6! Th1 32 Df5+, 1-0.

      Não se pode esquecer de que cada um dos adversários estava diante de um laptop aberto, cuja tela era um tabuleiro vazio onde ambos, através de um mouse, moviam hipotéticas peças para executar seus planos virtuais tudo isso numa cadência de 25min para cada um concluir a partida.

 


                                                          Estudos e problemas
 

773   A   (B. Baday, Shajmaty in URSS, 1962) 1 f5!! fxe5 2 h4! c4 3 Rf1 a5 4
                Re2 e4 5 Re3 a4 6 Rf4! c3 7 Rxg3 cxb2 8 Rh3 b1=D 9 g4#.
               


         B   (V. Izarianov, Sovietskaia Rossia, 1961) 1 Re2! Rc5 2 Be7+ Rb6/Rxc4
               3 c5/Dd3#; 1…a4 2 Bf2+ Ra5 3 Dd2!#
             

 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: ARQUIVO :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO