: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :   ATUALIDADES   : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :

Caro Mestre Hélder Câmara,

           solicito o obséquio de divulgar, em seu site na Internet, a minha Carta Aberta ao Conselho Fiscal da FPX, de 02/01/2004, a seguir reproduzida.

                                                                                                         Grato, Hideo Suzuki.
 

         São Paulo, 02 de janeiro de 2004.

CARTA ABERTA AO CONSELHO FISCAL DA FEDERAÇÃO PAULISTA DE XADREZ
 

Senhores:

Ricardo Rudge Ramos

Francisco de Assis Garcez Leme

Carlos Rodriguez Coto Gomez

Cláudio Rogério Dini

Cleiton Christovan Natali

Nelson Gil de Oliveira
 

Senhores Conselheiros

1.         No curso do mandato anterior do sr. José Alberto Ferreira dos Santos, reeleito para o cargo de presidente da FPX em Assembléia realizada no dia 06/12/2003, atribuí-lhe a condição de desocupado que estaria se sustentando à custa dos recursos financeiros angariados em nome do xadrez. Acusei também outros diretores, os senhores James Mann de Toledo, Ricardo Rudge Ramos, Augusto M. Horiguti, Cláudio Yamamoto e Estevão Tavares Neto, de cumplicidade na falsificação de um documento oficial da FPX. Nunca me contestaram nem me processaram criminalmente, e quando indagados a respeito, desculpam-se respondendo: “não vamos entrar no jogo dele”, ounada podemos fazer contra um velhinho de mais de 70 anos, gagá, que está sendo usado pelos nossos adversários”. Não sou nenhum fantoche, estou com 68 anos de idade, suficientemente lúcido para não subscrever nenhum documento apócrifo, e mesmo que tivesse ultrapassado os 70 anos, isso não me tornaria inimputável; poderei, sim, ser processado criminalmente, se propagar inverdades que atinjam a honra de quem quer que seja.

 

2.         Para que não paire, sobre vasta parcela da comunidade enxadrística, nenhuma dúvida quanto à vida profissional do sr. José Alberto Ferreira dos Santos, presidente da FPX desde 1996 – considerando sobretudo que suas atividades poderiam eventualmente comprometer esse Conselho Fiscal, sendo portanto de seu interesse desmentir as minhas increpações – é necessário que todos saibam a qual empresa ele dedica seu tempo de trabalho, que se apresentou à eleição como empresário, mas a  FPX não é uma empresa privada.
 

3.         A outra questão até agora não explicada pelos acusados, diz respeito a uma “ataque demonstrei ser forjada, sobre uma reunião extraordinária fictícia dada como realizada em 22/12/2001 ou 22/11/2001, meia hora antes de uma reunião ordinária regularmente presidida e secretariada, com a ata respectiva oportunamente publicada ( a “ata” de reunião extraordinária, “onde havia uma decisão de suma importância, deixou de ser publicada junto com a outra, por esquecimento!!! sua lavratura foi também esquecida na ocasião?). A “atafalsa nasceu de motivação torpe; foi inventada para agredir, humilhar, perseguir e prejudicar moral e financeiramente uma potencial enxadrista profissional, para destruir sua carreira, em razão de  uma antiga discórdia com  parente de diretores, os quais  usaram inescrupulosamente a entidade para essa vingança. Isso sim, é atitude de baixo, de baixíssimo nível. Venho fazendo acusações contra diretores da FPX, com base em fatos concretos e irrefutáveis, declinando o nome completo de cada personagem envolvido. Verdades não são ofensas pessoais. Com o silêncio, pensam tapar o sol com a peneira? O Conselho Fiscal da gestão anterior (2002/2003), integrado pelos senhores Horácio Prol Medeiros, Fernando Antônio Leitão Camargo, Newton Arruda, Sérgio Roberto Sampaio Melo, Wagner Martins Madeira e João Batista Caetano Filho,  fez vista grossa, não tomando conhecimento da gravíssima transgressão ética cometida pela Diretoria. Afirmo que aquele Conselho Fiscal foi omisso, inoperante, condescendente ou subserviente, desconhecedor de suas atribuições estatutárias. Desse jeito, em vez de Conselho Fiscal, deveria denominar-se Conselho Protetor da Diretoria. Espero que o atual Conselho Fiscal saiba agir com soberania.
 

4.         Diante dos quadros acima apresentados (a duvidosa condição de empresário, do sr. José Alberto Ferreira dos Santos, e a edição e divulgação via Internet de um documento fraudulento), solicito a V.S.as., logo no início do mandato (antes que possam ficar irremediavelmente enredados pela Diretoria), que me informem, para possível proposição de ações fiscais e judiciais que tenho em vista, os seguintes dados:

 

1o) a qual empresa privada dedica-se o sr. José Alberto Ferreira dos Santos em seu labor cotidiano; somente uma resposta convincente poderá desfazer o mau juízo que formei sobre ele, julgando-o um desocupado que vive dos recursos obtidos em nome da FPX;

 

2o) o que V.S.as. têm a dizer sobre a “ata” da suposta reunião extraordinária  (esta é uma excepcional oportunidade oferecida a V.S.as. para a demolição total da minha acusação, que um dos signatários daquele documento, o sr. Ricardo Rudge Ramos, é agora membro e quiçá presidente desse Conselho Fiscal), que traz este enigmático registro: “ O Presidente James Mann de Toledo abriu a reunião relatando que a ofensa foi feita pela atleta Suzana  Chang , para com o então presidente James Mann de Toledo no final do ano de 2001”!!! Isto foi escrito em 2001, logo após a “reunião”? Pode alguém ser simultaneamente presidente e então presidente?

5-        Entendo que um Conselho Fiscal deve não defender a Diretoria contra acusações infundadas, mas também censurá-la quando comete erros. O Conselho Fiscal anterior não fez nem uma coisa nem outra. O atual Conselho Fiscal poderá agora dirimir todas as questões suscitadas, ou aproveitar o ensejo para cerrar fileira com o  sr. Lélio Marcos Luzes Sarcedo, que tomou as dores pelo sr. José Alberto Ferreira dos Santos, e julgou intimidar-me com um hipotéticoprocesso ferrado”,  contratando para isso os melhores advogados e gastando até o seu último centavo... É isso mesmo que estou querendo há muito tempo, que os diretores que se sentirem ofendidos me processem, para que a Justiça apure a verdade e diga finalmente com quem está  a razão.

                                                                     Atenciosamente

Caixa Postal 1813                                           Hideo Suzuki
            CEP 01059-970                                               R.G. 1.840.990 – SSP/SP
            Agência Central
            São Paulo – SP

Este espaço está democraticamente à disposição de qualquer um dos destinatários dessa Carta Aberta que por ventura queiram formular uma resposta ao honorável enxadrista Hideo Suzuki (HC).                                                             
 

HOME :: PERFIL :: ATUALIDADES :: COLUNAS :: TEORIA :: COMPUTAÇÃO :: ARQUIVO :: XADREZ FEMININO :: LINKS :: CONTATO