: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   CRÔNICAS    : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :
 

  Mônaco
 

 

 

             Em Mônaco, ao final do 9º Melody Amber, acusando a fácil vitória de Alexey Shirov, o assunto predominante era o próximo e evitável duelo entre Kasparov x Nãosesabequem, pretensamente patrocinado pela Mind Sports.
            Anand declinou do convite, Kramnik examina sua possibilidade e  Shirov esbraveja desesperado, dizendo-se o legítimo desafiante de Kasparov. Por conta disso, ele, que vinha vencendo todos os seus matches diários (rápido e às cegas), com um sistemático 1.5 a 0.5, perdeu sua invencibilidade, que seria um recorde da prova,  justamente na última rodada.
            De acordo com o nosso colaborador Achilles Gadelha, a proposta mais apropriada seria a da realização de um quadrangular — Kasparov, Anand, Kramnik, Shirov — em quatro turnos, nos moldes do La Haya-Moscou/1948, para apurar, não, o melhor (que hoje trabalha na indústria farmacêutica...), mas o próximo campeão do mundo.
            A tabela final do Amber registrava:
1. Shirov 15.0; 2/4. Ivanchuk, Topalov, Kramnik 13.5; 5. Anand 12.5; 6. Gelfand 12.0; 7/8. Piket, Van Wely 10.5; 9. Karpov 10.0; 10. Lautier 7.5; 11. Ljubojevic 7.0; 12. Nikolic 6.5.


 A. SHIROV (2.751) x (2.559) L. LJUBOJEVIC (2ª rod. às cegas. 17.03.00, Mônaco — Siciliana, B 46)

1 e4 c5 2 Cf3 e6 3 d4 cxd4 4 Cxd4 Cc6 5 Cc3 a6 6 Be2 Cf6!?
 
O que parecia ser um encaminhamento para a variante Taimanov, 6...Cge7, ou mesmo para uma bem comportada Scheveningen, 6...d6, assumiu características da variante dos 4 Cavalos, com o acréscimo dos lances 5...a6/6 Be2, que resultará inconveniente para as pretas.

 7 Cxc6! bxc6 8 e5! Cd5 9 Ce4 Dc7 10 Cd6+! Bxd6 11 exd6 Db6
Aí está, na variante dos 4 Cavalos, sem o bispo em e2 (e sem ...a6), esse seguimento não seria possível, porquanto as pretas disporiam, então, de 11...Dxd6! 12 c4? De5+! Um exemplo nessa posição: 11...Da5+ 12 Bd2 Dc5 13 c4 Cf6 14 Bc3 Ce4?! 15 Dd4! Dxd4 16 Bxd4 Cxd6 17 Bxg7 Tg8 18 Be5 Cf5 19 g4! Ce7 20 Bd6 e as brancas estão superiores, 1-0 in 35. Sarkar-Figueiredo, Panamericano Juvenil, Matinhos 1999.

12 c4 Cf6 13 0-0 0-0 14 Be3!
Mais do que tático, esse lance tátil denuncia a nítida compreensão que Shirov tem da posição. Ele sabe que Ljubojevic não tem nada melhor do que aceitar o sacrifício em b2, distanciando sua dama ainda mais da ala do rei, onde ele pretende cometer o assalto definitivo.

14... Dxb2 15 Bd4 Da3 16 Bxf6 gxf6 17 Dd4 Tb8
 
O peão de d6 estrangula a posição das pretas, impossibilitando-as de conectar suas torres; a desgraça maior, porém, é que ele impede uma possível fuga do rei preto, quando da urdidura de uma rede de mate naquele setor. E completando a tragédia, os disciplinados peões do roque das brancas conservam-se em sua posição original, ensejando assim o suave deslisamento de uma torre-tanque via Tad1/Td3/Tg3. O lance do texto persegue a idéia de jogar ...Db2, trasladando a dama preta para a ala do rei, uma vez que seria insuficiente 17..f5? 18 Tfb1 f6 19 Tb3 Da5 20 c5! e a minha dupla dinâmica (Fritz-6.0 e Hiarcs-7.32) garante uma superioridade para as brancas de quase +1.00.

18 Tac1!
 
Na exata medida, anulando ...Db2 e prosseguindo calmamente com sua escalada.

  18... e5
 
No caso de 18...Db2 19 Tc3 Rg7!? 20 c5! Tb4 21 Bc4 Tg8 22 a3! Tb8 23 Tg3+ Rh8 24 Txg8+ Rxg8 25 Dg4+ Rh8 26 Dh5 Rg8 27 Bd3 f5 28 g4! Dg7 29 Rh1! fxg4 30 Tg1 f5 31 h3 Df7 32 Dg5+ Dg7 33 Dh4 Tb3 34 hxg4 f4 35 Dd8+ Df8 36 Bxh7+ Rg7 37 Dh4, ganhando; ou então, 29 Rh1! f4 30 Dh4! f6 31 Tb1 Txb1+ 32 Bxb1 h6 33 Dh5 Rf8 34 h4! a5 35 Bd3! e as pretas estão zugadas.

19 Dg4+ Rh8 20 Df5! Rg7
 
As pretas precisam vigiar também a ação do bispo na diagonal b1-h7, tão mortal quanto a manobra de  torre-tanque.

 21 Tcd1! e4
 
Não resolvia 21...Dxa2 22 Td3 Tb3 23 Dg4+ Rh8 24 Df3! Txd3 25 Dxf6+ Rg8 26 Dg5+ Rh8 27 Dxe5+ f6 28 De7 Rg8 29 Bxd3 Tf7 30 De8+ Tf8 31 Bxh7+ Rf7 32 Dg6+ Rh8 33 Dh6, ganhando; ou ainda, 21...Dxa2 22 Td3 Tb3 23 Dg4+ Rh8 24 Df3 e4 25 Dxf6+ Rg8 26 Dg5+ Rh8 27 De7 Tg8 28 Dxe4, com posição vitoriosa.

  22 Dg4+! Rh8 23 Dxe4, 1-0.
 
É notável como Shirov ganha um tempo subindo (19 Dg4+ e 20 Df5!) e outro tempo descendo (22 Dg4+! e 23 Dxe4. As pretas não têm meios de parar as várias ameaças, começando por Bd3. Por exemplo, 23...Da5 24 Bd3 Dh5 25 De7 Dh6 26 Bf5, seguido de 27 Td3/28 Th3, liquidando tudo.

 
V. IVANCHUK (2.709)x(2.751)A. SHIROV (11ªe última rodada, às cegas,28.03.00,Mônaco — Petrov,C42)

1 e4 e5 2 Cf3 Cf6 3 Cxe5 d6  4 Cf3 Cxe4 5 d4 d5 6 Bd3 Bd6 7 0-0 0-0 8 c4 c6 9 Te1!
 
Nesse mesmo mês de março, utilizando-se Shirov de sua mais recente incorporação, que é esse gambito Marshall (6...Bd6), acontecera 9 cxd5 cxd5 10 Cc3 Cxc3 11 bxc3 Bg4 12 Tb1 Cd7!, com chances recíprocas, embora 0-1 in  41. Anand-Shirov, Linares 2000. Assim sendo, parece-nos um tanto ingênuo esperar que Ivanchuk repetisse a variante do agrado de seu adversário.

 9... Bf5 10 Db3 Ca6! 11 cxd5 cxd5 12 Cc3 Be6 13 Cb5!? N
 
É mais comum 13 a3 Cc7 14 Dd1 Cxc3 15 bxc3 Bg4 16 Bb1 Bh5 17 Dc2 Bg6 18 Db3 b5! 19 Bxg6 hxg6 20 a4 Dd7 21 a5 Tfe8, 1/2-1/2. Yemelin-Rozentalis, Hamburg 1999.

 13... Cb4! 14 Cxd6 Dxd6 15 Bb1 Tac8 16 Be3 f5!
 
A luta se concentra na ala do rei e Shirov se apressa em acionar sua única peça inativa, a torre de f8.

 17 g3 f4?!
 A dupla F/H prefere 17...Cc6 ou 17...De7, mas Shirov devia ter levado em consideração também que essa partida, além de ser em 25 minutos, era jogada às cegas. E às cegas, basta confundir a cor de uma casa para você ficar perdidinho.

 18 Bxf4 Txf4? 19 gxf4 Dxf4
 
Até parece que as pretas conseguiram uma promissora posição pela qualidade. No entanto, até  mesmo o prosaico 20 Bxe4! Dg4+ 21 Rh1 dxe4 22 Ce5!, ganharia.

 20 Txe4! Bh3!? 21 Bd3!! Dh6
 
É evidente que se 21...Dxf3? 22 Te8+! Txe8 23 Bxh7+, ganhando.

 22 Th4! Tc1+ 23 Dd1 Txd1+ 24 Txd1 De6 25 Bxh7+ Rf8 28 Tf4+, 1-0.
 
Depois de 28...Re7 27 Te1, sobraria uma torre de vantagem.

         Não resta a menor dúvida de que o assunto ‘‘campeonato mundial’’ perturbou sobremaneira o comportamento esportivo de Shirov. Ele, Anand e o nosso familiar cuscuz foram cozinhados no bafo. E mais, querer jogar xadrez pensando na hipoteca, não cabe nem talvez: é ferro na boneca.

 
 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: XADREZ JUVENIL :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO